Mercados num minuto Abertura dos mercados: Investidores esperam pela Fed e deixam bolsas sem rumo

Abertura dos mercados: Investidores esperam pela Fed e deixam bolsas sem rumo

Os investidores estão a aguardar pelo final da reunião da Fed, e posterior conferência de imprensa, para perceber se serão partilhadas pistas sobre o futuro da política monetária nos EUA. As bolsas seguem pouco definidas, o euro e os juros registam quedas muito ligeiras, enquanto o petróleo cai devido à perspectiva de aumento de produção.
Abertura dos mercados: Investidores esperam pela Fed e deixam bolsas sem rumo
EPA
Sara Antunes 13 de junho de 2018 às 09:00

Os mercados em números

PSI-20 sobe 0,05% para 5.666,03 pontos

Stoxx 600 cai 0,02% para 387,46 pontos

Nikkei valorizou 0,38% para 22.966,38 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal recua 1 ponto base para 1,977%

Euro recua 0,02% para 1,1743 dólares

Petróleo cai 0,67% para 75,37 dólares por barril

 

Bolsas europeias aguardam pela Fed

As bolsas europeias seguem pouco definidas, com os investidores a aguardarem pelo final da reunião da Reserva Federal (Fed) dos EUA. Prevê-se que seja anunciado mais um aumento de juros no país, mas os investidores estão expectantes com os sinais que serão deixados pelos responsáveis pela política monetária do país. E isto numa semana que ainda será marcada pela reunião do BCE e do Banco do Japão. 

As bolsas seguem assim com variações moderadas, com o Stoxx600, o índice que agrega as 600 maiores cotadas europeias, a descer 0,02%. Na bolsa nacional, o PSI-20 avança 0,0,5%, numa sessão em que o sector do papel volta a destacar-se com ganhos e novos máximos.

 

Juros pouco alterados em dia de leilão

As taxas de juro de Portugal seguem pouco alteradas neste arranque de sessão, num dia em que Portugal vai ao mercado financiar-se. O IGCP vai realizar um duplo leilão de dívida, com maturidade a cinco e 10 anos, tentando captar até 1.000 milhões de euros. Esta será a primeira operação desde a crise que assolou Itália e afectou a negociação dos juros dos países periféricos. E é também uma emissão realizada numa altura em que se prevê que o Banco Central Europeu (BCE) prepare os investidores para o fim do programa de compra de dívida. O banco central termina amanhã, informando posteriormente o mundo sobre as discussões e decisões. 
 

Bancos centrais condicionam mercado cambial

Os investidores estão a aguardar pelo fim da reunião da Reserva Federal (Fed) dos EUA, que esta quarta-feira, 13 de Junho, deverá anunciar o segundo aumento de juros deste ano no país. Mas mais do que a decisão sobre os juros - que os investidores já estão a antecipar - o que o mercado quer é ouvir o que os responsáveis da Fed têm para dizer, para perceber se serão deixados sinais sobre o futuro da política monetária. O euro recua 0,02% para 1,173 dólares.

 

Petróleo cai com aumento de produção no horizonte 

Rússia vai propor à OPEP e aos seus aliados que se regresse aos níveis de produção de 2016, antes de reduzirem a produção para fazer subir os preços do petróleo. A informação foi avançada pela Bloomberg, que cita fonte próxima do processo. O objectivo será aumentar, de forma progressiva a produção em 1,8 milhões de barris por dia. O aumento de produção não está a ser defendido por todos os produtores. O Iraque ainda ontem se juntou ao grupo dos países que resistem em aumentar a produção. Esta situação está a provocar uma descida dos preços do petróleo, com o barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, a cair 0,67% para 75,37 dólares. 

 

Ouro volta a diminuir com redução das tensões geopolíticas
O ouro continua a cair, a reflectia a redução das tensões geopolíticas, depois do encontro entre Donald Trump e Kim Jon-Un. Este contexto está a reduzir o apetite dos investidores por activos considerados mais seguros, usados muitas vezes como refugio, como o ouro. Este metal precioso está a perder 0,09% para 1.294,76 dólares.




pub