A carregar o vídeo ...
Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia
Ao minuto07.10.2021

Petróleo e ações europeias avançam. Juros das dívidas aliviam após acordo nos EUA

Acompanhe aqui o dia nos mercados.

O índice alemão Dax foi, na Europa, o que mais caiu em outubro.
Reuters
  • Partilhar artigo
  • 7
  • ...
07.10.2021

BCE transmite tranquilidade às bolsas europeias

As bolsas europeias encerraram a negociação desta quinta-feira pintadas a verde, com os principais índices a registar ganhos superiores a 1,5% e a atingirem a maior subida em mais de dois meses.

Os investidores reagem a uma melhoria no cenário macroeconómico global, com o Banco Central Europeu (BCE) a mostrar uma postura de tranquilidade face ao aumento da inflação - que assume ser temporária, devido à atual crise nos preços energéticos -, e a admitir políticas de retoma económica flexíveis.

O Stoxx 600, que agrega as principais empresas da Europa, valorizou 1,6%, puxado pelo setor automóvel, que registou o melhor desempenho, de 3,15%. Já os recursos naturais valorizaram 3%, depois de Mark Cutifani, CEO da britânica Anglo American, ter indicado que é expectável que a crise da energia chegue aos metais.

Com todos os setores em alta, os que registaram as subidas menos expressivas foram o do petróleo e gás, o das viagens e o dos meios de comunicação, todos abaixo do 1%.

Por países, o espanhol Ibex valorizou 2,14%, o alemão DAX subiu 1,85%, o francês CAC apreciou 1,65% e o italiano registou uma subida de 1,51%. O português PSI-20, com ganhos de 1,29%, acabou por ser o índice com a mais fraca valorização.

07.10.2021

Juros da dívida na Europa aliviam após acordo nos EUA

As yields das dívidas soberanas europeias a 10 anos aliviaram após republicanos e democratas nos EUA terem aprovado a extensão do limite ao endividamento até dezembro, afastando o fantasma da maior economia mundial entrar pela primeira em default a 19 de outubro.

As bunds, referência para o mercado europeu, aliviaram 0,5 pontos base, para -0,188%.

Já a yield da dívida portuguesa a 10 anos baixou um ponto base, para 0,356%. Na vizinha Espanha o recuo foi de 1,1 pontos, para 0,457%.

Na Grécia e Itália as descidas foram mais expressivas: -4,3 e -3,3 pontos, para 0,847% e 0,853%, respetivamente.

07.10.2021

EUA dizem que não pretendem recorrer às reservas e animam preços do petróleo

As cotações do "ouro negro" estão a negociar em alta, invertendo das quedas da manhã, impulsionadas pelo facto de o Departamento norte-americano da Energia ter sinalizado que não pretende, "neste momento", recorrer aos stocks de crude do país para ajudar a travar a subida dos preços da gasolina – o que poderia suceder, já que se recorreria menos à compra de matéria-prima no estrangeiro.

 

O West Texas Intermediate (WTI), "benchmark" para os Estados Unidos, para entrega em novembro avança 0,97% para 78,18 dólares por barril. Isto depois de já ter estado a cair 3,2%.

 

Já o contrato de novembro do Brent do Mar do Norte, negociado em Londres e referência para as importações europeias, soma 1,06% para 81,94 dólares.

 

Os preços estiveram a cair significativamente hoje de manhã "com a diminuição do apetite dos investidores após cinco dias de ganhos. Embora esta correção do mercado possa ser vista como ‘saudável’ por muitos traders e analistas, ela também pode ser explicada pelos dados recentes dos EUA, que mostraram um aumento na oferta com o crescimento dos stocks. Dito isso, muitos investidores de petróleo aproveitaram a ocasião para obter algum lucro após a alta de US $ 17,50 iniciada no final de agosto", explicava esta manhã Ricardo Evangelista, analista sénior e diretor executivo da ActivTrades Europe SA., na sua análise diária.

 

O anúncio feito entretanto pelos EUA, de que não irão recorrer aos stocks federais, seguiu-se a um relato do Financial Times de que a secretária da Energia, Jennifer Granholm, tinha aludido à possibilidade de libertar crude das Reservas Estratégicas. E isso animou os preços, que desde meados de agosto já subiram cerca de 15% no mercado nova-iorquino.

07.10.2021

Ouro de regresso a terreno negativo. Euro e libra a avançar

O ouro está a desvalorizar na tarde desta quinta-feira, depois de ter fechado a sessão desta quarta-feira a valorizar 0,15%. 

Nesta altura, este metal precioso está a depreciar 0,21%, com a onça a negociar nos 1.758,97 dólares. Ao longo desta semana este metal tem estado a perder valor, com a onça a afastar-se dos 1.769 dólares do início da semana. 

No que toca ao câmbio, tanto o euro como a libra esterlina estão a valorizar. A moeda única europeia está a avançar 0,09% para 1,1566 dólares. Já a libra esterlina está a valorizar 0,36% para 1,3631 dólares. 

07.10.2021

Wall Street em alta com tréguas no Senado a dar força

Os três maiores índices dos EUA abriram a sessão desta quinta-feira em alta, ainda com as tréguas entre os democratas e republicanos a darem boleia aos ganhos.

Por esta altura, o Dow Jones ganha 1,03% para os 34.765,02 pontos, o S&P 500 avança 1,01% para os 4.407,57 pontos e o tecnológico Nasdaq Composite valoriza 1,12% para os 14.664,76 pontos.   

Ontem, o S&P 500 registou a maior correção intradiária desde fevereiro, passando de quedas para subidas após alívio de tensão no Senado norte-americano.

O senador republicano Mitch McConnell propôs adiar o fim da flexibilidade em torno do limite de dívida que os EUA podem alcançar até dezembro deste ano. Assim, a maior economia do mundo pode continuar a endividar-se para atenuar os efeitos imediatos da atual pandemia, mas correndo o risco de alimentar a atual montanha de dívida. 

Para além destas "tréguas" momentâneas, os pedidos de subsídio de desemprego caiu na semana passada, depois de três semanas consecutivas com os números a subirem. 

07.10.2021

Ouro avança de olho na dívida e no emprego dos EUA; euro ganha

O preço do ouro está a valorizar ligeiramente, numa altura em que os investidores olham já para a divulgação dos dados do emprego nos EUA, que será feita amanhã, e para as tréguas entre os republicanos e os democratas, no Senado.

O metal precioso está a ganhar 0,21% para os 1.766,47 dólares por onça. O euro está a recuperar terreno face ao dólar norte-americano, apreciando 0,10% para os 1,156 dólares.

07.10.2021

Europa recupera em força à boleia de Washington, Moscovo e Frankfurt

Os índices europeus abriram o dia a valorizar, num dia marcado por uma série de eventos que foram aplaudidos pelos investidores, desde os EUA à Rússia. 

O Stoxx 600, índice que agrupa as 600 maiores cotadas da região, sobe 1,01% para os 455,91 pontos, seguindo os ganhos registados ontem em Wall Street, depois de o S&P 500 ter conseguido registar a maior correção intradiária desde fevereiro deste ano.

E esta recuperação foi provocada por notícias vindas do Senado norte-americano, com a bandeira da paz a ser hasteada pelo republicano Mitchel McConnell. O líder da minoria vermelha no Senado propôs adiar uma decisão sobre os limites de dívida que os EUA podem comprar até dezembro deste ano até ao final deste ano. 

Esta decisão, apoiada por democratas, evita, para já, o risco de os EUA falharem em cumprir com os seus credores. Mas dezembro assume-se como um mês crucial para a resolução deste dossiê. 

A dar força está ainda a notícia adiantava pela Bloomberg, que mostrou que Banco Central Europeu (BCE) está a estudar a criação de um novo programa de compra de dívida para lançar depois de o PEPP, o programa que foi criado para atenuar os efeitos da pandemia, terminar. O atual cheque de 1,85 biliões deve ficar sem notas disponíveis em março do próximo ano.

Em Moscovo, o presidente russo Vladimir Putin disse que iria aumentar a produção de gás através da Ucrânia e adiantou um aumento de exportações de petróleo para toda a Europa ainda este ano. Os comentários ajudaram a acalmar o medo sobre a atual crise de energia que atravessa o continente, depois de ontem o preço do gás europeu ter disparado 40%.

07.10.2021

Juros da Zona Euro aliviam com possível novo programa do BCE

Christine Lagarde tem em mãos a missão de manter os mercados calmos e ao mesmo tempo de começar a preparar terreno para retirar apoios.

Os juros da dívida soberana dos países da Zona Euro estão a aliviar nesta manhã, como reação à notícia de ontem da Bloomberg, que adiantava um novo programa de compra de dívida a ser desenhado pelo Banco Central Europeu (BCE), quando o atual apoio pandémico terminar, em março do próximo ano. 

A taxa da Alemanha, que serve de referência para a região, está a perder 1,5 pontos base para os -0,199%, e nos países do sul da Europa esta tendência reforça-se. Em Itália, os juros a dez anos perdem 2,5 pontos base para os 0,341% e em Portugal, a "yield" encolhe 2,6 pontos base para os 0,341%.

De acordo com a agência de notícias, a ideia será substituir quer o PEPP como também complementar o antigo programa (APP) que compra 20 mil milhões de dívida, todos os meses. Ainda assim, as mesmas fontes garantiram que nenhuma decisão oficial foi tomada até então. 

07.10.2021

Petróleo volta a cair após proposta de Putin para pôr fim à crise energética

A procura por petróleo deverá continuar a aumentar mais depressa do que a oferta.

Os preços do petróleo estão novamente em queda nesta quinta-feira - depois de terem atingido máximos de sete anos nos últimos dias - numa altura em que o presidente russo, Vladimir Putin, propôs o aumento de produção e exportação de várias fontes de energia para atenuar a atual crise um pouco por todo o mundo.

Por esta altura, o Brent, negociado em Londres e que serve de referência para Portugal, está a perder 0,5% para os 80,67 dólares por barril, ao passo que o norte-americano WTI (West Texas Intermediate) encolhe 0,9% para os 76,74 dólares.

O presidente russo Vladimir Putin disse que estava a trabalhar para atenuar a atual crise de energia que se vive no continente europeu, aumentando a produção através da Ucrânia e bombeando mais petróleo para a Zona Euro, ainda este ano. Esta reação do líder moscovita surge depois de os preços do gás terem disparado 40% em alguns minutos na passada quarta-feira. 


O RSI, índice que mede a força com que um ativo é comprado ou vendido, superou os 70 pontos no caso do crude norte-americano, o que significa que tem sido fortemente comprado nos últimos dias. Por norma, quando este valor é atingido, pode seguir-se uma correção no curto prazo. 

07.10.2021

Futuros em alta com apoio da energia russa e do senado norte-americano

Os futuros das ações europeias estão a disparar na pré-abertura de sessão desta quinta-feira, apontando para um começo de dia com o "pé direito", depois de notícias encorajadoras vindas dos EUA e também da Rússia - por diferentes motivos. 

Em Moscovo, o presidente russo Vladimir Putin disse que estava a trabalhar para atenuar a atual crise de energia que se vive no continente europeu, aumentando a produção através da Ucrânia e bombeando mais petróleo para a Zona Euro, ainda este ano. Esta reação do líder moscovita surge depois de os preços do gás terem disparado 40% em alguns minutos na passada quarta-feira. 

O senador republicano Mitch McConnell propôs adiar o fim da flexibilidade em torno do limite de dívida que os EUA podem alcançar até dezembro deste ano. Assim, a maior economia do mundo pode continuar a endividar-se para atenuar os efeitos imediatos da atual pandemia, mas correndo o risco de alimentar a atual montanha de dívida. 

Para já, os mercados parecem ter aplaudido o adiar de uma discussão entre republicanos e democratas sobre este tópico, mas anteveem já mais turbulência no Senado norte-americano no final do ano, altura em que este limite tem fim. Os republicanos já fizeram notar que chumbariam qualquer plano para eliminar este mecanismo de forma permanente. 

Com este conjunto de notícias, as ações asiáticas conheceram fortes ganhos neste que é o último dia de "descanso" dos índices chineses, que estão encerrados desde a passada sexta-feira, devido ao aniversário da República Popular da China. No Japão (0,1%), em Hong Kong (2,4%) e na Coreia do Sul (1,6%) registaram-se subidas. 

E deverá ser o "verde" que vai pairar no início de sessão europeia, com os futuros do Stoxx 50 - índice que agrupa as 50 maiores empresas da região - a ganharem 1,2%. Nos EUA, depois de um ganho no final de sessão de quarta-feira em Wall Street, os futuros avançam ligeiramente. 

A juntar aos desenvolvimentos nos EUA e na Rússia, o Banco Central Europeu (BCE) está a estudar a criação de um novo programa de compra de dívida para lançar depois de o PEPP, o programa que foi criado para atenuar os efeitos da pandemia, terminar, avança a Bloomberg citando fontes próximas do assunto. Atual cheque de 1,85 biliões deve ficar sem notas disponíveis em março do próximo ano.

Os investidores aguardam ainda a divulgação dos dados do emprego nos EUA, que será feita amanhã, e ainda um novo encontro virtual entre o presidente norte-americano Joe Biden e o homónimo chionês Xi Jinping.

Ver comentários
Saber mais Estados Unidos Europa economia negócios e finanças minérios e metais mercado e câmbios bolsa economia (geral) política macroeconomia diplomacia
Outras Notícias