Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Abertura dos mercados: Tensões em Hong Kong e dados económicos na mira dos investidores

Os protestos pró-democracia em Hong Kong, bem como, alguns dados económicos vão marcar o dia nos mercados financeiros.

Ana Laranjeiro alaranjeiro@negocios.pt 30 de Setembro de 2014 às 08:12
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Em Hong Kong a população está nas ruas. Os protestos a favor da democracia nas ruas destas antiga colónia britânica estão a subir de tom. Os manifestantes clamam pela não desvirtuação do acordo sino-britânico que firmou a transferência da soberania de Hong Kong do Reino Unido para a China. Inglaterra lembra que é importante a "manutenção dos direitos" destas populações. Pequim avisa para que nenhum país se meta numa questão que diz respeito apenas à China, a segunda maior economia do mundo.

 

Os investidores estão atentos, nomeadamente na Ásia, a estas tensões. O MSCI Ásia Pacífico recua 0,6%. E os principais índices bolsistas japoneses encerraram no vermelho. O Nikkei recuou 0,84% e o Topix desceu 0,82%.

 

A contribuir para esta tendência está também um dado económico relativo à economia chinesa. O índice de gestores de compras (PMI, na sigla em inglês) na China caiu face à leitura preliminar divulgada na semana passada, a 23 de Setembro, que apontava para os 50,5 pontos em Setembro. Assim, e de acordo com dados divulgados esta terça-feira, 30 de Setembro, o índice PMI situou-se nos 50,2 pontos, o mesmo valor registado em Agosto.

 

Também esta terça-feira foi revelado que o fortalecimento da recuperação da economia britânica atingiu o seu limite no que diz respeito a melhorar a confiança dos consumidores, de acordo com os dados da GfK NOP, citados pela Bloomberg.

 

Por outro lado, vai ser revelado esta terça-feira a taxa de desemprego entre os países da união monetária em Agosto. E na Alemanha será também divulgada a taxa de desemprego mas no mês de Setembro. A estimativa é que tenha se situado nos 6,7%, o mesmo valor que em Agosto. Já esta manhã foi divulgado que as vendas a retalho na economia alemã, a maior da Zona Euro subiram 2,5% em Agosto. Este crescimento não era esperado e ajuda a afastar alguns receios de que esta economia esteja a atravessa uma fase de abrandamento do ritmo de crescimento.

 

Por cá, o Instituto Nacional de Estatística (INE) vai revelar as vendas a retalho em Agosto, bem como, a produção industrial.

 

E do outro lado do Atlântico, os dados da confiança dos consumidores norte-americanos serão conhecidos. As estimativas apontam para que este indicador se tenha mantido nos 92,4 pontos em Setembro. Este valor está próximo de um máximo de sete anos, reflectindo a cada vez maior confiança face à recuperação económica dos EUA.

 

Esta manhã, no mercado cambial, o euro ganha terreno face à moeda norte-americana. O euro soma 0,04% para 1,2690 dólares.

 

Quanto ao petróleo, os preços da matéria-prima estão a subir ligeiramente nos mercados internacionais. O West Texas Intermediate soma 0,07% para 94,64 dólares por barril e o Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações portuguesas, soma 0,08% para 97,28 dólares por barril.

Ver comentários
Saber mais abertura de mercado petróleo euro hong Kong
Outras Notícias