Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Regulação sim, mas não em excesso

No auge da crise financeira, enquanto as bolsas mundiais se afundavam, o petróleo superava pela primeira vez a barreira dos 147 dólares por barril. Situações como estas levantaram o debate em torno do peso da especulação nos preços das matérias-primas...

Negócios negocios@negocios.pt 11 de Novembro de 2009 às 09:39
  • Partilhar artigo
  • ...
No auge da crise financeira, enquanto as bolsas mundiais se afundavam, o petróleo superava pela primeira vez a barreira dos 147 dólares por barril. Situações como estas levantaram o debate em torno do peso da especulação nos preços das matérias-primas. E, no Verão passado, o regulador do mercado norte-americano estudou a imposição de limites para posições especulativas em aberto, sobretudo em contratos de petróleo. Para Peter Königbauer, um excesso de regulação poderá ser prejudicial.

"É preciso um pouco de regulação sim, mas devemos ter cuidado ao regular", realçou o gestor da Pioneer Investments, adiantando que uma forte regulação traria perigos para o mercado.

O responsável vai mais longe e destaca que, se a regulação impuser limites demasiado elevados à especulação no país, os investidores irão encontrar outros mercados para especular.

"Pode parar de negociar nos EUA e começar a negociar no Dubai ou no Japão", acrescenta Königbauer. Para o gestor da Pioneer a verdadeira questão não é saber se há especulação, mas sim perceber se esta especulação tem uma base verdadeira.


Vantagens
Perspectivas de recuperação económica, o que poderá levar a um aumento da procura.
Possibilidade de obter retornos elevados.



Desvantagens

Investimento cujas cotações estão dependentes de factores especulativos e que pode levar a uma maior volatilidade.
Relação da procura com a evolução da economia.



Tipo de Investidor

Este tipo de investimento destina-se a investidores com um perfil de risco mais ousado, uma vez que os riscos de perda de capital é maior. Recomendado para investidores com maiores conhecimentos do tema.


"Há especulação quando o mercado sobe, mas a verdadeira questão é: não está uma verdadeira procura por detrás dessa especulação? Não é um sinal para nós que negociamos o petróleo de forma errada?", questiona o especialista.

Königbauer adianta ainda que é fundamental deixar o mercado trabalhar, pois este "dá sinais aos consumidores e um dos sinais é que quando o petróleo está nos 150 dólares por barril, o sinal é claro, não há petróleo suficiente para tudo o que estamos a fazer. É errado cortar todas as posições e trazer este mercado para longe de todos estes sinais".





Matérias-primas valorizam-se mais de 18% em 2009
Evolução do índice Reuters/Jefferies CRB desde o início do ano

Desde o início do ano, o índice Reuters/Jefferies CRB ganha 18%, animado pelos sinais de retoma na economia. Os preços das matérias-primas têm sido impulsionados pelas perspectivas de retoma da procura.

Ver comentários
Outras Notícias