Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia
Ao minuto18.10.2022

Europa fecha no verde com menor preocupação com o Reino Unido

Acompanhe aqui, minuto a minuto, o desempenho dos mercados durante esta terça-feira.

PSI-20 acentua perdas com 19 cotadas a descer
Diogo Mendo Fernandes diogofernandes@negocios.pt 18 de Outubro de 2022 às 17:49
  • Partilhar artigo
  • 12
  • ...
18.10.2022

Europa fecha no verde com menor preocupação com o Reino Unido

As bolsas europeias fecharam esta terça-feira em alta, no quarto dia de ganhos, com os setores ligados às 'commodities' a cairem e os investidores a avaliarem a volatilidade do mercado britânico.

O índice de referência, Stoxx 600, que agrega as principais empresas do bloco, avançou 0,34% para 399,84 pontos. Construção e setor automóvel tiveram os melhores desempenhos, enquanto os recursos naturais e energia foram os que mais cairam, pressionados pelos metais e pelo petróleo.

Entre os principais índices da Europa Ocidental, o alemão Dax somou 0,92%, o francês CAC-40 valorizou 0,44%, o italiano FTSEMIB avançou 1,86% e o espanhol IBEX 35 pulou 2,37%. Em Amesterdão, o AEX registou um acréscimo de 0,93%. Quanto ao britânico FTSE 100 subiu 0,24%.

As bolsas europeias têm estado sob pressão este ano devido a receios de uma iminente recessão por causa das políticas monetárias agressivas dos bancos centrais, subida de preços e crise energética.

Os ativos de risco recuperaram nos últimos dias com os investidores focados nos resultados e com um alívio das preocupações com os mercados britânicos depois de uma quase total reversão dos cortes fiscais anunciados.

"É muito cedo para dizer se esta subida vai falhar rapidamente, mas o facto de ter começado apesar da elevada inflação nos Estados Unidos é algo positivo", disse à Bloomberg Esty Dwek, do Flowbank SA.

18.10.2022

Euro avança face ao dólar. Libra perde gás

A forma de poupança mais popular em Portugal são os depósitos.

O euro segue a valorizar ligeiramente face ao dólar, estando a avançar 0,05% para 0,9847 dólares. 

Já o índice do dólar da Bloomberg – que mede a força da nota verde contra 10 divisas rivais – cede 0,03% para 112,007 pontos, tendo recuperado ligeiramente face à queda da manhã. A libra, por sua vez, que na segunda-feira ganhou fôlego à boleia do discurso do novo ministro das Finanças, Jeremy Hunt, segue agora a ceder face à nota verde e ao euro.

A moeda britânica cede 0,49% face ao dólar, estando a valer 1,1302 dólares, e perde 0,52% face à moeda única europeia. Uma libra vale agora 1,1482 euros.

18.10.2022

Petróleo cai. Refinarias indianas suspendem compra de crude russo

O petróleo segue em queda, num dia marcado pela oscilação entre ganhos e perdas, numa altura em que os investidores avaliam cenários de desaceleração económica e o desequilíbrio entre oferta e procura de barris de ouro negro.

Os últimos movimento das cotações da matéria-prima estão a ser pressionados pela notícia de que duas refinarias indianas vão interromper a compra de crude russo.

 

O West Texas Intermediate (WTI) – negociado em Nova Iorque – perde 2,32% para 83,48 dólares por barril. Já o Brent do Mar do Norte – que serve de referência para o mercado europeu – desvaloriza 1,74% para 90,03 dólares por barril.

 

As indianas Indian Oil e Bharat Petroleum suspenderam as compras de petróleo russo, até que haja clareza sobre o pacote de sanções da União Europeia contra Moscovo, o qual entrará em vigor no próximo dia 5 de dezembro. O novo pacote proíbe as seguradoras europeias de constituir apólices e prestar outros serviços ao comércio russo.

 

A Índia tornou-se um comprador fulcral de petróleo russo, à medida que se foram intensificando as sanções de Bruxelas contra o Kremlin, na sequência da invasão russa à Ucrânia.

 

 

18.10.2022

Ouro valoriza ligeiramente

O ouro segue a valorizar ligeiramente, depois de durante a manhã ter oscilado entre perdas e ganhos. Isto numa altura em que os investidores ponderam o risco real de uma recessão global, provocada pelos sucessivos aumentos das taxas de juro diretoras por parte dos bancos centrais para combater a elevada inflação.

O metal amarelo segue a valorizar 0,19% para 1.653,38 dólares por onça, ao passo que a platina avança 0,56% para 922,39 dólares e o paládio sobe 1,79% para 2.036,69 dólares.

O ouro tem sido particularmente afetado este ano, tendo caído 20% desde o pico alcançado em março, pouco depois do início da guerra. Os sucessivos aumentos das taxas de juro levaram os investidores a procurar o dólar, o que tem pressionado o metal amarelo, uma vez que este tem normalmente um desempenho contrário à nota verde.

18.10.2022

Wall Street esboça sorriso e segue época de resultados em alta

Wall Street está a caminhar sobre ganhos pelo segundo dia consecutivo, numa altura em que se desenrola a época de resultados de várias cotadas norte-americanas. Esta terça-feira foi a vez do Goldman Sachs, que registou um lucro de 3,07 mil milhões de dólares, uma queda de 43% face ao mesmo período de 2021.

No entanto, entre julho e setembro, o lucro por ação atingiu 8,25 dólares, acima dos 7,75 antecipados pelo mercado.

O banco confirmou ainda hoje a intenção de reestruturar as operações, dividindo-as em três unidades de negócio: gestão de ativos e património, mercados e banca global, e soluções em plataforma.

O "benchmark" S&P 500 ganha 2,15% para 3.757,10 pontos, após esta segunda-feira ter subido acima de um nível de suporte técnico. Já o industrial Dow Jones sobe 2,08% para 30.813,04 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq Composite cresceu 2,41% para 10.933,54 pontos, depois de ontem ter registado o maior ganho desde julho.

"Os investidores vão continuar a puxar os índices acionistas para cima, depois de terem sido atingidos mínimos de um ano no final da semana passada e o apetite pelo risco estar agora ser visto em diferentes classes de ativos", indica o analista Pierre Veyret, da ActivTrades, à Bloomberg.

Mas dado que riscos como uma elevada inflação, crescimento eoponómico mais lento e uma crise energética permanecem, esta negociação "ainda é vista como uma correção técnica", acrescenta.

18.10.2022

Taxas Euribor caem a três meses e sobem a 6 e 12 meses para novos máximos

As taxas Euribor desceram hoje a três meses e subiram a seis e a 12 meses para novos máximos, desde respetivamente fevereiro e janeiro de 2009.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno positivo em 06 de junho, avançou hoje, para 2,038%, mais 0,006 pontos e um novo máximo desde fevereiro de 2009.

A média da Euribor a seis meses subiu de 0,837% em agosto para 1,596% em setembro.

A Euribor a seis meses esteve negativa durante seis anos e sete meses (entre 06 de novembro de 2015 e 03 de junho de 2022).

No prazo de 12 meses, a Euribor também avançou hoje, ao ser fixada em 2,698%, mais 0,019 pontos e um novo máximo desde janeiro de 2009.

Após ter disparado em 12 de abril para 0,005%, pela primeira vez positiva desde 05 de fevereiro de 2016, a Euribor a 12 meses está em terreno positivo desde 21 de abril.

A média da Euribor a 12 meses avançou de 1,249% em agosto para 2,233% em setembro.

Em sentido contrário, a Euribor a três meses, que entrou em 14 de julho em terreno positivo pela primeira vez desde abril de 2015, inverteu hoje a tendência das últimas sessões, ao ser fixada em 1,456%, menos 0,002 pontos do que na segunda-feira e contra o atual máximo desde dezembro de 2011, de 1,458%, verificado em 17 de outubro.

A taxa Euribor a três meses esteve negativa entre 21 de abril de 2015 e 13 de julho último (sete anos e dois meses).

A média da Euribor a três meses subiu de 0,395% em agosto para 1,011% em setembro.

As Euribor começaram a subir mais significativamente desde 04 de fevereiro, depois de o Banco Central Europeu (BCE) ter admitido que poderia subir as taxas de juro diretoras este ano devido ao aumento da inflação na zona euro e a tendência foi reforçada com o início da invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro.

Em 08 de setembro, o BCE subiu as três taxas de juro diretoras em 75 pontos base, o segundo aumento consecutivo deste ano, já que em 21 de julho, tinha subido em 50 pontos base as três taxas de juro diretoras, a primeira subida em 11 anos, com o objetivo de travar a inflação.

No final da última reunião, a presidente do BCE, Christine Lagarde, disse que o aumento histórico de 75 pontos base nas taxas de juros não é a "norma", mas salientou que a avaliação será reunião a reunião.

A evolução das taxas de juro Euribor está intimamente ligada às subidas ou descidas das taxas de juro diretoras BCE.

As taxas Euribor a três, a seis e a 12 meses registaram mínimos de sempre, respetivamente, de -0,605% em 14 de dezembro de 2021, de -0,554% e de -0,518% em 20 de dezembro de 2021.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.


Lusa

18.10.2022

Galp tomba mais de 6,5%, com possibilidade de redução de gás da Nigéria

A Galp é a cotada que mais perde no PSI e desvaloriza, pelas 11:00, 3,26%. A empresa liderada ainda por Andy Brown chegou a registar o valor mais baixo desde o final de setembro na negociação desta terça-feira, a cair 6,55% para 9,45 euros.

A pressionar um dos maiores títulos da bolsa nacional está o facto de a Nigeria LNG Limited, o principal fornecedor de gás à petrolífera nacional, ter informado que poderá não conseguir cumprir com os fornecimentos contratados.

A Galp indicou ainda esta segunda-feira, em comunicado, que ainda não dispõe de informação para aferir quais serão os impactos.

18.10.2022

Europa soma e segue para quatro dias de ganhos

As principais praças europeias estão a negociar com ganhos pelo quarto dia consecutivo, impulsionadas pelo encerramento do S&P 500 nesta segunda-feira acima de um nível técnico chave, bem como a reversão "quase total" do mini orçamento do Reino Unido, por parte do novo ministro das Finanças, Jeremy Hunt.

O índice de referência, Stoxx 600, avança 0,55% para 400,57 pontos. A registar os maiores ganhos está a tecnologia, o setor automóvel e indústria, que sobem todos mais de 1%.

"É demasiado cedo para dizer se este 'rally' se vai desvanecer rápido, mas o facto de que começou mesmo depois da divulgação da inflação nos Estados Unidos é positivo", aponta a analista Esty Dwek, do Flowbank, à Bloomberg

"A reversão no Reino Unido vai trazer alguma calma, mas ainda há muitas questões sobre as perspetivas de crescimento para o Reino Unido, por isso ainda não está fora da equação", completa a analista.

Entre os principais índices da Europa Ocidental, o italiano FTSEMIB avança 1,86%, o francês CAC-40 valoriza 1,11%, o alemão Dax e o espanhol IBEX 35 pulam 1,06%. Em Amesterdão, o AEX registou um acréscimo de 0,77%. Quanto ao britânico FTSE 100 sobe também 0,77%.

18.10.2022

Juros agravam na Zona Euro. Reino Unido segue a aliviar ligeiramente

Os juros da dívida soberana estão a agravar-se na Zona Euro, depois de um dia de alívio.

A "yield" das Bunds alemãs a dez anos - referência para a Europa - soma 3,9 pontos base para 2,302%, enquanto os juros da dívida soberana italiana ganham 6,2 pontos base para 4,706% e a "yield" da dívida francesa agrava-se 4,2 pontos base para 2,887%.

Por cá, os juros da dívida portuguesa com a mesma maturidade ganham 3,4 pontos base para 3,353%, enquanto na vizinha Espanha a "yield" da dívida soberana soma 4,3 pontos base para 3,457%.

Fora da Zona Euro, os juros da dívida britânica com a mesma maturidade seguem em rota de alívio e perdem 0,4 pontos base para 3,953%, um dia depois do novo ministro das Finanças, Jeremy Hunt, ter anunciado uma reversão quase total do mini-orçamento divulgado pelo seu antecessor no final do mês passado.

18.10.2022

Euro ganha face ao dólar. Libra avança

O euro está a valorizar face ao dólar, que perde praticamente face às principais divisas rivais. A moeda única europeia sobe 0,18% para 0.9859 dólares.

Já o índice do dólar da Bloomberg – que mede a força da nota verde contra 10 divisas rivais – cede 0,08% para 111,953 pontos.

A libra, que chegou a subir mais de 2% esta segunda-feira, segue a ganhar e avança muito ligeiramente 0,03% para 1,1352 dólares. A moeda britânica está a subir neste arranque da semana, numa altura em que o governo intensifica os esforços para ganhar novamente a confiança dos mercados nomeadamente com a reversão "quase total" do mini-orçamento que previa um aumento da divida pública.

18.10.2022

Ouro recupera com ganhos da libra e queda do dólar

O ouro segue a registar ganhos, apoiado por um dólar mais fraco e receios de uma recessão cada vez mais presentes na economia e nos mercados.

O metal precioso sobe 0,21% para 1.653,6 dólares por onça.

O ouro esteve ainda a beneficiar, esta segunda-feira, da reversão "quase total" do mini-orçamento britânico, apresentado pelo então ministro das Finanças, Kwasi Kwarteng, uma vez que isso levou a ganhos na libra e a uma queda no dólar.

18.10.2022

Petróleo sobe ligeiramente. Gás segue em queda antes de medidas da UE

O petróleo está a valorizar, aproveitando o "rally" nos mercados dos últimos dias, numa altura em que os investidores continuam a pesar o aperto na produção desta matéria-prima e as preocupações com uma desaceleração económica global.

O West Texas Intermediate (WTI) – negociado em Nova Iorque – sobe 0,69% para 86,05 dólares por barril. Por sua vez, o Brent do Mar de Norte – referência para as importações europeias- cresce 0,59% para 92,16 dólares por barril.

O mercado está "num limbo neste momento com um [cenário] macro negativo e um aperto das perspetivas de oferta", explica Warren Patterson, analista do ING, à Bloomberg. "Suspeito que de momento o mercado está mais preocupado com as implicações de uma desaceleração económica na procura", revela o analista.

No mercado do gás, os futuros estão em baixa pela quarta sessão consecutiva.

A negociação desta matéria-prima tem sido pautada por uma forte alta este ano, mas com uma meteorologia favorável e altos níveis de armazenamento por toda a Europa, têm baixado os preços.

Esta terça-feira, a União Europeia deve apresentar um novo pacote de emergência que deverá incluir compras de gás conjuntas por parte dos países da União, de acordo com um documento visto pela Bloomberg.

Uma outra proposta a ser estudada é um limite de preços dinâmico e temporário para transações a efetuar no índice Dutch Title Transfer Facility (TTF), que serve de referência para os mercados europeus. No entanto, esta proposta não será para já detalhada de modo a que o mecanismo possa funcionar imediatamente.

Esta terça-feira, o gás negociado em Amesterdão (TTF) perde 5,8% para 120,54 euros por megawatt-hora, renovando mínimos intradiários de meio de junho.

18.10.2022

Europa de olhos no verde. Ásia sorri e avança

As principais praças europeias estão a apontar para um início de negociação em terreno positivo, dando assim continuidade aos ganhos vividos esta segunda-feira.

Os futuros sobre o Euro Stoxx 50 sobem 1%.

Na Ásia a sessão foi positiva, depois do "rally" em Wall Street e numa altura em que o possível adiamento da venda de obrigações da dívida britânica por parte do Banco de Inglaterra esteve a sustentar o sentimento dos investidores.

Mesmo com os ganhos desta terça-feira, os índices asiáticos seguem a negociar perto do valor mais baixo de 2020. As bolsas da região têm sido fortemente prejudicadas pelos confinamentos e respetiva política covid-zero, bem como a crise do imobiliário e têm, por isso, negociado abaixo das congéneres europeias e norte-americanas.

Na Ásia, pela China, o tecnológico Hang Seng subiu 1%, enquanto Xangai avançou 0,2%. Na Coreia do Sul o Kospi valorizou 1,2%, enquanto pelo Japão, o Topix subiu também 1,2% enquanto o índice de referência do país, Nikkei, somou 1,6%.

Esta terça-feira continua a época de resultados nos Estados Unidos. Depois de esta segunda-feira terem sido divulgados as contas trimestrais do Bank of America, hoje é a vez de nomes como a Netflix, o Goldman Sachs e a Jonhson&Johnson.

Ver comentários
Saber mais Europa mercados bolsas empresas economia negócios e finanças
Outras Notícias