Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia
Ao minuto11.06.2021

Europa sobe pela quarta semana e marca novos recordes. Petróleo soma e segue

Acompanhe aqui o dia nos mercados.

Reuters
Negócios 11 de Junho de 2021 às 17:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
11.06.2021

Europa sobe pela quarta semana e marca novos recordes

As bolsas europeias encerraram em terreno positivo, com os setores cíclicos a liderarem os ganhos devido à expectativa de um prolongamento das generosas medidas de apoio por parte dos decisores políticos, apesar da subida da inflação.

 

O índice que agrega as 600 maiores cotadas da região estabeleceu um novo máximo histórico, pela sexta sessão consecutiva, e marcou a quarta semana consecutiva de saldo no verde.

 

O Stoxx 600 encerrou a somar 0,68%, para 457,64 pontos, o que constituiu um recorde de fecho. Durante a sessão chegou a negociar nos 457,87 pontos, um máximo de sempre.

 

Os setores cíclicos tiveram o melhor desempenho, liderados pelos títulos mineiros, com os investidores a apostarem numa recuperação das economias a par com a manutenção dos estímulos.

 

Os títulos cíclicos, como os financeiros, industriais e da energia, são sempre beneficiados com a expectativa de retoma económica.

 

O setor mineiro ganhou 1,9%, especialmente devido à escalada dos preços do minério de ferro, cobre e aço, numa altura em que a recuperação e a reabertura das economias começa a reforçar a procura por estes metais.

 

Já a valorização das ações da Renault ajudou a impulsionar o setor automóvel, que somou 1,5%.

 

No vermelho esteve apenas um setor, o do imobiliário.

 

Entre os principais índices da Europa Ocidental, o alemão Dax subiu 0,8%, o italiano FTSEMIB ganhou 0,3%, o francês CAC-40 valorizou 0,8%, o espanhol IBEX 35 avançou também 0,8 e o britânico FTSE 100 pulou 0,7%. Em Amesterdão, o AEX registou um acréscimo de 0,4%.

11.06.2021

Juros de Portugal aliviam para mínimos desde abril

As garantias deixadas pelo BCE de que irá manter um ritmo elevado de compra de ativos aliviou os juros da dívida soberana dos países da Zona Euro, com particular incidência nos países do sul, como Portugal, Espanha e Itália.

A yield da dívida portuguesa a 10 anos recua 3,2 pontos base para os 0,353%, o valor mais baixo em dois meses. Também os juros da dívida espanhola na mesma maturidade aliviam 2,7 pontos base, para 0,358%.

A dívida italiana foi a que registou uma maior descida na yield: 4,6 pontos base, para os 0,748%.

Já na Alemanha, as bunds viam os juros baixar 1,2 pontos base, para os -0,269%.

11.06.2021

Inflação faz recuar preço do ouro

O ouro perdia esta tarde valor à boleia das análises da Reserva Federal americana sobre a inflação.

O metal precioso cotava esta tarde nos 1.883,90 dólares por onça, 0,77% abaixo do último valor de fecho.

A oscilação desta tarde sugere que os investidores estão em linha com a leitura da Fed de que a inflação atual seja fruto de causas passageiras e que as mudanças nas políticas de apoio monetário sejam feitas com alguma calma. O país registou uma subida de 0,6% dos preços em maio face ao mês anterior e uma subida homóloga de 5%.

11.06.2021

Euro inverte tendência matinal apesar de revisão em alta para a zona euro

O euro inverteu a tendência desta manhã e estava durante a tarde a perder terreno face à nota verde.

O euro cedia 0,51% do seu valor para os 1,2109 dólares.

A cotação da moeda única europeia está a cair apesar das revisões em alta do BCE para o crescimento da zona euro e a promessa de que deve manter o financiamento para contrariar os problemas impostos pela pandemia ao longo do próximo trimestre.

11.06.2021

Petróleo em novos recordes do ano com aumento da procura

O "ouro negro" prossegue o movimento de subida, animado pela retoma da procura pela matéria-prima e pelas renovadas perspetivas otimistas para o consumo: depois da OPEP ontem, hoje foi a vez de a AIE fazer o mesmo.

 

O West Texas Intermediate (WTI), "benchmark" para os Estados Unidos, para entrega em julho segue a somar 0,57% para 70,69 dólares por barril, em máximos de outubro de 2018.

 

Já o contrato de julho do Brent do Mar do Norte, crude negociado em Londres e referência para as importações europeias, avança 0,41% para 72,82 dólares, níveis que não atingia desde maio de 2019.

 

A animar os preços continuam os sinais de uma maior procura, que se prevê que prossiga ao longo do ano.

 

No relatório mensal sobre o mercado petrolífero publicado hoje, a Agência Internacional de Energia (AIE) sublinha que a procura por petróleo está a recuperar a um ritmo forte e deve atingir níveis pré-pandemia já no próximo ano.

 

Ontem, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) apontou também para uma aceleração da retoma da procura por crude na segunda metade do ano. No seu relatório mensal, o cartel confirmou assim as suas previsões para 2021 de aumento da procura mundial em seis milhões de barris por dia, para 96,58 milhões de barris diários.

 

Esta é a terceira semana consecutiva de subida dos preços do petróleo, com a ajuda das expectativas em torno do maior consumo de combustíveis nos EUA, Europa e China, numa altura em que o aumento do ritmo de vacinações contra a covid-19 está a fazer diminuir as curvas pandémicas.

11.06.2021

S&P renova recordes na abertura com confiança na Fed

A abertura de Wall Street foi marcada pela confiança dos investidores de que a Fed vai manter os apoios à economia apesar da aceleração da inflação. 

O Dow Jones arrancou a ganhar 0,33%, para os 34.578,60 pontos, enquanto o S&P 500 avançava 0,15%, para 4.245,37 pontos, superando o máximo de fecho da véspera. 

O Nasdaq Composite subia apenas 0,07%, para os 14.029,61 pontos.

Os investidores optaram por se focar no caráter transitório da subida dos preços, associada à reabertura da economia, aceitando a mensagem da Reserva Federal de que a elevada inflação será passageira e que, portanto, não implica uma alteração no curto prazo das políticas monetárias.



Global stocks eyed another record high and
U.S. index futures rose amid growing confidence inflation will
prove transitory, leaving scope for continued central-bank
support.

11.06.2021

Europa avança para sexta sessão de ganhos

A Europa avança para a sexta sessão consecutiva de ganhos, num dia em que as ações estão a negociar num novo máximo histórico. 

O Stoxx 600, o índice de referência no velho continente, está a valorizar 0,28% na sessão desta sexta-feira, com as cotadas ligadas ao setor das telecomunicações e saúde a liderar os ganhos esta manhã. 

As principais praças europeias estão pintadas de verde, com destaque para o espanhol IBEX 35, que ganha 0,71%. Também o francês CAC40 está a subir, com uma valorização de 0,41%. O inglês FTSE 100 aprecia 0,52% e o alemão DAX segue inalterado. 

O PSI-20 também acompanha a tendência positiva das praças europeias, ao avançar 0,37%, impulsionado pelas subidas da Sonae e das cotadas do setor da energia, com destaque para a EDP e EDP Renováveis.

11.06.2021

Juros de Portugal em mínimo de dois meses

Os juros da dívida soberana portuguesa estão em queda, negociando no valor mais baixo em quase dois meses no prazo de referência. A yield associada às obrigações a dez anos cai 2,2 pontos base para 0,363%, o valor mais baixo desde 14 de abril.

 

A tendência de alívio estende-se à generalidade dos países do euro, com os juros de Espanha a dez anos a recuarem 2,3 pontos base para 0,362% e os da Alemanha a descer 1,7 pontos para -0,274%.

11.06.2021

Euro a avançar e dólar a cair

O euro avança ligeiramente face ao rival norte-americano na última sessão da semana. A moeda única da União Europeia está a valorizar 0,09% para os 1,2181 dólares. 

Já a libra esterlina, outra divisa de destaque no continente europeu, está a desvalorizar 0,06% face à nota verde, para 1,4169 dólares. 

O dólar está a depreciar ligeiramente, com o índice que mede o desempenho da moeda norte-americana perante um cabaz composto por outras divisas a desvalorizar 0,06%.

11.06.2021

Ouro aproxima-se da fasquia dos 1.900 dólares

O ouro está a avançar ligeiramente nesta sessão, com ganhos de 0,06%, com a onça nos 1.899,57 dólares. 

Este metal precioso está a aproximar-se dos 1.900 dólares por onça, apoiado pela desvalorização do dólar, após terem sido conhecidos dados sobre a inflação nos Estados Unidos, esta quinta-feira. Os dados mostaram que o índice de preços no consumidor nos EUA voltou a subir em maio, registando a maior subida anual em quase 13 anos. 

O ouro já contabiliza ganhos de 0,5% esta semana. 

11.06.2021

Petróleo a caminho de fechar terceira semana de ganhos

O petróleo segue em alta ligeira nos mercados internacionais, a caminho de fechar a terceira semana consecutiva de ganhos.

 

Em Nova Iorque, o crude sobe 0,16% para 70,39 dólares, enquanto em Londres o Brent valoriza 0,12% para 72,61 dólares.

 

O tráfego rodoviário nos EUA e na maior parte da Europa está praticamente de volta aos níveis anteriores à pandemia, e a OPEP prevê que a recuperação global ganhará força na segunda metade do ano.

 

A Agência Internacional de Energia dará um panorama atualizado do mercado esta sexta-feira.

11.06.2021

Futuros em alta ligeira nos Estados e Europa após novos máximos

Os futuros das ações dos Estados Unidos e Europa estão em alta ligeira esta sexta-feira, apontando para a sexta sessão consecutiva de ganhos nas bolsas do Velho Continente. As ações deverão prosseguir assim a tendência positiva, depois de o Stoxx600 ter atingido ontem um novo máximo histórico, assim como o norte-americano S&P500.

Tanto os futuros do S&P500 como do Euro Stoxx 50 sobem 0,1%.

Os ganhos nas bolsas mantiveram-se mesmo depois de ter sido revelado que os preços no consumidor nos Estados Unidos aumentaram 5% em maio, face ao mesmo mês do ano passado, uma subida superior ao esperado e que traduz o crescimento de preços mais acelerado em quase 13 anos.

O otimismo do mercado sugere que as preocupações em torno da inflação aliviaram e que os investidores estão mais alinhados com a visão da Fed de que o aumento da inflação está relacionado com a reabertura das economias, devendo o seu impacto revelar-se temporário.

Na sessão asiática, o japonês Topix desceu 0,1%, o sul-coreano Kospi subiu 0,7%, o Hang Seng de Hong Kong valorizou 0,5% e o chinês Shanghai Composite caiu 0,3%.

Ver comentários
Outras Notícias