Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Petróleo cai mais de 1% após dados do PIB chinês

Os preços do petróleo estão a recuar nos mercados internacionais num dia em que foram revelados os dados do PIB chinês. A economia chinesa cresceu 6,9% no trimestre terminado em Setembro,

Reuters
Ana Laranjeiro alaranjeiro@negocios.pt 19 de Outubro de 2015 às 11:59
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

Os preços do petróleo estão a recuar nos mercados internacionais. O West Texas Intermediate (WTI), transaccionado em Nova Iorque, desce 1,02% para 46,78 dólares por barril. O crude está a negociar abaixo da fasquia dos 50 dólares por barril desde 8 de Outubro, antes disso, a última vez que o WTI esteve abaixo dos 50 dólares foi em Julho. Os sinais de excesso de oferta da matéria-prima nos mercados internacionais continuam a existir e o mercado antecipa que vão apenas dissipar-se gradualmente.

De acordo com a Bloomberg, o índice que mede a volatilidade dos preços do petróleo (o Chicago board options exchange crude oil volatility index), caiu para os 39,58 pontos, o valor mais baixo desde 18 de Agosto. Este dado está também a captar a atenção dos investidores.

O Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações nacionais, perde 1,31% para 49,80 dólares por barril.


Ainda a marcar a negociação do petróleo estão os dados relativos ao produto interno bruto (PIB) da China. A economia chinesa cresceu 6,9% no trimestre terminado em Setembro, quando comparado com o ano passado, um valor que superou as estimativas dos economistas consultados pela Bloomberg que antecipavam um crescimento de 6,8%.

Porém, este é o ritmo mais moderado da expansão económica da China desde o primeiro trimestre de 2009. A contribuir para os dados do PIB esteve o sector dos serviços, que registou um crescimento de 8,4%. A Bloomberg realça que os dados do consumo também foram positivos, impulsionando a segunda maior economia do mundo.


Do lado oposto esteve o sector da indústria, cuja produção aumentou 5,7% quando os economistas previam um crescimento de 6%, em Setembro quando comparado com o mesmo período do ano passado. Já as vendas a retalho aumentaram 10,9%, o que compara com uma previsão de crescimento de 10,8%.


Em relação a estes números, os investidores poderão estar a prestar atenção à produção industrial, cujo crescimento ficou aquém do estimado. É que um eventual abrandamento da indústria poderá significar menos consumo, o que poderá fazer crescer o excedente de oferta já existente.

 

Ver comentários
Saber mais petróleo Brent do Mar do Norte West Texas Intermediate PIB da China economia chinesa
Outras Notícias