Fundos de investimento Investidores tiram dinheiro dos fundos pelo terceiro mês

Investidores tiram dinheiro dos fundos pelo terceiro mês

Os investidores nacionais continuam a evitar produtos de maior risco. Reduziram o investimento em fundos pelo terceiro mês consecutivo, elevando para 326 milhões o valor dos resgates em 2016.
Investidores tiram dinheiro dos fundos pelo terceiro mês
Bloomberg
Patrícia Abreu 20 de abril de 2016 às 11:26

Os portugueses voltaram a reduzir o investimento em fundos, em Março. Trata-se do terceiro mês de resgates, com os investidores nacionais a continuarem a evitar activos de risco perante o clima de instabilidade nos mercados financeiros.


As subscrições atingiram os 369,9 milhões de euros no último mês, enquanto os resgates alcançaram 451,3 milhões de euros, tendo ainda sido liquidados dois fundos, que resultaram no reembolso de 32,4 milhões. No total, as subscrições líquidas foram negativas em Março no valor 113,9 milhões de euros, segundo o relatório mensal divulgado esta quarta-feira, 20 de Abril, pela Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Património (APFIPP).


Esta tem sido a tendência registada em 2016, com o saldo negativo entre subscrições e resgates de 326,2 milhões de euros – em 2015, o saldo líquido tinha sido positivo em 328,5 milhões de euros. As saídas coincidem com um período de forte volatilidade nos mercados, em que a maioria das classes de activos regista retornos negativos desde o início do ano.


Em termos de categorias, os fundos mais conservadores continuam a ser os produtos que movimentam os maiores volumes, quer de subscrições, quer de resgates. Os fundos de investimento alternativo de curto prazo foram a classe que captou a maior "fatia" de investimento no último mês, ao captar 40,9 milhões de euros, seguidos pelos fundos de investimento alternativo monetário curto prazo, que receberam 11 milhões.


Nas saídas, outros fundos de investimento alternativo lideraram as saídas mensais, ao perderem 36,5 milhões de euros, enquanto os fundos de mercado monetário euro e os fundos de investimento alternativo monetário registaram resgates de 35,9 e 34,5 milhões de euros, respectivamente.


Entre os fundos de acções, as acções nacionais fecharam o mês com resgates de 2,2 milhões de euros. Mas todos os fundos de acções registaram saídas em Março, apesar da recuperação registada pela maioria dos índices neste período.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI