Mercados num minuto Abertura dos mercados: Investidores vendem ações antes de ouvir bancos centrais. Petróleo recua

Abertura dos mercados: Investidores vendem ações antes de ouvir bancos centrais. Petróleo recua

As atenções dos investidores estão centradas no Fórum do BCE em Sintra e no arranque da reunião de política monetária da Reserva Federal.
Abertura dos mercados: Investidores vendem ações antes de ouvir bancos centrais. Petróleo recua
EPA
Nuno Carregueiro 18 de junho de 2019 às 09:15

Os mercados em números

PSI-20 recua 0,44% para 5.041,62 pontos

Stoxx 600 cede 0,44% para 376,81 pontos

Nikkei desceu 0,72% para 20.972,71 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 0,5 pontos base para 0,625%

Euro valoriza 0,19% para 1,1239 dólares

Petróleo desce 0,61% para 60,57 dólares por barril em Londres 

 

Bolsas descem pela terceira sessão

As bolsas europeias negoceiam no vermelho pela terceira sessão consecutiva, com os investidores a mostrarem cautela antes de ouvirem os responsáveis dos bancos centrais dos Estados Unidos e da Zona Euro.

 

Arrancam esta terça-feira os trabalhos do sexto Fórum do Banco Central Europeu (BCE) e os investidores aguardam com expectativa as palavras de Mario Draghi, que marca presença em Sintra pela última vez como presidente do BCE. O foco maior dos investidores está contudo no noutro lado do Atlântico, já que esta terça-feira arranca a reunião de dois dias da Reserva Federal. Apesar de não se antecipar qualquer alteração na taxa de juro, os analistas esperam pela indicação de que mais responsáveis do banco central estão abertos a um corte da taxa diretora, para tentar contrariar o impacto do abrandamento global e da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. 

 

Com o setor automóvel e tecnológico a pressionar os índices, o Stoxx 600 cede 0,44% para 376,81 pontos.

 

Em Lisboa o PSI-20 também perde valor pela terceira sessão. O índice português recua 0,44% para 5.041,62 pontos e está a ser pressionado sobretudo pela Galp Energia, que cai 1,05% para 12,735 euros. A petrolífera está em mínimos de novembro de 2016, sendo que CTT e Semapa também transacionam em mínimos de pelo menos um ano.   

 

Euro ganha com perspetiva de corte a Fed 

O dólar está a perder terreno face às principais divisas mundiais, com o índice da moeda norte-americana a ceder 0,1%. Em sentido inverso, o euro valoriza 0,19% para 1,1239 dólares.

 

Muitos analistas acreditam que a Reserva Federal vai interromper a sua política de normalização de juros iniciada em finais de 2015 – e que já levou a nove subidas da taxa diretora –, podendo mesmo vir a decidir-se por uma descida muito em breve, com as ‘odds’ a apontarem para um corte de 25 pontos base da taxa dos fundos federais em julho. Esta expectativa deverá sair reforçada da reunião que termina na quarta-feira.

 

Juros da dívida em queda

Com os investidores a afastarem-se dos ativos de maior risco devido à incerteza com os bancos centrais, as obrigações soberanas voltam a negociar em alta. A "yield" da dívida portuguesa a 10 anos desce 0,5 pontos base para 0,625%, ligeiramente acima do mínimo histórico fixado na semana passada. Nas bunds alemãs a taxa de juro cede 0,7 pontos base para -0,253%.

Petróleo em Londres nos 60 dólares  

Os preços do petróleo mantêm a tendência negativa das últimas sessões, refletindo a aparente divisão entre os países produtores (OPEP e Rússia) em prolongar os cortes de produção, isto numa altura em que se acentuam os sinais de abrandamento da economia mundial.

 

O Brent em Londres desce 0,61% para 60,57 dólares e o WTI em Nova Iorque recua 0,48% para 51,68 dólares.

 

Ouro corrige de ganhos

O ouro está a negociar em baixa, depois de ter superado os 1.350 dólares por onça, na semana passada, impulsionado pela crescente tensão entre os Estados Unidos e o Irão. Esta terça-feira, o metal amarelo desce pela segunda sessão, negociando nos 1.339,02 dólares por onça.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI