Fundos de investimento Gestores já duvidam de eficácia de estímulos na Europa e no Japão

Gestores já duvidam de eficácia de estímulos na Europa e no Japão

Os gestores estão manifestar algumas dúvidas em relação à eficácia dos estímulos monetários na Europa e no Japão.
Gestores já duvidam de eficácia de estímulos na Europa e no Japão
Bloomberg
Patrícia Abreu 13 de abril de 2016 às 11:35

Aquela que era a grande mais-valia das bolsas europeias e japonesas parece estar a desvanecer. Depois de um longo período em que os especialistas estiveram a recomendar o investimento nestas duas regiões, os gestores estão agora a rever a sua exposição a acções europeias e nipónicas perante a expectativa que os estímulos monetários estejam a tornar-se ineficazes.


O fracasso dos programas de estímulo quantitativo na Europa e nos EUA é agora o principal risco que os gestores identificam, segundo o inquérito do Bank of America Merrill Lynch realizado junto de gestores. Esta preocupação teve um maior impacto no investimento em acções japonesas, mas pode estender-se às bolsas do Velho Continente.


Cerca de 3% dos gestores de fundos estão agora com uma posição de "underweight" para as acções japonesas nas suas carteiras, uma posição que contrasta com uma aposta positiva de 15% em Março. Além desta mudança estratégica, trata-se da primeira vez que os gestores estão pessimistas para as acções nipónicas desde Dezembro de 2012.


O reforço dos estímulos monetários tem sido o grande motor da aposta no Japão, porém a perspectiva de que estes apoios se estejam a tornar ineficazes está a reflectir-se nestas apostas.


E, segundo o mesmo inquérito, os fundos europeus poderão seguir a mesma estratégia. Enquanto no mês anterior, 41% dos gestores estava optimista para a Europa, em Abril, estas apostas caíram para 33%.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI