Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Petróleo cai mais de 1,5% à espera da conclusão das negociações sobre programa nuclear iraniano

Os preços do petróleo nos mercados internacionais estão a cair mais de 1,5%. Esta evolução tem lugar numa altura em que as negociações sobre o programa nuclear iraniano prosseguem.

Reuters
Ana Laranjeiro alaranjeiro@negocios.pt 30 de Março de 2015 às 16:41
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Os preços do petróleo estão a cair nos mercados internacionais, pressionados pelas negociações em torno do programa nuclear iraniano. Destas negociações podem sair decisões que impulsionem as exportações de crude iraniano, o que vai aumentar mais o excesso de oferta que se considera existentir a nível mundial.

 

Por esta altura, o West Texas Intermediate, negociado em Nova Iorque, desce 1,76% para 48,01 dólares por barril. E o Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações nacionais, recua 1,51% para 55,56 dólares por barril.

 

Os diplomatas da Alemanha, Reino Unido, França, Estados Unidos da América, China e Rússia estão reunidos esta segunda-feira, 30 de Março, na cidade suíça de Lausanne. Pretendem estabelecer um princípio de acordo que permita enquadrar o que se pretende ser um acordo final, a alcançar até ao final do próximo mês de Junho, sobre o programa nuclear iraniano. As cedências de Teerão serão acompanhadas pelo levantamento de parte das sanções económicas aplicadas pela comunidade internacional ao longo dos últimos anos e que vêm penalizando fortemente a economia iraniana.

 

E se estas sanções forem levantas, Teerão pode, segundo o ministro do petróleo iraniano citado pela Bloomberg, aumentar as suas exportações de crude em um milhão de barris por dia. A verificar-se, isto vai assim agravar o excedente de oferta de "ouro negro" a nível mundial.

 

Para John Kildiff, da nova-iorquina Again Capital, "enquanto as negociações continuarem o mercado vai estar a ser conduzido" pelas manchetes. As negociações têm sofrido avanços e recuos nas últimas semanas.

 

"Algo semelhante acontece com os encontros da OPEP [Organização dos Países Exportadores de Petróleo]. Um ministro fala para as câmaras de televisão e o mercado movimenta-se", acrescenta.

 

Petrolíferas dos Estados Unidos emitem valor recorde em acções

 

Com a queda dos preços do petróleo, as petrolíferas tiveram que aumentar o seu financiamento, para equilibrar as contas. Segundo o Financial Times (FT), no primeiro trimestre de 2015, as pequenas e médias empresas norte-americanas do sector, optaram principalmente pela colocação de novas acções, em detrimento da emissão de obrigações.

 

As pequenas e médias empresas de exploração e produção de petróleo, incluindo as empresas de petróleo de xisto betuminoso, obtiveram 10,8 mil milhões de dólares (9,95 mil milhões de euros) no primeiro trimestre de 2015 através da emissão de acções, um valor recorde no sector.

 

Segundo o FT, 22 empresas optaram por esta forma de financiamento, face a 11 empresas que recorreram à emissão de dívida, num valor de 9,08 mil milhões de dólares (9,03 mil milhões de euros). As fusões e aquisições neste sector, pelo contrário, diminuíram para o valor mínimo desde 2007.

Ver comentários
Saber mais petróleo Organização dos Países Exportadores de Petróleo Teerão OPEP Irão programa nuclear iraniano Teerão
Outras Notícias