Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia
Ao minuto05.01.2021

Europa cede com aumento de casos de covid. Ouro sobe pela sexta sessão e petróleo dispara

Acompanhe aqui o dia dos mercados.

Ian Waldie/Getty Images
Ana Batalha Oliveira anabatalha@negocios.pt 05 de Janeiro de 2021 às 17:12
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
05.01.2021

Europa em leve queda com aumento de casos covid

Os principais índices europeuas terminaram o dia em queda, com o aumento do novo número de casos de covid-19 a aumentar em toda a região depois da época festiva do Natal.

O Stoxx 600 - índice que reúne as 600 maiores cotadas do "velho continente" - caiu 0,2% com o setor das "utilities" a desvalorizar 1,3%, pressionado por pesos pesados do setor como a Iberdrola ou a National Grid.

A subir esteve o setor da energia (+3,6%), com a OPEP+ a optar por não alterar o volume de produção em fevereiro. 

O foco está também no plano político, com os olhos postos nas eleições na Georgia, que serão determinantes para perceber se os Democratas ganham o Congresso norte-americano.

Uma vitória que poderia facilitar em muito a execução da agenda de Joe Biden.

05.01.2021

OPEP mantém atual produção em fevereiro e petróleo dispara

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (grupo conhecido por OPEP+) decidiu manter em fevereiro os atuais níveis de produção, o que animou as cotações da matéria-prima.

 

A OPEP+, composta pelos 13 membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e pelos seus 10 aliados, decidiu que em fevereiro não vai alterar as atuais quotas de produção, depois de no mês passado ter definido um aumento da oferta na ordem dos 500.000 barris por dia para o mês de janeiro. Resultado: as cotações da matéria-prima estão a subir, com o crude negociado nos EUA a ter superado os 50 dólares pela primeira vez em quase um ano.

 

O West Texas Intermediate (WTI), "benchmark" para os Estados Unidos, para entrega em fevereiro, que negociou no vermelho na primeira sessão do ano, segue a escalar 4,41% para 49,72 dólares por barril, mas já esteve no patamar dos 50 dólares, onde não tocava desde fevereiro do ano passado.

 

Já o contrato de fevereiro do Brent do Mar do Norte, crude negociado em Londres e referência para as importações europeias, valoriza 3,72% para 52,99 dólares.

 

A decisão tomada hoje pela OPEP+ foi a de manter a atual produção em fevereiro, podendo eventualmente vir a aumentá-la em março – tudo dependendo da retoma da atividade económica e consequente procura por combustível, algo que tem gerado maior expectativa desde que foram iniciados os programas de vacinação contra a covid-19.

05.01.2021

Ouro valoriza pela sexta sessão

O ouro está a ganhar terreno pela sexta sessão consecutiva, tendo já tocado no valor mais alto desde 9 de novembro, com uma subida de 0,13% para 1.945,44 dólares.

O ouro prolonga assim o seu forte início de ano, numa altura em que as yields reais dos EUA mais baixas e um dólar mais fraco, combinados com o aumento de casos de coronavírus estão a impulsionar a procura por este ativo de refúgio.

Ao mesmo tempo, as expectativas de inflação superaram os 2% pela primeira vez desde 2018, com a esperança de que os estímulos monetários e as políticas de apoio do governo impulsionem a procura.

05.01.2021

Juros de Portugal em queda contrariam tendência

Os juros soberanos estão a subir na generalidade dos países do euro, à exceção de Portugal, onde a yield associada às obrigações a dez anos desce 1 ponto base para -0,007%.

Na Alemanha, a referência para a região, os juros sobem 2,1 pontos para -0,586%, enquanto em Espanha avançam 0,5 pontos para 0,023%. Em Itália o agravamento é de 1,5 pontos para 0,560%.

05.01.2021

Dólar prossegue queda após mínimos de 2018

O dólar, que atingiu ontem o valor mais baixo desde abril de 2018, prolonga a descida esta terça-feira, antes de ser conhecido que partido irá controlar o Senado.

O índice que mede o desempenho do dólar face às principais congéneres mundiais está a deslizar 0,26%, dando seguimento à tendência de desvalorização que tem marcado a divisa dos Estados Unidos, que perdeu 5,5% em 2020.

05.01.2021

Wall Street anima à beira as eleições e com cotadas de telecomunicaões chinesas a disparar

A bolsa nova-iorquina abriu em alta, com as eleições para o Senado nos Estados Unidos a centrarem as atenções.

Depois de ter iniciado o ano com a maior quebra desde 2016, o S&P500 segue a subir 0,18% para os 3.707,55 pontos. O industrial Dow Jones ascende 0,19% para os 30.279,93 pontos, e o tecnológico Nasdaq soma 0,21% para os 12.724,59 pontos.

Caso a "onda azul" se torne realidade e inunde o Senado, os investidores esperam que se abram cenários de maiores estímulos, mas também mais impostos e regulação. Contudo, se os Republicanos tiverem as contas a seu favor, podem passar a ter poder para bloquear qualquer iniciativa do novo presidente, Joe Biden.

Entre as cotadas, destacam-se as empresas de telecomunicações chinesas que estiveram para ser excluídas da bolsa de Nova Iorque, mas que viram essa decisão retirada. A China Mobile sobe 11,16% para os 29,87 dólares, a China Telecom avança 10,52% para os 28,73 dólares e a China Unicom Hong Kong dispara 16,26% para os 6,40 dólares.

05.01.2021

Ouro aproxima-se de máximo de dois meses

O ouro está a cotar perto de um máximo de dois meses numa altura em que o número crescente de infeções or coronavírus no globo torna este refúgio mais atrativo. Paralelamente, o ativo "concorrente" dólar está enfraquecido, o que apela ainda mais ao ouro.

"Um dólar mais brando deu ao metal amarelo o impulso que ele asiava", escreve a Oanda Corp, citada pela Bloomberg. Esta casa de investimento acredita que "outra corrida até aos 2.000 dólares (por onça) de repente, parece só uma questão de tempo". O ouro segue a avançar 0,1% para os 1.945,67 dólares.

 

05.01.2021

Juros de Portugal interrompem ciclo de oito sessões sem subidas

Os juros a dez anos de Portugal avançam 0,6 pontos base para os 0,013%, quebrando desta forma um ciclo de oito sessões consecutivas em que esta remuneração não agravou. Espanha, que já não tinha os juros a subir há quatro sessões, soma 1 ponto base para os 0,031%.

Na referência europeia, a Alemanha, a tendência é semelhante, dado que as bunds seguem a avançar 1 ponto base para os -0,596%

05.01.2021

Dólar enfraquece com boas perspetivas económicas

O dólar continua a sua trajetória de declínio, numa altura em que as perspetivas para o futuro da economia saem melhoradas e este ativo refúgio perde o interesse.

O Bloomberg Dollar Spot Index desceu 0,3% depois de a bolsa de Nova Iorque ter decidido recuar na decisão de deixar de contar com três cotadas chinesas de telecomunicações. O euro está a valorizar ligeiramente, 0,09% para os 1,2259 dólares.

05.01.2021

Europa divide-se atenta ao Congresso norte-americano

As principais praças europeias seguem sem direção e apresentam tanto com perdas como ganhos modestos.

O clima é de incerteza de olhos postos nas eleições na Georgia, que serão determinantes para perceber se os Democratas ganham o Congresso norte-americano. Uma vitória que poderia facilitar em muito a execução da agenda de Joe Biden.

O índice que agrega as 600 maiores cotadas europeias, o Stoxx600, soma 0,22% para os 402,57 pontos. O retalho é o setor que mais soma, enquanto as utilities vão no sentido contrário. Madrid, Frankfurt, Londres e Amesterdão seguem tímidos no verde, enquanto Paris e Lisboa se ficam pelas perdas.

Desta forma, os investidores seguem com cautela mas os analistas avisam que o efeito Biden pode estar de vola aos mercados. "Caso consiga garantir um mais poder com uma vitória dupla dos democratas no dia de hoje, a probabilidade de que a administração de Biden prossiga com políticas pró-crescimento, quer seja maior financiamento o programas de vacinação, o o apoio orçamental às famílias e o investimento do governo vai subir", calcula o ING Groep.

05.01.2021

Petróleo cai enquanto OPEP discorda

O petróleo segue a tendência de queda da sessão anterior, depois de as conversações entre os membros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) terem terminado abruptamente, em desacordo sobre a política a seguir.

O barril de Brent desce 0,27% para os 50,95 dólares, em Londres, e o de West Texas Intermediate, em Nova Iorque,  cai 0,13% para os 47,57 dólares. Na sessão passada, o barril londrinho chegou a ceder mais de 2% e o nova-iorquino esteve mais próximo de perdas de 3%.

As negociações da OPEP vão ser retomadas depois de vários membros se terem recusado a aceitar a proposta da Rússia de aumentar a produção, numa altura em que a covid-19 deteriora as perspetivas da procura.

05.01.2021

Ações  hesitantes com covid-19 e eleições nos Estados Unidos a ganharem palco

As bolsas asiáticas seguiram com uma tendência pouco definida, à semelhança daquilo que indicam os futuros dos Estados Unidos.

No Japão e na Austrália registaram-se quebras de 0,2% e inferiores, enquanto Xangai e Hong Kong subiram cerca de 0,5% e na Coreia do Sul o Kospi ganhou 1,1%. Nos Estados Unidos, os contratos futuros do S&P500 mostram-se pouco alterados. Na Europa, a tendência é descendente.

Numa nota positiva, a bolsa de Nova Iorque recuou na intenção de deixar de contar com três grandes cotadas chinesas das telecomunicações: a China Mobile, a China Telecom e a China Unicom. Desta forma, decresceram os receios de tensões entre as duas maiores economias do mundo.

Hoje, os olhos estão postos nas eleições na Georgia, que deverão determinar se os Democratas irão controlar o Congresso e portanto aumentar a capacidade de cumprir com a agenda do presidente Joe Biden. Ao mesmo tempo, as infeções globais por coronavírus atingiram os 85 milhões e os casos diários nos Estados Unidos dispararam para um recorde de 300.000 após as festividades de ano novo, com a nova variante a poder significar saltos ainda maiores.

 

Ver comentários
Saber mais PSI-20 bolsa mercados Euronext cotadas empresas índice nacional Lisboa Europa Wall Street câmbio juros
Outras Notícias