Petróleo BNP Paribas: Petróleo tem de afundar até 20 dólares para ser competitivo na mobilidade

BNP Paribas: Petróleo tem de afundar até 20 dólares para ser competitivo na mobilidade

Tendo em conta a progressiva projeção das energias renováveis, os economistas do BNP Paribas Asset Management anteveem tempos difíceis para o "ouro negro".
BNP Paribas: Petróleo tem de afundar até 20 dólares para ser competitivo na mobilidade
Bloomberg
Negócios 30 de agosto de 2019 às 15:07

Os preços do barril de petróleo terão de descer entre 10 e 20 dólares para que a matéria-prima se mantenha competitiva no que toca ao setor da mobilidade, afirma o BNP Paribas Asset Management num relatório.

Tendo em conta as mudanças "muito dramáticas" na forma como as energias renováveis estão a evoluir, e de mãos dadas com os veículos elétricos, o BNP Paribas antevê que seja necessária uma adaptação do petróleo para se manter relevante no que toca à mobilidade, disse o autor do relatório, Mark Lewis, à CNBC.

Esta visão é, contudo, uma visão de longo-prazo e que, para se concretizar, necessita que exista uma grande evolução no armazenamento das energias renováveis, esclarece o mesmo economista. Apesar dos obstáculos, as energias limpas afirmaram-se como "disruptivas, de uma maneira que ninguém previa", sublinha.

As previsões do BNP surgem numa altura em que a Agência Internacional de Energia nota uma "expansão a um ritmo rápido da mobilidade elétrica". Os dados divulgados pela agência, relativos a 2018, dão conta de um aumento de 2 milhões para os 5,1 milhões de veículos elétricos no período de um ano.

O barril de Brent, negociado em Londres e referência para a Europa, está a descer 0,21% para os 60,95 dólares e o "irmão" West Texas Intermediate, cotado em Nova Iorque, acompanha com uma quebra de 0,49% para os 56,42 dólares.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI