Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Proteja as suas crianças

Saiba quanto custa proteger o orçamento familiar das brincadeiras dos mais novos. Com as crianças, todas as coberturas são poucas.

Ana Pimentel 10 de Setembro de 2010 às 07:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Já desviou o olhar do seu filho durante um segundo e ouviu o barulho de um vidro a partir-se? Então sabe que as brincadeiras dos mais novos depressa se transformam em dores de cabeça para os pais. Se não for a bola que parte uma janela, é a tão animada volta de bicicleta, que acaba com o seu filho de joelhos no chão. No final, já sabe, além das mazelas, a sua carteira é que paga.

"Quando se trata de crianças, todas as precauções são importantes, pelo que é vantajoso existir um seguro que cubra despesas de tratamento, hospitalização e responsabilidade por danos causados a terceiros", explica Teresa Brás Lopes, responsável pela gestão de produtos acidentes pessoais da Allianz. Paulo Aranha, da direcção do negócio de riscos individuais e familiares da Zurich, concorda. Afinal, o objectivo "primordial" de uma solução de protecção para as crianças é o de construir um leque alargado de coberturas para os "eventos tão próprios da energia e dinamismo destas idades". Por isso, o Negócios perguntou às 12 seguradoras com maior quota de mercado do ramo não vida, segundo os dados mais recentes da Associação Portuguesa de Seguradores, que soluções têm para os pais que querem proteger os filhos das suas traquinices. Destas, oito responderam. Conheça as suas propostas.

Preveja o imprevisível
O tema foi lançado: "Tenho 35 anos, o meu filho tem seis e, em Setembro, entra para o Ensino Básico. Antes de iniciar o novo ano - lectivo, quero evitar que um vidro partido ou uma perna magoada a jogar à bola, em qualquer situação do seu dia-a-dia, estraguem o meu orçamento familiar. Que produto têm para nos proteger?"

A Allianz indicou-nos o Protecção Infantil, com quatro módulos de coberturas e capitais. Com este produto, pode ficar ao lado do seu filho enquanto ele recupera de uma queda ou outro acidente. Sempre que as suas crianças necessitem de acompanhamento clinicamente aconselhado, a seguradora atribui um subsídio de assistência ao pai ou à mãe. Mais: garante o subsídio diário em caso de internamento hospitalar das crianças. Na Allianz, além de proteger os seus filhos, também ajuda a UNICEF na sua luta pelas crianças desfavorecidas. Em 2010, a seguradora entregou mais de 72 mil euros à organização, cerca de 70% da rentabilidade obtida em 2009.

A Fidelidade Mundial não comercializa nenhum produto que cubra simultaneamente a vertente de acidentes pessoais e responsabilidade civil. Indicou apenas a contratação do Responsabilidade Civil Familiar, que garante o pagamento de indemnizações por danos patrimoniais ou não causados a terceiros. Se contratar este seguro, também protege os estudantes (membros do agregado) até 24 anos que se encontrem deslocados da sua residência, empregados domésticos, animais de companhia, entre outros. Tem seis opções de capital, entre 75 mil e 250 mil euros.

A Império Bonança recomendou o Jovem Mais, um seguro de acidentes pessoais que inclui a cobertura de responsabilidade civil. Este garante o pagamento de indemnizações em casos de Invalidez Permanente, Despesas de Tratamento ou Funeral e por danos materiais ou corporais a terceiros. Além destas, inclui a cobertura de Assistência a Jovens, que, em caso de acidente, garante apoio escolar, pagamento de despesas médicas e hospitalização no estrangeiro, entre outros. Este seguro tem quatro módulos de coberturas, com diferentes capitais, válidas em quase todos os países, excepto Estados Unidos da América e Canadá.

Na Generali, para ficar protegido em ambas as situações tem de contratar dois seguros: Acidentes Pessoais Individual e Responsabilidade Civil Familiar. A primeira opção cobre os acidentes ocorridos fora do âmbito da actividade escolar, visto as escolas serem obrigadas a segurar os seus alunos. Cobre Morte ou Invalidez Permanente e Despesas de Tratamento. A cobertura de Morte só é aplicável a maiores de 14 anos. Antes, é substituída por Despesas de Funeral, até cinco mil euros. Os vidros partidos ficam segurados com o Responsabilidade Civil Familiar que garante os danos causados pelas crianças fora da escola. Com o Liberty Acidentes Pessoais JR, da Liberty, fica protegido na Morte ou Incapacidade Permanente, Despesas de Tratamento, Responsabilidade Civil e Assistência, em cinco opções de capital.

O Protecção Jovem, da Ocidental, cobre Responsabilidade Civil Pessoal, Despesas de Tratamento, Assistência em caso de doença ou acidente, Invalidez Permanente e Despesas de Funeral. Se quiser, pode contratar ainda as coberturas de Desportos Amadores Radicais, Subsídio de Internamento Hospitalar e de Assistência.

Na Tranquilidade, se quiser cobrir acidentes pessoais e responsabilidade civil simultaneamente, deve fazê-lo através do Super Protecção Jovem, que tem uma componente Vida e outra Não Vida. Este garante o recebimento de um capital em caso de morte de um dos progenitores, uma conta poupança até aos 25 anos e um seguro de responsabilidade civil e de Acidentes Pessoais. Se optar por contratar apenas a opção Não Vida, fica coberto em caso de Invalidez Permanente, Despesas de Funeral, de Tratamento e Responsabilidade Civil, com três opções de capital.

A Geração Z, da Zurich, tem coberturas e capitais diferentes para crianças com mais ou menos de 14 anos. Como o exemplo utilizado pelo Negócios tinha apenas seis anos, teve-se em conta as opções até aos 14. Assim, o Geração Z cobre Despesas de Funeral, de Tratamento, Invalidez Permanente, Subsídio Diário por Internamento Hospitalar e por Assistência Permanente, Responsabilidade Civil Particular e Roubo. Se quiser, também pode cobrir a prática amadora de desportos radicais, responsabilidade civil para a condução de velocípedes, estomatologia e contratar um produto de poupança ou investimento. Por cada Geração Z vendida, reverte um euro para a Acreditar - Associação dos Pais e Amigos das Crianças com Cancro.



Escola segura
Na escola, as brincadeiras já estão protegidas. Saiba porquê.
Se o seu filho se magoar na escola, não tem de se preocupar com a despesa. Por lei, as escolas são obrigadas a contratar um seguro de acidentes pessoais para os alunos.
Por isso, em caso de acidente, estão sempre garantidas as coberturas desses danos, mesmo quando estes ocorrem em deslocações ao estrangeiro, integrados em visitas de estudo, projectos de intercâmbio ou competições desportivas.

Por acidente escolar, entendem-se os incidentes ocorridos no local e durante a actividade escolar, que provoquem lesão, doença ou morte. Os acidentes que sejam resultantes de actividades desenvolvidas com o consentimento ou sob a responsabilidade dos órgãos de gestão do estabelecimento de ensino também são considerados. Caso o seu filho se magoe nestes âmbitos, o seguro escolar garante a cobertura financeira da assistência a prestar ao aluno. Além da assistência médica e medicamentosa, o seguro garante hospedagem, alojamento e alimentação. Se a criança ficar incapacitado permanentemente ou sofrer danos morais, é indemnizado pela seguradora.



Maior parte dos acidentes ocorre em casa e na escola
Quase 70% dos acidentes das crianças dos 0 aos 14 anos têm origem em quedas.
Entre Janeiro e Dezembro de 2007, foram recolhidos pelo sistema ADELIA (Acidentes Domésticos E de Lazer - Informação Adequada) 15.790 acidentes domésticos e de lazer, segundo os seus dados provisórios. Destes, cerca de 35% (5.534), ocorreram com crianças entre os zero e os nove anos. Entre os 10 e os 14, houve cerca de 2.996 acidentes, mais 19%. Até aos quatro anos, a maior parte (73,6%) dos acidentes ocorreu em casa, mas dos cinco aos nove anos, dividiram-se pela escola (41,5%) e em casa (37,9%). Quase 70% dos acidentes das crianças dos zero aos 14 anos tiveram como mecanismo de lesão a queda. O ADELIA é um sistema de monitorização, vigilância e registo dos acidentes domésticos e de lazer nos serviços de urgência dos hospitais e dos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde. Até à data tem vindo a integrar o European Home and Leisure Accidents Surveillance System (EHLASS), o seu congénere europeu, participando em projectos comunitários.



TRÊS DICAS PARA OS PAIS
Não vale a pena contratar coberturas que já subscreveu em apólices anteriores. Faça um levantamento dos seus seguros e simule junto de várias seguradoras.

1 Recorra a um mediador
Antes de contratar um seguro específico para crianças, faça um levantamento das apólices que já possui, incluindo as dos cartões de crédito. O mediador de seguros é a pessoa indicada para ajudar a descobrir o que precisa de cobrir ou contratar.



2 Evite duplicação de coberturas
Pode proteger os seus filhos através da subscrição de vários seguros. Os pais que contratem um seguro de vida, aquando do contrato de crédito à habitação, por exemplo, asseguram o futuro das suas crianças, em caso de morte ou invalidez permanente. Os seguros de acidentes pessoais permitem obter uma indemnização em caso de invalidez e os de saúde cobrem despesas de tratamento, entre outras coberturas. Por fim, se contratar uma apólice de responsabilidade civil para a família, cobre toda a gente lá de casa, incluindo animais de estimação e empregadas domésticas.


3 Simule vários produtos
Simule opções para crianças junto de várias seguradoras. Se preferir, também pode fazê-lo junto de um mediador, que obtém preços mais vantajosos do que na contratação ao balcão da seguradora. Quanto mais situações tiver asseguradas melhor, mas isso depende do orçamento familiar do seu agregado.



SETE PROTECÇÕES EXTRA
O Negócios perguntou às maiores seguradoras do ramo não vida que soluções têm para quem quer proteger as suas crianças. O mote foi lançado: "Tenho 35 anos, o meu filho tem seis e, em Setembro, entra para o Ensino Básico. Antes de iniciar o novo ano lectivo, quero evitar que um vidro partido ou uma perna magoada a jogar à bola, em qualquer situação do seu dia-a-dia, estraguem o meu orçamento familiar. Que produto têm para nos proteger?"À excepção da Fidelidade Mundial, as seguradoras aconselharam produtos que cobrem Responsabilidade Civil e Acidentes Pessoais. Por não comercializar nenhum seguro que garantisse ambas as coberturas, a Generali indicou a contratação de dois. Por pouco mais de 13 euros, protege a sua carteira dos "azares" das crianças.


Notas: 1 = até aos 13 anos | Fonte: seguradoras citadas. Valores em euros.



Para pais mais exigentes

Saiba quanto pagaria se contratasse as opções de capital mais elevadas das seguradoras. Entre 55 e 125 euros, cobre o seu rebento com os montantes mais elevados para Invalidez permanente, Responsabilidade Civil, entre outras coberturas.


Notas: 1 = até aos 13 anos | Fonte: seguradoras citadas. Valores em euros.

Ver comentários
Outras Notícias