Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

OPEP mantêm estimativa de consumo para 2023, mas alerta para incertezas

Este nível de procura é 2,2% mais elevado do que em 2022, com a China e a Índia a liderar a maior parte do aumento.

Há vários fatores prontos a entrar em ação que poderão manter as cotações do “ouro negro” em alta.
Fabian Bimmer/Reuters
Lusa 17 de Janeiro de 2023 às 14:44
A OPEP manteve esta terça-feira a estimativa do consumo mundial de petróleo em 101,8 milhões de barris por dia este ano, mas avisou que esta está sujeita a várias incertezas relacionadas com as tensões geopolíticas e a evolução da pandemia.

Este nível de procura é 2,2% mais elevado do que em 2022, com a China e a Índia a liderar a maior parte do aumento.

"Contudo, esta previsão está sujeita a muitas incertezas, incluindo a evolução económica global, mudanças nas políticas da covid-19 e tensões geopolíticas em curso", referem os analistas da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) no relatório mensal de janeiro, hoje publicado em Viena.

Entre os países industrializados da Europa, América e Ásia, que são membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), a OPEP prevê um crescimento da procura em 2023 de apenas 0,72%, menos de um terço do aumento do ano passado.

Relativamente à Europa, o relatório adverte que a inflação está a aumentar o risco de uma recessão e que a procura de petróleo bruto poderá estagnar nos dois primeiros trimestres do ano.

Nos EUA, o crescimento da procura no primeiro e segundo trimestres do ano será impulsionado principalmente por gasóleo e combustível para aviões a jato.

Apesar da incerteza sobre a procura dos desenvolvimentos da covid-19, a OPEP espera que a procura na China suba 3,48% para 15,27 milhões de barris de petróleo bruto por dia, consolidando a sua posição como o segundo país produtor de petróleo mais sedento do mundo, depois dos Estados Unidos.

"A procura chinesa de petróleo está, evidentemente, no bom caminho para recuperar devido ao recente relaxamento das medidas do país para travar a covid-19, e o Produto Interno Bruto (PIB) do país deverá crescer 4,8% em 2023", espera a OPEP.

O país, juntamente com a Índia, consumirá 20% do petróleo extraído em 2023.

Para a América Latina, a OPEP espera um abrandamento do crescimento económico, sendo o Brasil e a Argentina os países que irão impulsionar o aumento da procura, que deverá crescer 2,29% em toda a região em comparação com 2022.


Ver comentários
Saber mais OPEP China Índia América Latina Europa energia petróleo
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio