Petróleo Petróleo abaixo dos 50 dólares em Londres atinge mínimos de Novembro

Petróleo abaixo dos 50 dólares em Londres atinge mínimos de Novembro

Os preços do petróleo continuam em queda acentuada, a reflectir o aumento das reservas dos EUA, que tem anulado o impacto dos cortes entre os membros da OPEP. A matéria-prima já perde mais de 11% este ano.
Sara Antunes 22 de março de 2017 às 11:48

O Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a cair 1,47% para 50,21 dólares por barril, tendo já negociado abaixo dos 50 dólares, o que corresponde ao valor mais baixo desde 30 de Novembro, dia em que foi anunciado o acordo entre os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) sobre o corte de produção.

 

Na reunião do final de Novembro, os membros da OPEP acordaram reduzir a produção em 1,2 milhões de barris por dia, algo que entrou em vigor no arranque de 2017. O petróleo reagiu em alta, com a perspectiva de menos matéria-prima no mercado.

 

Contudo, os últimos dados têm mostrado um aumento das reservas dos EUA, de forma consistente, o que tem elevado a especulação de que a produção americana estará a travar o impacto dos cortes dos membros da OPEP.

 

Os EUA vão divulgar esta quarta-feira, 22 de Março, a evolução das reservas de petróleo na semana passada, com os analistas consultados pela Bloomberg a apontarem para um aumento de três milhões de barris de petróleo para um total de 531,2 milhões. As reservas do país aumentaram cerca de 49 milhões de barris desde o início do ano.

 

A juntar-se a este contexto, a Arábia Saudita revelou que voltou a aumentar produção em 10 milhões de barris por dia, em Fevereiro, anulando assim parte do corte realizado em Janeiro, no âmbito do acordo com a OPEP. Ainda assim, na altura a Arábia Saudita fez um corte maior do que aquele com que se tinha comprometido.



(notícia actualizada às 14:50 com cotação do Brent abaixo dos 50 dólares)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI