Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Abertura dos mercados: Bolsas e petróleo no vermelho, ouro em alta

As principais bolsas europeias estão a negociar em queda nesta que é a última sessão da semana. O euro sobe face ao dólar depois das declarações do secretário do Tesouro dos EUA.

Reuters
Ana Laranjeiro alaranjeiro@negocios.pt 24 de Fevereiro de 2017 às 09:36
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,24% para 4.623,11 pontos

Stoxx 600 perde 0,24% para 371,95 pontos

Nikkei caiu 0,45% para 19.283,54 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos subiram cedem 0,3 pontos base para 3,968%

Euro ganha 0,04% para 1,0586 dólares

Petróleo recua 0,83% para 56,11 dólares por barril em Londres

 

Bolsas europeias com sinal menos

As principais bolsas europeias estão a negociar no vermelho. O principal índice grego e o francês CAC40 lideram as quedas no Velho Continente, recuando ambos 0,61%. Milão segue esta rota, perdendo 0,53%. 

Em Lisboa, o PSI-20 desce 0,24% penalizado sobretudo pelas acções do BCP, recuam 0,80% para 14,83 cêntimos, e da EDP Renováveis, que recuam 0,54% para 6,21 euros.

O Stoxx 600 desce 0,24%, depois de no início desta semana ter 

Juros próximos dos 4%

Os juros da dívida pública portuguesa estão a negociar sem uma tendência definida no mercado secundário. A dez anos, as "yields" cedem 0,3 pontos base para 3,968% depois de esta semana o FMI e da Comissão Europeia terem deixado alguns sinais laranjas ao Governo. Ambas as instituições argumentam que a consolidação é pouco sustentável e mostra-se vulnerável a vários choques.

No caso da dívida espanhola no mesmo prazo verifica-se uma subida de 5,4 pontos base para 1,741%. E no caso da italiana, os juros exigidos pelos investidores para trocarem dívida entre si, descem 2,9 pontos base para 2,196%.

As obrigações alemãs a dez anos deslizam 2,5 pontos base para 0,208%.


O prémio de risco da dívida nacional, medido através do diferencial entre a divida nacional e a alemã, está nos 370,0
pontos


Euro com ganhos ligeiros


A moeda da Zona Euro está a registar uma valorização ligeira face ao dólar. Ganha 0,04% para 1,0586 dólares. Esta evolução do euro tem ligar numa altura em que a moeda norte-americana tem um comportamento estável face ao japonês iene depois das palavras de Steven Mnuchin, secretário do Tesouro dos Estados, Steven Mnuchin, terem sido consideradas excessivas.

O governante, citado pela CNBC, disse ontem que quer ver "uma significativa" reforma fiscal aprovada pelo Congresso antes das férias de Agosto. Este prazo pode ser difícil de conseguir dada a agenda complexa dos membros do Congresso, de acordo com a mesma fonte.


Jason Leinwand, fundador e CEO do FirstLine FX, em declarações à Reuters, apontou que "muitas pessoas esperavam que estas mudanças políticas fossem aprovadas de uma forma relativamente rápida". "O mercado está a começar a ter consciência que não vai acontecer tão rápido como o esperado", acrescentou.


Petróleo em máximos de 19 meses


Os preços do petróleo estão a negociar próximos do valor mais elevado desde Julho de 2015,. A impulsionar a cotação da matéria-prima está a especulação que os cortes levados a cabo pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) estão agora a ser sentidos no mercado norte-americano, escreve a Bloomberg.

Os dados do Governo norte-americano indicam que os inventários de crude subiram menos que o esperado na semana, isto numa altura em que as importações da matéria-prima estão a cair desde o passado mês de Novembro. O abrandamento da expansão das reservas e das importações para os EUA pode sinalizar que os cortes na produção realizados pela OPEP estão a começar a limitar o fornecimento ao nível mundial.


Ainda assim, por esta altura, os preços do petróleo estão a cair nos mercados internacionais. O barril de Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, desce 0,83% para 56,11 dólares. O West Texas Intermediate perde 0,70% para 54,07 dólares por barril.


Ouro próximo de máximos de três meses

A cotação do ouro está a subir, aproximando-se do valor mais elevado em três meses, beneficiando da desvalorização recente do dólar após as declarações do secretário do Tesouro norte-americano. Por esta altura, o ouro para entrega imediata soma 0,41% para 1.254,66 dólares por onça.

A prata está também a valorizar, subindo 0,51% para 18,2796 dólares.

Ver comentários
Saber mais abertura dos mercados juros bolsas europeias petróleo ouro prata
Mais lidas
Outras Notícias