Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia
Ao minuto07.04.2021

Ações europeias recuam de máximos históricos e petróleo cai mais de 1,5%

Acompanhe aqui o dia nos mercados.

EPA
Gonçalo Almeida goncaloalmeida@negocios.pt 07 de Abril de 2021 às 17:13
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
07.04.2021

Juros da dívida acalmam com travão nos EUA

A tendência de alívio é generalizada entre os juros das obrigações, numa altura em que as yields norte-americanas abandonam o rally que tem preocupado os investidores como possível sinal de pressão na inflação.

Os juros da dívida a dez anos de Portugal aliviaram hoje pela primeira vez em quatro sessões. Desceram 0,5 pontos base para os 0,234%, seguindo a tendência da referência europeia, a Alemanha. A remuneração das bunds caiu 0,8 pontos base para os -0,325%.

Este alívio acontece numa semana em que a taxa de juro do Tesouro norte-americano regista apenas quedas. Esta quarta-feira, o recuo é de 1,8 pontos base, a descida mais humilde da semana. Estes juros desceram mesmo a um mínimo de 25 de março durante a sessão.

07.04.2021

Europa recua de máximos históricos

As ações europeias recuaram de máximos históricos esta quarta-feira, dia em que os investidores estão a aguardar pela divulgação das atas da última reunião da Reserva Federal, para perceber quais ao planos do banco central para a evolução da política monetária.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desceu 0,22% para 434,32 pontos, recuando assim do recorde de fecho de ontem, nos 435,26 pontos.

 

À exceção do português PSI-20 e dos índices do Reino Unido e Atenas, as principais bolsas europeias encerraram todas com sinal vermelho, num dia em que o sentimento dos investidores também foi penalizado pelas conclusões da Agência Europeia do Medicamento, que admite existir uma possível ligação entre a vacina da AstraZeneca e um tipo raro de coágulo sanguíneo no cérebro.  

 

Por cá, o PSI-20 completou a sétima sessão consecutiva de ganhos, a mais longa série de subidas desde o início de dezembro do ano passado, com uma valorização de 0,23% para 5.025,41 pontos, o valor de fecho mais elevado desde 22 de janeiro.

 

Os ganhos foram impulsionados sobretudo pelo BCP e pela Semapa. O banco liderado por Miguel Maya somou 1,96% para 11,97 cêntimos, enquanto a Semapa ganhou 2,84% para 12,30 euros, depois de a Sodim ter aumentado ontem o preço oferecido na OPA para comprar a parte que ainda não detém na empresa de 11,40 euros para 12,17 euros. A este preço será subtraído o dividendo de 51,2 cêntimos caso a remuneração aos acionistas da Semapa seja paga antes da oferta chegar ao mercado.

07.04.2021

Petróleo cede com reservas de gasolina a darem maior salto desde fevereiro

O ouro negro tem andado num sobe e desce, e, esta quarta-feira, a trajetória é mesmo a descendente. O petróleo está a desvalorizar depois de terem sido revelados das reservas de gasolina nos Estados Unidos, que aumentaram. Isto, numa altura em que os constantes movimentos de confinamento e de desconfinamento têm afetado a direção da matéria-prima.

A Administração de Informação de Energia norte-americana apontou que as reservas domésticas de gasolina aumentaram mais de 4 milhões de barris na última semana, o que representa a maior subida desde fevereiro. Ainda assim, o mesmo relatório mostra que os inventários de crude caíram para um mínimo de cinco semanas.

O barril de Brent, referência na Europa, está a recuar 0,80% para os 62,30 dólares. Do outro lado do Atlântico, o nova-iorquino West Texas Intermediate perde 0,64% oara os 58,97 dólares.

07.04.2021

Ouro volta às perdas com dólar e juros a passar rasteira

O ouro esta a cair 0,25% para os 1.738,92 dólares por onça, contrariando a subida sólida, de perto de 1%, que obteve na sessão anterior, que o levou ontem ao nível mais alto no espaço de uma semana.

O metal amarelo está a sofrer com a acalmia nos juros do Tesouro norte-americano, que estabilizaram, e também na recuperação do dólar, que abandonou as quebras sucessivas para apresentar ganhos muito ligeiros. Com as taxas de juro a ensombrar menos os investidores, o apetite por ativos refúgio como o ouro diminui. A recuperação do dólar agrava a tendência negativa do ouro na medida em que este é um ativo refúgio rival.

07.04.2021

Dólar mais otimista à espera da Fed

O dólar interrompeu o ciclo de quedas no dia em que se espera que a Reserva Federal norte-americana revele as minutas relativas à reunião que teve em março.

Os investidores esperam mais pistas quanto a metas da inflação e do emprego, assim como acerca do momento em que o banco central deverá abandonar a postura acomodatícia que tem mantido.

Um índice que mede a força do dólar contra as principais moedas, o Bloomberg Dollar Spot Index, assinala uma recuperação ligeira da nota verde, de 0,08%, depois de quatro sessões consecutivas de quebra que pusera o dólar a cotar em níveis de 23 de março.

A moeda única europeia está, ainda assim, a ganhar 0,19% para os 1,1899 dólares, mantendo uma tendência ascendente há três sessões. O euro regressa assim ao preço mais alto desde 23 de março.

07.04.2021

Wall Street abre sem tendência com investidores de olhos postos nas minutas da Fed

Os três maiores índices dos Estados Unidos abriram a sessão desta quarta-feira a negociar de forma mista, num dia em que serão divulgadas as minutas relativas à última reunião de política monetária da Reserva Federal, em março.

Entre outras coisas, os investidores estarão atentos a possíveis pistas relativas às metas da inflação e do emprego, e em datas mais específicas sobre quando o banco central poderá começar a tirar o pé do acelerador relativamente ao seu programa de compras de ativos.

Por esta altura, o Dow Jones sobe 0,21% para os 33.500,30 pontos e o S&P 500 ganha 0,09% para os 4.077,64 pontos.

Já o tecnológico Nasdaq Composite, vítima da rotação de setores, está a perder 0,26% para os 13.660,76 pontos.

Hoje, Klaas Knot, governador do banco central dos Países Baixos, disse à Reuters que o Banco Central Europeu (BCE) poderá tirar o pé do acelerador a partir do terceiro trimestre deste ano no ritmo de compras de ativos à luz do programa de emergência criado para responder à pandemia, caso a economia na Zona Euro recupere de forma robusta até lá.

Na última reunião da Fed, o massivo apoio orçamental e o plano de vacinação levaram alguns membros do banco central a apontarem para uma subida de taxas de juro diretoras no próximo ano, contra a previsão inicial de não se aumentarem taxas até 2024.

A rotação de investimentos entre setores continua, com o setor tecnológico a ser o mais afetado, enquanto que o setor da banca e da energia - dois que podem beneficiar com a recuperação económica - continuam a escalar.

07.04.2021

Alta do dólar penaliza ouro

O metal precioso está a descer pela terceira sessão nas últimas quatro, penalizada pela alta do dólar e pela aposta dos investidores em ativos de maior risco, como as ações. O ouro cede 0,23% para 1.739,19 dólares a onça.

07.04.2021

Dólar em alta com mercado à espera das minutas da Fed

A moeda norte-americana está a ganha força na sessão desta quarta-feira, embora com uma variação reduzida, numa sessão em que as atenções dos investidores estão centradas na divulgação das minutas da última reunião da Reserva Federal, já que o documento pode dar mais pistas sobre a direção da política monetária nos Estados Unidos.

O índice do dólar avança 0,1% e o euro desce 0,07% para 1,1868 dólares.

07.04.2021

Europa em leve alta paira sobre máximos históricos, apesar de queda das "tech"

Os índices europeus estão novamente a negociar em alta nesta quarta-feira, com a rotação de setores a verificar-se, como vem tem vindo a ser habito nos últimos meses. 

O Stoxx 600 - índice que agrupa as maiores cotadas da região - está a valorizar 0,2% para os 435,34 pontos.

Após meses de desaceleração dos principais mercados europeus, as ações europeias estão a conseguir acompanhar as congéneres norte-americanas em máximos.

Embora o mercado possa enfrentar alguns riscos técnicos de curto prazo, a expectativa de que o cenário se irá manter verde permanece, uma vez que os investidores estão já a olhar para a próxima temporada de resultados.

O Stoxx 600 está a receber um forte impulso dos investidores que estão a mudar para os setores cíclicos, como é o caso da banca, que hoje lidera os ganhos (+0,7%), a passo que o setor da tecnologia (-1%) volta a cair. 

Ainda assim, Abril é, historicamente, um mês de fortes ganhos para as ações europeias. 

07.04.2021

Juros da Zona Euro em queda atentos às minutas da Fed

Os juros da Zona Euro estão a cair na manhã desta quarta-feira em dia de vários leilões na região e em que são divulgadas as minutas da última reunião de política monetária da Reserva Federal dos Estados Unidos, referente a março.

Por cá, os juros de Portugal a dez anos estão a cair 1,9 pontos base para os 0,217%, num dia em que está no mercado com uma emissão sindicada de dívida a 10 anos, sendo que o preço indicativo no arranque da operação aponta para uma taxa de juro em redor de 0,3%.

De acordo com a Bloomberg, o "guidance" está em 29 pontos base acima da taxa "mid swap" do euro, o que aponta para uma rendibilidade de 0,309%.

Os juros da Alemanha a dez anos estão a cair 1,5 pontos base para os -0,332% e os de Itália a perderem 2,4 pontos base para os 0,667%.

Os investidores estão a aguardar pelas minutas do encontro do banco central norte-americano, que deverão ser divulgadas às 19 horas desta quarta-feira, para tentarem perceber se existe alguma orientação para o futuro da política monetária da instituição. 

07.04.2021

Otimismo sobre economia global anima preços do petróleo

Os preços do crude em níveis inviáveis para o custo do “fracking”, os cortes de “rating”, o elevado endividamento e o crescimento das energias mais limpas pressionaram o setor do petróleo de xisto.

Os preços do petróleo estão a valorizar na sessão desta quarta-feira, com os investidores otimistas com o progresso feito no campo da vacinação contra o corovavírus, que poderá acelerar também a recuperação económica e a procura pela matéria-prima. 

O Brent - negociado em Londres e que serve de referência para Portugal - valoriza 0,49% para os 63,05 dólares por barril, enquanto que o norte-americano WTI (West Texas Intermediate) ganha 0,61% para os 59,69 dólares. 

O olhar otimista dos investidores sobre a economia global tem por base a revisão em alta feita ontem pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), que apontou para um crescimento de 6% da economia mundial para este ano.

07.04.2021

Futuros em leve queda com investidores em modo "wait and see"

Os futuros das ações europeias estão a aliviar ligeiramente, mas ainda assim a negociar muito perto dos máximos históricos na pré-abertura desta quarta-feira, numa altura em que os investidores estão a tentar vislumbrar o que se seguirá à atual crise.

Na Europa, os futuros do Stoxx 50 - índice que reúne as 50 maiores cotadas da região - perdem 0,1% e nos Estados Unidos, os futuros do S&P 500 caem também 0,1%, depois de ontem ter sido a sessão mais calma do ano, com menos de 10 mil milhões de ações negociadas em Wall Street.

Durante a madrugada em Lisboa, a sessão asiática fez-se de forma mista com ganhos no Japão (0,6%) e na Coreia do Sul (0,2%), mas perdas na China (0,5%) e em Hong Kong (-0,7%).

Depois de ontem, o Fundo Monetário Internacional (FMI) ter revisto a sua previsão para o crescimento económico a nível global - alertando para o fosso entre países desenvolvidos e países mais pobres -, hoje os investidores estão a aguardar pelas minutas da última reunião de política monetária do banco central dos Estados Unidos. 

Os investidores seguem assim em modo "wait and see" (esperar para ver, na tradução em português), depois de terem levado os índices norte-americanos e europeus a máximos históricos. 

Ver comentários
Saber mais Europa EUA Wall Street bolsas mercados juros dívida petróleo vacina Moderna euro dólar libra PSI-20 Stoxx 600
Outras Notícias