Mercados num minuto Fecho dos mercados: Alemanha e tarifas arrastam bolsas europeias e euro. Ouro recua para mínimos de seis meses

Fecho dos mercados: Alemanha e tarifas arrastam bolsas europeias e euro. Ouro recua para mínimos de seis meses

A incerteza política na Alemanha e os novos desenvolvimentos da guerra comercial entre EUA e Europa ditaram a queda das bolsas europeias e do euro. Já o petróleo está a subir, impulsionado por perspectivas de aumento de produção. O ouro está a negociar em mínimos de Dezembro.
Fecho dos mercados: Alemanha e tarifas arrastam bolsas europeias e euro. Ouro recua para mínimos de seis meses
Reuters

Os mercados em números

PSI-20 desceu 0,73% para 5.488,34 pontos

Stoxx 600 recuou 0,84% para 376,75 pontos

S&P 500 desvaloriza 0,38% para 2.708,01 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal recua 2,5 pontos base para 1,762%

Euro recua 0,67% para 1,1606 dólares

Petróleo cai 1,92% para 77,71 dólares por barril em Londres

 

Bolsas europeias em queda com instabilidade na Alemanha e guerra comercial

O dia foi de quedas generalizadas na Europa. O agregador europeu de referência, o Stoxx 600, cedeu 0,84% para os 376,75 pontos, com as cotadas do sector das matérias-primas a notarem as maiores perdas, acima de 2%. As principais praças vivem um sentimento negativo depois de o ministro do Interior alemão ter ameaçado demitir-se, num movimento que pode ter consequências para a estabilidade política do país. A confirmar-se a demissão, Seehofer pode, no cenário menos prejudicial, simplesmente ser substituído. Contudo, Merkel pode ainda ser obrigada a negociar uma nova coligação ou a Alemanha pode ter de realizar eleições antecipadas.

 

A pressionar está também a reacção de Bruxelas às tarifas de Trump, sinalizando um possível agravamento da guerra comercial entre os dois lados do Atlântico. A União Europeia reitera que responderá com proporcionalidade a eventuais taxas alfandegárias impostas pelos Estados Unidos à importação de veículos e peças de automóveis europeus. Bruxelas admite tarifas que impactem exportações americanas de automóveis em 294 mil milhões de dólares.

 

Lisboa não foi excepção e o PSI-20 alinha na trajectória descendente, com uma quebra de 0,73% para os 5.488,34 pontos. Por cá, os CTT penalizaram com uma quebra de quase 4% para os 2,89 euros e a Jerónimo Martins pesou com uma desvalorização de 2,71% para os 12,035 euros, reforçando mínimos de mais de dois anos.

Juros continuam em queda
As taxas de juro implícitas na dívida portuguesa a 10 anos estão a descer 2,5 pontos base para 1,762%, sendo o quarto dia consecutivo de quedas. Já a bund está a subir 0,3 pontos base para 0,305%, num período marcado pela instabilidade política na Alemanha. Apesar deste desempenho oposto, o prémio de risco de Portugal continua acima dos 140 pontos base. 

 

Taxas Euribor sobem a seis meses e caem a nove meses
As taxas Euribor tiveram comportamentos distintos nos vários prazos. As taxas Euribor a três meses e as 12 meses estabilizaram nos -0,321%e -0,181%, respectivamente. Já no prazo a seis meses a taxa subiu para -0,269%, enquanto a Euribor a nove meses desceu para -0,216%.

 

Euro com forte queda com instabilidade na Alemanha
O contexto político na Alemanha está a penalizar fortemente a moeda única. Com o futuro do Governo liderado por Angela Merkel tremido, devido aos diferendos em torno da política de migração, os investidores estão a preferir refugiar-se em moedas como o dólar. O euro está a descer 0,67% para 1,1606 dólares. 

 

Petróleo cai com expectativa de aumento de oferta
Os preços do petróleo estão em queda, a reflectir a expectativa de aumento da oferta, depois de Donald Trump ter aumentado a pressão sobre a Arábia Saudita para aumentar a produção de petróleo. Esta pressão está a aumentar a expectativa em torno de mais oferta de matéria-prima, o que está a pressionar os preços do petróleo. O preço barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a cair 1,92% para 77,71 dólares.

 

Ouro em mínimo de Dezembro
O metal precioso está a descer 0,68% para 1.244,14 dólares por onça, o que corresponde a um mínimo de 13 de Dezembro. A queda do ouro está relacionado com o fortalecimento do dólar, que acaba por diminuir o apetite dos investidores por este metal precioso. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI