Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia
Ao minuto10.09.2021

Europa cai pela segunda semana, juros agravam-se e petróleo ganha terreno

Acompanhe aqui o dia nos mercados.

Os novos números da pandemia foram bem recebidos pelos investidores.
Andy Rain/EPA
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...
10.09.2021

Juros da dívida em alta nos países da Zona Euro

No último dia da semana, os juros da dívida de vários países da Zona Euro estavam todos a subir, com a yield portuguesa a 10 anos a liderar, com uma aumento de três pontos base, para os 0,742%.

As "bunds" germânicas agravam 2,2 pontos base para -0,341%. Já os juros da dívida de Itália sobem 2,8 pontos base para 0,697%. 

Por sua vez, os juros da dívida espanhola registam um agravamento de 2,5 pontos base para os 0,326%. Os da Grécia avançam 1,5 pontos base para os 0,742%.

10.09.2021

Índices europeus no vermelho pela segunda semana consecutiva

Depois de ter estado parte do dia pintada a verde, a Europa recuou e acabou o último dia da semana no vermelho. É a segunda semana consecutiva a acabar com perdas, algo que não acontecia desde o final de abril.

A justificar a queda está o facto de os investidores ainda estarem receosos em relação à recuperação da economia e às medidas adotadas pelos decisores políticos.

O STX 600 fechou a negociação a cair 0,3%, pressionado pelos setores das telecomunicações (-1,5%) e das utilities (-1,3%). Em sentido contrário, a indústria mineira (+1,1%) e as tecnológicas (+0,7%) lideraram os ganhos.

Por país, dos principais índices, só o britânico FTSE 100 fechou a ganhar, subindo 0,07%. No vermelho ficaram o alemão DAX (-0,09%), o francês CAC 40 (-0,31%) e a bolsa de Itália (-0,86%), liderados pelo espanhol IBEX (-1,20%).

O português PSI 20 acabou assim por estar alinhado com os seus congéneres europeus, tendo as negociações na Bolsa de Lisboa terminado esta sexta-feira a registar perdas de 0,61%.

10.09.2021

Quebra do dólar ajuda ouro mas receios com "tapering" da Fed pressionam e levam a melhor

O metal amarelo está a negociar em ligeira baixa, devido sobretudo aos receios de que o banco central dos EUA comece a retirar os estímulos (tapering) mais cedo do que o previsto.

 

O ouro a pronto (spot) segue a ceder 0,03% para 1.794,076 dólares por onça no mercado londrino.

 

No mercado nova-iorquino (Comex), os futuros do ouro descem 0,2%, para 1.796,60 dólares por onça.

 

A valorização do dólar – que torna mais atrativo o investimento em ouro para quem negoceia com outras moedas, já que o metal precioso é denominado na nota verde – está a ajudar às compras, mas os receios de que a Fed possa começar a retirar mais cedo do que se pensava os seus estímulos (compra de dívida) estão a ter mais peso no sentimento dos investidores.

 

"A decisão da Fed, relativamente à altura em que dará início ao ‘tapering’, está a deixar o ouro em suspenso", comentou à Reuters um analista do Commerzbank, Daniel Briesemann.

 

A reunião da Reserva Federal norte-americana está agendada para os dias 21 e 22 de setembro.

10.09.2021

Euro ganha terreno face ao dólar após telefonema entre Xi Jinping e Joe Biden

O dólar norte-americano está a registar perdas ligeiras, depois de o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ter estado ao telefone com o homólogo chinês, Xi Jinping, pela primeira vez em sete meses. 

O dólar está a perder 0,05% contra um cabaz de moedas rivais, nomeadamente face à moeda única. O euro ganha 0,04% contra a nota verde, a valer 1,1830 dólares. 

Xi Jinping alertou Joe Biden que 
os dois países e o mundo "sofrerão" em caso de confronto entre a China e os Estados Unidos. "Quando a China e os Estados Unidos trabalham juntos, os países e o mundo beneficiam, mas ambos os países e o mundo sofrerão se os dois países se confrontarem", terá dito no telefonema entre ambos, segundo o Ministério dos Negócios Estrangeiros da China.

10.09.2021

Efeitos do furacão Ida na produção dos EUA impulsionam petróleo

Os preços crude estão a subir na ordem dos 2%, com o Brent a rondar os 73 dólares, sustentados pelos crescentes sinais de menor oferta nos EUA devido à passagem do furacão Ida.

 

O West Texas Intermediate (WTI), "benchmark" para os Estados Unidos, para entrega em outubro avança 2,14% para 69,60 dólares por barril.

 

Já o contrato de novembro do Brent do Mar do Norte, negociado em Londres e referência para as importações europeias, soma 1,95% para 72,84 dólares.

 

Cerca de 75% da produção norte-americana offshore de petróleo do Golfo do México, o que corresponde a 1,4 milhões de barris por dia, está suspensa desde finais de agosto, desde a passagem do devastador furacão Ida.

 

"Com o reinício da produção offshore a demorar, tudo aponta para que o efeito Ida ainda se sinta nas próximas semanas, comentou à Reuters um operador da corretora petrolífera PVM, Stephen Brennock.

 

A contribuir para animar o mercado está também a conversa telefónica de 90 minutos entre Joe Biden e Xi Jinping, que levou os investidores a um maior apetite pelo risco, já que se espera que as relações entre as duas potências melhorem.

 

O Brent está em vias de terminar a semana com um pequeno ganho e acumula uma valorização de quase 40% este ano, impulsionado pelos cortes de oferta da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados (OPEP+) – que entretanto estão a começar a abrir as torneiras da produção – e por alguma retoma da procura depois do pico da pandemia.

 

Ontem, tanto o WTI como o Brent cederam terreno, depois de a administração chinesa das reservas estatais de crude anunciar que iria libertar parte das suas reservas para o mercado, através de leilões públicos, de modo a reduzir a pressão dos elevados custos para os refinadores nacionais, o que travou o ímpeto altista dos preços nos mercados internacionais. Trata-se de uma medida sem precedentes, uma vez que Pequim nunca tinha recorrido às suas reservas petrolíferas, mas agora considera necessário para diminuir a pressão sobre as refinarias do país, o que irá potencialmente reduzir a procura ao exterior.

 

Em foco na próxima semana estarão as revisões das perspetivas para a procura de crude que serão feitas pela OPEP e pela Agência Internacional da Energia. Duas fontes do cartel disseram à Reuters que a OPEP deverá rever em baixa as suas estimativas para o crescimento da procura de petróleo em 2022, já que a propagação da variante delta da covid-19 faz questionar o ritmo de recuperação do consumo de combustível.

10.09.2021

Conversa entre Biden e Xi e subida dos preços do petróleo animam Wall Street

As bolsas do outro lado do Atlântico abriram em alta, sustentadas pelos sinais de diminuição de tensões entre os Estados Unidos e a China, depois de os líderes de ambos os países terem falado ao telefone.

 

Esta foi a primeira conversa entre Joe Biden e Xi Jinping em sete meses, tendo sido vista como um sinal positivo que poderá melhorar as relações entre os dois parceiros comerciais.

 

A contribuir para a tendência positiva está também a subida das cotações do petróleo, que está a impulsionar as cotadas do setor da energia, como a Exxon Mobil, Chevron, Occidental Petroleum e Halliburton.

 

O índice industrial Dow Jones segue a somar 0,55%, para 35.071,76 pontos. Já o Standard & Poor’s 500 avança 0,56%, para 4.518,56 pontos.

 

Por seu lado, tecnológico Nasdaq Composite ganha 0,61% para se fixar nos 15.340,87 pontos.

 

10.09.2021

Europa em dia de ganhos ligeiros, com bolsa espanhola a contrariar

As principais praças da Europa estão a registar ganhos ligeiros nesta sessão, num dia em que apenas o índice espanhol está a fugir à tendência, a ceder 0,16%.

O Stoxx 600, que agrupa as maiores cotadas da Europa, está a avançar 0,19%, para 468,44 pontos. 

Os setores das utilities, telecomunicações e  imobiliário estão a ceder nestas primeiras horas de negociação, com as telecomunicações a liderar as quedas, a ceder 0,48%. 

Já em terreno positivo, o setor da tecnologia está em alta, a valorizar 0,78%. Nota ainda para a subida do setor do retalho, que valoriza 0,52%. 

O PSI-20 é o índice que regista menores ganhos, na linha de água, a apreciar 0,02%. O alemão DAX aprecia 0,14%, o francês CAC 40 ganha 0,35%, o FTSE 100 0,33% e a bolsa de Itália 0,05%.

10.09.2021

Juros a subir na Europa. "Yield" de Portugal acima dos 0,20%

Os juros da dívida estão a subir em vários países da Zona Euro esta manhã, em vários casos com subidas acima de um ponto base. 

As "bunds" germânicas a dez anos estão a agravar-se 1,7 pontos base para -0,346%. Já os juros da dívida de Itália agravam-se 1,4 pontos base para 0,682%. 

Na Península Ibérica, a "yield" de Portugal a dez anos está a avançar 1,6 pontos base para 0,209%. Em Espanha, os juros estão a subir 1,6 pontos base para 0,316%.

10.09.2021

Petróleo a subir e a reduzir perda semanal

A procura por petróleo deverá continuar a aumentar mais depressa do que a oferta.

O petróleo está a valorizar nesta sessão, com o WTI e o brent do Mar do Norte a registar ganhos nesta altura. 

O WTI, negociado em Nova Iorque, está a avançar 0,79%, com o barril a negociar nos 68,68 dólares. Já o brent do Mar do Norte, que serve de referência para o mercado português, está a valorizar 0,94%, com o barril a ultrapassar a fasquia dos 70 dólares, já nos 72,12 dólares. 

O "ouro negro" tem vindo a recuperar terreno ao longo desta semana, estando a reduzir as perdas semanais. O furacão Ida e os constrangimentos causados no Golfo do México e no Louisiana, afetando a produção, tem gerado incerteza no mercado. A par deste fator, os investidores estão ainda a analisar o facto de a China ter anunciado que libertou crude das suas reservas estratégicas, numa intervenção sem precedentes, nota a Bloomberg.

10.09.2021

Dólar a caminhar para semana de ganhos

O dólar está a ceder 0,06% nesta sessão, mas ainda assim está a caminhar para aquela que poderá ser uma semana com ganhos semanais, na ordem dos 0,4%.

Já na Europa, o euro, a moeda única europeia, está a avançar 0,10% face ao rival norte-americano, para 1,1837 dólares.

10.09.2021

Ouro volta a ultrapassar fasquia dos 1.800 dólares

Este metal precioso está a valorizar 0,38% esta sexta-feira, com a onça a negociar nos 1.801,36 dólares. 

Ao longo desta semana, o ouro só conseguiu fechar acima desta fasquia um dia, na sessão de segunda-feira, quando fechou nos 1.823,29 dólares por onça. 

O ouro está a caminhar para aquela que poderá ser a segunda sessão positiva da semana, depois de ter registado um tombo de 1,59% na terça-feira. 

10.09.2021

Futuros apontam para abertura em alta, a seguir a tendência de subida na Ásia

As bolsas europeias deverão abrir em terreno positivo, conforme apontam os futuros, numa altura em que os receios ligados a um abrandamento da retoma económica começam a acalmar.

As praças europeias deverão acompanhar esta sexta-feira a tendência positiva vivida nas praças asiáticas nesta última sessão da semana. Em Hong Kong, as grandes tecnológicas chinesas chegaram a ganhar mais de 2%, após os reguladores clarificarem que não pretendem congelar as aprovações a novos jogos, mas sim abrandar o ritmo, o que terá acalmado parte dos receios.

A juntar a isto, o facto de ter existido um contacto entre Joe Biden e Xi Jinping, o Presidente chinês, também terá gerado algum otimismo. 

O Hang Seng avançou 1,5% e o índice de Xangai valorizou 0,4%. No Japão, o Topix fechou a ganhar 1,29% e o Nikkei 1,25%. 

Ver comentários
Saber mais bolsa PSI-20 Europa câmbio ouro juros
Outras Notícias