Petróleo AIE: Procura forte mantém petróleo a caminho do equilíbrio

AIE: Procura forte mantém petróleo a caminho do equilíbrio

A procura de petróleo este ano deverá ser mais forte do que o esperado, diminuindo o excedente no mercado, antecipa a Agência Internacional de Energia. Contudo, a OPEP continua a aumentar a produção.
AIE: Procura forte mantém petróleo a caminho do equilíbrio
Bloomberg
Vera Ramalhete 12 de maio de 2016 às 10:16

A Agência Internacional de Energia (AIE) prevê uma redução acentuada do excedente de petróleo acumulado no mercado, este ano. A perspectiva da continuação de um forte crescimento da procura deverá levar as reservas de petróleo a caírem de 1,3 milhões de barris por dia no primeiro semestre para 0,2 milhões na segunda metade do ano, indica o relatório mensal. A Índia é a nova China em termos de consumo de petróleo, diz a AIE.

"As alterações nos dados no relatório deste mês confirmam a direcção da viagem do mercado do petróleo para o equilíbrio", escreve a AIE, no relatório mensal, publicado esta quinta-feira. A agência reviu em alta a procura no primeiro trimestre para 1,4 milhões de barris, "motivada pelos fortes ganhos na Índia, China e mais surpreendentemente, a Rússia".  

A manter-se esta tendência, a AIE admite rever também em alta as perspectivas para o segundo semestre. Prevê-se assim que "o excedente do mercado encolha dramaticamente no final do ano", escreve o organismo que aconselha 19 países industrializados em temas energéticos.

As reservas na OCDE aumentaram ao ritmo mais lento desde o último trimestre, indica ainda a AIE. A agência destaca o crescimento do consumo na Índia, que "está a substituir a China no lugar de maior mercado em crescimento para o petróleo".

Irão surpreende

Do lado da produção, a oferta de petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) voltou a aumentar, compensando a redução fora do grupo. "A produção e exportação da produção de petróleo do Irão aumentou ligeiramente acima do esperado, após o fim das sanções", indica o relatório. O país produziu 3,56 milhões de barris por dia, em Abril, um máximo de Novembro de 2011.

O Irão, os Emirados Árabes Unidos e o Iraque compensaram a queda no Kuwait e Nigéria, levando a OPEP a produzir 32,76 milhões de barris por dia, em Abril. Deverá continuar a oferecer um excesso de 500 mil barris diários este ano.

Fora da OPEP pelo contrário a produção deverá continuar a recuar. O incêndio no Canadá afectou a produção em 1,2 milhões de barris, mas a duração do impacto é ainda desconhecida, nota a AIE.

Após a publicação do relatório, o petróleo está a apreciar nos mercados internacionais. O Brent, negociado em Londres, segue a apreciar 0,48% para 47,82 dólares por barril. Em Nova Iorque, o West Texas Intermediate (WTI) avança 0,74% para 46,57 dólares por barril, próximo de máximos de seus meses. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI