Petróleo OPEP estima valorização do petróleo até final do ano

OPEP estima valorização do petróleo até final do ano

O cartel agendou uma reunião informal para o próximo mês de Setembro, na Argélia, e espera uma recuperação dos preços do petróleo na segunda metade do ano, já que a queda recente é "temporária".
OPEP estima valorização do petróleo até final do ano
Bloomberg
Nuno Carregueiro 08 de agosto de 2016 às 11:24

A queda recente dos preços do petróleo foi apenas "temporária" e as cotações vão recuperar na parte final do ano. A expectativa é da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), que agendou uma reunião informal para o próximo mês (de 26 a 28 de Setembro), a decorrer na Argélia.

 

"A expectativa de uma procura mais elevada de crude no terceiro e quarto trimestres de 2016, conjugada com uma descida da oferta, está a levar os analistas a concluir que o actual ‘bear market’ é apenas temporário e o preço do petróleo vai subir na parte final de 2016", referiu Mohammed Al Sada, ministro da Energia do Qatar, que assume actualmente a presidência da OPEP.   

 

Na semana passada o petróleo registou fortes quedas, entrando em "bear market" (queda de 20% face ao máximo), colocando um ponto final na recuperação que levou a matéria-prima a quase duplicar desde os mínimos que tinha fixado em Fevereiro.

 

Esta tendência negativa nas cotações renovou a pressão sobre os países mais dependentes da exportação de petróleo, que têm registado uma forte deterioração das suas contas pública devido à queda nas receitas.

 

Segundo o presidente da OPEP, os preços do petróleo têm registado uma melhoria sustentada desde a parte inicial do ano, devido à "quebra da produção, cortes nos fornecimentos e redução das reservas, enquanto a procura global melhorou nesse período".

 

De acordo com a Bloomberg, as palavras do presidente da OPEP podem ser entendidas como um alerta que o cartel poderá tomar medidas se a cotação do petróleo não estabilizar em níveis superiores.

 

Se a OPEP "vai reunir-se para anunciar algo ao mercado, terá que ser uma proposta semelhante à que foi recusada em Julho, que passe por congelar a produção", afirmou um analista à Bloomberg.

 

O Brent em Londres sobe 1,26% para 44,83 dólares e o WTI em Nova Iorque avança 1,41% para 42,39 dólares. Desde o pico atingido a 8 de Junho, altura em que tocou nos 52,51 dólares por barril, o Brent desvaloriza já mais de 15%. Os analistas do Commerzbank explicam, numa nota a investidores, que "o regresso de produção que foi temporariamente suspensa, o excesso de oferta de gasolina e a retirada de investidores financeiros resultam na pressão vendedora".  

A juntar àqueles factores, a expectativa de que a nota verde possa vir a valorizar também tem colocado pressão. "Se o dólar começar a fortalecer, poderemos caminhar para valores mais próximos de 35 dólares do que de 40 dólares", referiu Bill O’Grady, estratego de mercados da Confluence Investment Management, citado pela Bloomberg.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI