Mercados num minuto Abertura dos mercados: Ações, obrigações e petróleo em alta com foco em novo corte da Fed

Abertura dos mercados: Ações, obrigações e petróleo em alta com foco em novo corte da Fed

As bolsas europeias estão a negociar em alta neste arranque de semana, assim como as obrigações e o petróleo, com o mercado a antecipar um novo corte de juros por parte da Fed, e já de olho nas negociações entre a China e os EUA, que serão retomadas esta semana.
Abertura dos mercados: Ações, obrigações e petróleo em alta com foco em novo corte da Fed
Reuters
Rita Faria 07 de outubro de 2019 às 09:18

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,03% para 4.906,18 pontos

Stoxx 600 ganha 0,35% para 381,54 pontos

Nikkei desvalorizou 0,16% para 21.375,25 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos recuam 0,8 pontos para 0,123%

Euro cai 0,05% para 1,0973 dólares

Petróleo em Londres sobe 0,15% para 58,46 dólares o barril

 

Bolsas europeias em alta ligeira

As bolsas europeias estão a negociar em alta ligeira esta segunda-feira, 7 de outubro, animadas pela crescente expectativa de que a Fed vai anunciar outra descida dos juros este mês, e pela aproximação das negociações entre a China e os Estados Unidos, no final desta semana.

 

Apesar dos relatos de que as autoridades chinesas estão relutantes em assinar um acordo abrangente com os Estados Unidos, como pretende o presidente Trump, Pequim tem mostrado disponibilidade para aumentar a compra de produtos norte-americanos, como soja e carne de porco, o que alimenta as esperanças de um entendimento entre os dois países.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,35% para 381,54 pontos, numa altura em que a maioria dos índices segue com sinal verde, à exceção do francês CAC40 e do português PSI-20.

 

O principal índice nacional desce, nesta altura, 0,03% para 4.906,18 pontos, penalizado sobretudo pela Galp Energia, que recua 0,79% para 13,265 euros, e pela Altri, que cede 2,5% para 5,45 euros.

 

Juros portugueses descem após subida de rating da DBRS

Os juros da dívida portuguesa estão a descer depois de a DBRS ter subido o rating de Portugal na passada sexta-feira. O "rating" passou de "BBB" para "BBB Alto", ou seja, passou do segundo nível acima da classificação de "lixo" (investimento especulativo) para o terceiro. A perspetiva do "rating" passou de "positiva" para "estável" e fica agora apenas a um patamar de atingir a classificação A.

 

A yield associada às obrigações portuguesas a dez anos recua 0,8 pontos para 0,123%, acompanhando a tendência registada na maioria dos países do euro. Em Espanha, os juros a dez anos caem 1,1 pontos para 0,114%, em Itália deslizam 2 pontos para 0,810% e na Alemanha aliviam 0,5 pontos para -0,595%.  

 

Dólar sobe após quatro sessões de perdas

O índice que mede a evolução do dólar face às principais congéneres mundiais está a negociar em alta depois de quatro sessões consecutivas de perdas, em que foi penalizado pela crescente expectativa de que a Fed vai voltar a descer os juros na reunião deste mês. Depois dos dados desapontantes sobre a evolução da indústria e dos serviços, no final da semana passada foi revelado que as contratações ficaram aquém do previsto e que a subida dos salários desacelerou, apesar de a taxa de desemprego ter atingido o valor mais baixo desde 1969.

 

Nesta altura, o dólar sobe 0,14% enquanto a moeda única europeia cai 0,05% para 1,0973 dólares.

 

Petróleo sobe pela segunda sessão

O petróleo está a negociar em alta ligeira pela segunda sessão consecutiva, depois de uma série de perdas que o levaram a completar, na sexta-feira, a maior descida semanal desde julho.

 

A matéria-prima tem sido penalizada pelos dados que apontam para uma desaceleração da economia mundial, que deverá pressionar a procura por petróleo.

 

Nesta altura, o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, avança 0,32% para 52,98 dólares, enquanto o Brent, transacionado em Londres, sobe 0,15% para 58,46 dólares.

 

Ouro em baixa ligeira

O ouro segue em baixa ligeira, numa altura em que o mercado já está focado nas negociações entre a China e os Estados Unidos que serão retomadas no final desta semana, em Washington.

 

O metal precioso desce 0,16% para 1.502,14 dólares.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI