Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Portucel e Jerónimo Martins abrem época de resultados em Lisboa

Cotadas nacionais começam a divulgar resultados do primeiro trimestre. No resto da Europa, atenções estão viradas para dados económicos

Edgar Caetano edgarcaetano@negocios.pt 22 de Abril de 2013 às 11:57
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

Pedro Soares dos Santos | Depois da Portucel, quarta-feira será a vez da retalhista apresentar as contas dos primeiros três meses do ano. 

 

 

 

A Portucel e a Jerónimo Martins são as primeiras empresas da bolsa de Lisboa a publicarem os primeiros resultados trimestrais de 2013, numa semana que conta também com assembleias-gerais de accionistas de algumas das principais cotadas. No resto da Europa, além do impasse político em Itália, o enfoque esta semana estará sobre a divulgação de dados económicos avançados que ajudarão a determinar se a Zona Euro está a recuperar da recessão técnica. Semana conta ainda com a primeira leitura ao PIB dos EUA no início do ano.


A Portucel dá na terça-feira o tiro de partida na época de resultados do primeiro trimestre na bolsa de Lisboa. Os números serão divulgados após o fecho da sessão bolsista. No dia seguinte, é a vez da Jerónimo Martins, que quando apresentou os resultados do ano passado, disse esperar que "2013 venha a apresentar-se também como um bom ano de crescimento para o Grupo, animado pela experiência de aprender a conhecer um novo mercado", numa alusão à entrada da JM na Colômbia. Em Lisboa, nota também para as assembleias-gerais de Galp Energia, EDP Renováveis, Mota-Engil, Sonaecom e Zon Multimédia.

 

Época de resultados começa em Lisboa, com os números da Portucel e Jerónimo Martins. Lá fora, destaque para a Apple.

 

Notícias empresariais vão esta semana disputar as atenções dos investidores internacionais com dados económicos relevantes. Índices PMI na Zona Euro e PIB dos EUA em foco.

A época de resultados abre também nas outras bolsas europeias, destacando-se as contas de alguns dos maiores bancos europeus, como é o caso do espanhol Banco Santander, do Barclays e do Crédit Suisse. Nos EUA, onde a "earnings season" segue em "velocidade de cruzeiro", destacam-se os resultados da Apple, na terça-feira. Os números serão escrutinados de perto pelos investidores de todo o mundo, podendo ajudar a acção a recuperar das perdas recentes ou aprofundar os mínimos de um ano tocados na semana passada.


A atenção dos investidores será disputada entre as notícias empresariais e os indicadores económicos nos principais blocos. Na Europa, o destaque vai em absoluto para os índices de gestores de compras (PMI), relativos a Abril, a divulgar na terça-feira. Ralph Solveen, economista do Commerzbank, diz que "a mensagem que nos derem esses números será crucial", tratando-se de um dos indicadores favoritos entre os investidores para apurar tendências futuras na economia. "Se os índices PMI caírem de forma acentuada, isso enviará um sinal de que poderá levar muito tempo até que a recessão na Zona Euro termine finalmente".


Em contraste, o economista do Commerzbank diz que "nos EUA, vive-se num mundo diferente, em que o PIB deve ter crescido a uma taxa superior a 3% no primeiro trimestre". A conferir: sexta-feira. Antes disso, na quarta-feira, destaque nos EUA para os dados sobre as encomendas de bens duradouros. No plano económico, mas na China, nota para os índices PMI elaborados pelo HSBC e pela Markit, a divulgar na madrugada de quarta-feira.

 

Ver comentários
Outras Notícias