Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Abertura dos mercados: Bolsa grega sobe mais de 2% após acordo no Eurogrupo. Petróleo ganha em dia de reunião da OPEP

Após o acordo no Eurogrupo para a saída da Grécia do programa de ajustamento, a bolsa de Atenas sobe mais de 2%. O sentimento positivo está em praticamente toda a Europa. Já no "ouro negro" espera-se um acordo da OPEP.

Os investidores que prefiram ficar longe do sobe e desce do mercado podem privilegiar uma abordagem mais defensiva. Os fundos multiactivos podem ser uma boa alternativa para quem pretende obter retornos, mas não quer assumir riscos demasiado elevados.

Os fundos multiactivos ajustam-se a praticamente todos os investidores, uma vez que existem produtos com uma estratégia de investimento mais defensiva, equilibrada e agressiva. Apesar da instabilidade registada nos mercados accionistas nas últimas semanas, são os multiactivos agressivos, com maior exposição ao mercado accionista, que apresentam as melhores rendibilidades. Rendem, em média, 0,9% nos últimos três meses. Já os fundos que privilegiam uma estratégia mais equilibrada somam 0,81%, segundo os dados da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Património (APFIPP).

Ao investirem em diversas classes de activos, estes produtos de poupança reduzem o risco resultante de oscilações bruscas nos mercados financeiros. Ou seja, se as bolsas mundiais registarem quedas acentuadas enquanto está a banhos, a exposição a outros activos, como a dívida ou cambial, vai atenuar o efeito negativo das acções na carteira. No entanto, caso os problemas nos mercados aliviem e as bolsas registem subidas elevadas, esses fundos não irão obter retornos tão expressivos.
Reuters
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

Os mercados em números

PSI-20 sobe 1,01% para 5.527,04 pontos

Stoxx 600 valoriza 0,36% para 382,421 pontos

Nikkei desvalorizou 0,78% para 22.516,83 pontos

"Yield 10 anos de Portugal recua 2 pontos base para 1,826%

Euro valoriza 0,43% para 1,1653 dólares

Petróleo sobe 1,26% para 73,97 dólares por barril em Londres

Bolsa grega sobe mais de 2% após acordo no Eurogrupo

Uma das notícias que marca o dia na Europa é o acordo alcançado no Eurogrupo para a Grécia. Após oito anos de programa de ajustamento, os gregos vão dizer oficialmente adeus à troika em Agosto, mas a monitorização apertada vai continuar.

 

Antes de sair do programa, a Grécia vai receber uma última tranche de 15 mil milhões de euros e ainda medidas de alívio para a dívida grega. O objectivo é que o país esteja preparado para regressar aos mercados.

O PSI-20, que estava a cair há três sessões consecutivas, está a valorizar esta sexta-feira mais de 1%. A mesma tendência positiva regista-se em toda a Europa, especialmente na bolsa de Atenas que sobe mais de 2%. O índice de referência Stoxx 600 está a subir 0,36% para os 382,421 pontos. 

Juros da dívida corrigem em Portugal e Itália 

Os juros das obrigações soberanas de Portugal e Itália estão a corrigir da forte alta da véspera, que foi motivada por nomeações do Governo de Giuseppe Conte, que fizerem regressar os receios com o compromisso do Governo italiano com o projecto europeu.

 

A "yield" das obrigações italianas a 10 anos cede 6 pontos base para 2,67%, depois de ontem terem disparado 18 pontos base. O juro dos títulos de Portugal com a mesma maturidade recua 2 pontos base para 1,826%, depois de ontem ter aumentado 10 pontos base. Em sentido contrário, os juros da Alemanha avançam 1,8 pontos base para 0,35%.

Grécia também impulsiona euro

O euro está a terminar a sessão em alta, recuperando das quedas das últimas sessões que levaram a moeda europeia a transaccionar muito perto de mínimos de 11 meses face ao dólar. O euro valoriza 0,43% para 1,1653 dólares e o índice da moeda norte-americana cai 0,2% para  1.182,08 pontos, o nível mais baixo da semana.

 

Os analistas destacam que a moeda europeia está a ser beneficiada pelo acordo alcançado no Eurogrupo, que permitiu encerrar um longo capítulo de ajuda financeira à Grécia. Além de ter sido aprovada a última tranche de 15 mil milhões de euros, foi decidida a extensão por dez anos da maturidade dos empréstimos do Mecanismo Europeu de Estabilidade Financeira e ainda um período de graça de dez anos, durante o qual a Grécia não paga nem juros, nem capital.

 

Os dados económicos positivos que foram divulgados na Europa (o índice IHS para medir a evolução da actividade económica subiu inesperadamente) também estão a dar suporte ao euro, de acordo com os analistas.

 

Petróleo sobe mais de 1%. OPEP com acordo preliminar para aumentar produção

Arranca esta sexta-feira a reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) onde se deverá chegar a um acordo para aumentar a produção. O último acordo da OPEP tendo em vista o corte de produção foi firmado no final de 2016. 

Segundo a Bloomberg, os países já alcançaram um acordo preliminar para subir a produção de petróleo, ainda que com a forte oposição do Irão que chegou mesmo a abandonar a reunião. O aumento, na teoria, passará por mais um milhão de barris por dia. Na prática, será perto de 600 mil uma vez que alguns países não têm capacidade para produzir mais.

A reunião só termina amanhã, pelo que até lá os termos do acordo ainda podem mudar. Neste contexto de incerteza sobre o futuro da produção do "ouro negro", nos mercados internacionais o petróleo sobe mais de 1%. O Brent, que serve de referência para as importações de Portugal, está a valorizar 1,26% para os 73,97 dólares. Já o WTI, negociado em Nova Iorque, sobe 1,13% para os 66,28 dólares. 

Ouro recupera de cinco sessões em queda

A alta do dólar tem penalizado a atractividade do ouro para os investidores, com o metal amarelo nos últimos tempos a perder o estatuto de activo de refúgio. Com a moeda norte-americana a aliviar na sessão desta sexta-feira, o ouro está a valorizar pela primeira vez em seis sessões. A cotação do metal precioso sobe 0,2% para 1.269,80 dólares no mercado à vista em Londres.

Ver comentários
Saber mais Mercados num minuto abertura dos mercados juros psi-20 stoxx 600 ouro euro dólar inflação dívida
Mais lidas
Outras Notícias