Mundo Condenado à morte empresário que ajudou Irão a contornar sanções

Condenado à morte empresário que ajudou Irão a contornar sanções

Babak Zanjani, que ajudou o Irão a escapar às sanções internacionais sobre o petróleo durante a presidência de Mahmoud Ahmadinejad (na foto), foi condenado a pena capital por crimes de corrupção.
Condenado à morte empresário que ajudou Irão a contornar sanções
Andrew Harrer/Bloomberg
Negócios 07 de março de 2016 às 16:41

Um tribunal do Irão condenou à morte o empresário Babak Zanjani e dois cúmplices seus por crimes de corrupção, num caso que tem sido observado de perto devido ao papel do empresário nos esquemas do Governo para escapar às sanções internacionais sobre o petróleo.

 

Zanjani foi preso em Dezembro de 2013 depois de ser acusado de desviar milhares de milhões de dólares de receitas provenientes do petróleo de empresas como a National Iranian Oil Company (NIOC).

 

O tribunal iraniano acusou os réus de "espalharem a corrupção na Terra", um crime capital, e condenou-os ainda ao pagamento de uma multa equivalente a um quarto do montante total dos "desvios".

 

"O tribunal de primeira instância condenou os três réus à morte", anunciou Gholam Hossein Mohseni Ejei, porta-voz do tribunal, numa conferência de imprensa, transmitida na televisão.

 

Segundo o The Guardian, Zanjani foi o responsável pelo estabelecimento de inúmeros contratos de petróleo, de milhares de milhões de dólares, através de uma rede de empresas que se estende da Turquia à Malásia e aos Emirados Árabes Unidos. O empresário de 42 anos diz-se inocente e pode recorrer da decisão do tribunal.

 

Quando foi detido, no final de 2013, uma porta-voz do tribunal referiu que "ele recebeu fundos de certos organismos… e recebeu petróleo e outros carregamentos, e não devolveu os fundos". O tribunal acusou Zanjani de dever ao Governo mais de 2,7 mil milhões de dólares (2,45 mil milhões de euros) da matéria-prima vendida em nome do Ministério do Petróleo.

 

Zanjani, considerado um dos mais ricos empresários do Irão, está na lista negra dos Estados Unidos e da União Europeia por ter ajudado o país a contornar as sanções internacionais durante a presidência de Mahmoud Ahmadinejad (na foto).

 

A partir do Dubai, Zanjani controlava uma rede global de mais de 60 empresas que actuavam em diversas áreas, desde a cosmética à banca e ao transporte aéreo.

 

A sua detenção aconteceu depois de o presidente Hassan Rouhani ter assumido o poder e dado início a uma caça às elites que utilizaram as sanções internacionais à economia para benefício próprio. O embargo foi levantado em Janeiro, depois do acordo alcançado entre Teerão e seis potências mundiais que procuravam retardar o desenvolvimento do programa nuclear iraniano.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI