Fundos de investimento Fundos nacionais apostam forte no BCP

Fundos nacionais apostam forte no BCP

Do total investido pelos fundos de investimento em acções portugueses, quase 10% estava em Abril aplicado no BCP, que reforçou o estatuto de preferida dos gestores.
Fundos nacionais apostam forte no BCP
.
Nuno Carregueiro 16 de maio de 2017 às 18:39

Os fundos de investimento portugueses participaram no aumento de capital do Banco Comercial Português e desde então o banco liderado por Nuno Amado tem vindo a ganhar peso nas carteiras.

 

A conclusão obtém-se a partir dos dados da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que esta terça-feira, 16 de Maio, actualizou as estatísticas dos fundos de investimento mobiliário relativas a Abril.

 

Em Janeiro os fundos geridos em Portugal tinham uma participação residual no BCP, sendo que o banco não surgiu na lista das 10 acções preferidas dos gestores. Mas em Fevereiro, mês em que foi realizado o aumento de capital de 1,33 mil milhões de euros, o valor aplicado pelos fundos no BCP disparou mais de 400%, com o banco a surgir em segundo lugar na lista das cotadas favoritas.

 

O primeiro lugar na carteira foi atingido em Março, mês em que 9,2% do montante aplicado pelos fundos em acções nacionais estava investido no BCP.

 

O estatuto foi reforçado em Abril com o investimento dos fundos no BCP a subir 4,2% para 16,7 milhões de euros, o que corresponde a 9,6% do total aplicado em acções nacionais.

 

O banco liderado por Nuno Amado é assim, pelo segundo mês consecutivo, a cotada nacional preferida dos gestores dos fundos de investimento portugueses. Uma aposta que deu frutos, já que o BCP atingiu recentemente o nível mais elevado do ano, cotando bem acima do preço da altura do aumento de capital.

 

A Galp permanece em segundo lugar, com o investimento na petrolífera a estabilizar em Abril nos 15,7 milhões de euros (peso de 9%). Segue-se a Sonae SGPS e a Navigator.

 

Entre os maiores aumentos de investimento em Abril, destacam-se os CTT (9%) e a EDP Renováveis (7,2%), com os gestores de fundos a apostarem na empresa que foi alvo de OPA da casa-mãe.

 

No total, os fundos aumentaram em Abril o investimento nas acções nacionais em 0,4% para 174,1 milhões de euros.

 

O investimento em acções estrangeiras foi ligeiramente mais elevado (1% para 1.037 milhões de euros). A Siemens é a cotada preferida na União Europeia e a Apple fora desta região, sendo que ambas captam mais investimento do que o BCP, com o valor aplicado em cada uma a ficar acima dos 20 milhões de euros.

 

Segundo a CMVM, o Luxemburgo continuou a ser o principal destino de investimento dos fundos em Abril, ao absorver 18,5% do total das aplicações dos fundos, seguido do Reino Unido (12,5%), de Portugal (12,3%) e da Alemanha (11,3%).

 

As sociedades gestoras com as maiores quotas de mercado foram BPI Gestão de Activos (30,5%), a Caixagest (29,6%) e IM Gestão de Ativos (14,4%).




pub

Marketing Automation certified by E-GOI