Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Arábia Saudita dá espaço para que petróleo perca mais de 0,5%

O segundo valor mais alto da actividade petrolífera na Arábia Saudita e a procura por um preço "justo" para o petróleo no país estão a trazer alívio para a matéria-prima.

Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 20 de Março de 2012 às 07:54
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Os preços do petróleo estão a cair mais de 0,5%, depois de a Arábia Saudita ter dito que Janeiro foi o segundo mês em que produziu mais petróleo para venda desde, pelo menos, 1980.

Os preços dos contratos futuros de crude negociados em Nova Iorque cedem 0,60% para 107,44 dólares por barril, depois de ontem terem valorizado.

Por sua vez, os preços do Brent do Mar do Norte, negociado em Londres e que servem de referência para as importações portuguesas, estão a desvalorizar 0,64% para 124,91 dólares por barril.

A justificar o alívio nos preços da matéria-prima está a Arábia Saudita. Por dois motivos.

O primeiro é que foi anunciado que a produção para venda do país asiático aumentou para o segundo nível mais alto desde, pelo menos, 1980, segundo dados citados pela agência Bloomberg.

Por outro lado, a Arábia Saudita, maior exportadora de petróleo, indicou que o seu conselho de ministros decidiu que vai procurar preços razoáveis para os consumidores, produtores e para a indústria petrolífera, de modo a restabelecer preços “justos”, indica a mesma fonte.

A Líbia também anunciou que as exportações do “ouro negro” vão regressar a níveis anteriores à guerra no mês de Abril, segundo a Reuters.

São notícias que estão a trazer um alívio aos preços do petróleo, devido a uma maior oferta. Quando mais petróleo para venda, maior a tendência para que os preços venham a cair. A matéria-prima tem estado em alta devido às tensões entre o Irão e os EUA e Europa. O Brent negociado em Londres ganha mais de 16% em 2012, o West Texas Intermediate, transaccionado em Nova Iorque, valoriza 8,7% no mesmo período.

Ver comentários
Saber mais petróleo West Texas Intermediate crude Brent do Mar do Norte Brent matérias-primas Líbia Arábia Saudita Irão
Outras Notícias