Mercados num minuto Fecho dos mercados: Bolsa na linha de água, juros em queda e Brent perto de 50 dólares

Fecho dos mercados: Bolsa na linha de água, juros em queda e Brent perto de 50 dólares

A subida do petróleo impulsionou as divisas dos países produtores e deu fôlego às petrolíferas europeias que, a par das mineiras, impediram uma descida do índice europeu Stoxx 600. PSI-20 não resistiu às quedas do grupo EDP.
Fecho dos mercados: Bolsa na linha de água, juros em queda e Brent perto de 50 dólares
Bloomberg
Rui Barroso 16 de maio de 2016 às 17:26

Os mercados em números

PSI-20 cedeu 0,68% para 4.856,98 pontos

Stoxx 600 subiu 0,01% para 334,73 pontos

S&P 500 valoriza 0,86% para 2.064,15 pontos

"Yield" a dez anos de Portugal desceu 2 pontos base para 3,135%

Euro ganha 0,17% para 1,1329 dólares

Petróleo soma 2,80% para 49,17 dólares por barril, em Londres

Bolsas europeias na linha de água

As bolsas europeias apagaram, após a abertura das bolsas dos EUA, parte das perdas registadas no início da sessão. Num dia marcado por feriado em países como a Alemanha, o Stoxx 600 terminou praticamente inalterado com uma subida ligeira de 0,01%. E o arranque da semana só não foi negativo devido aos ganhos das mineiras e das petrolíferas. Os índices que agregam aquelas cotadas subiram 1,78% e 0,91%, respectivamente, num dia de fortes ganhos do petróleo.

"Os sectores mineiro e petrolífero têm tido bom desempenho desde os mínimos de Fevereiro e ambos tiveram uma sessão positiva. Mas precisam de continuar a ter bom comportamento para que a subida das bolsas seja sustentada", disse Jasper Lawler, analista da CMC Markets, citado pela Bloomberg. A contrariar os ganhos daqueles sectores estiveram, esta segunda-feira, as telecoms e as empresas de serviços de utilidade pública ("utilities"), com os respectivos índices a caírem 0,59% e 0,46%, respectivamente.

No outro lado do Atlântico, o S&P 500 segue a negociar em terreno positivo, com a Apple a sustentar os ganhos. A empresa da maçã valoriza mais de 3%, após ter sido divulgado que Warren Buffett fez uma grande aposta nas acções da fabricante do iPhone.

Já a praça lisboeta não conseguiu sair do vermelho. O PSI-20 perdeu 0,68%, pressionado pelas descidas do grupo EDP. A eléctrica liderada por António Mexia desvalorizou 5,59% para 2,99 euros, na sessão em que os títulos começaram a transaccionar sem direito ao dividendo que será pago a 18 de Maio.

Juros da dívida em queda pela quarta sessão

A taxa das obrigações portuguesas a dez anos baixou pela quarta sessão consecutiva. A "yield" desceu dois pontos base para 3,135% e o prémio de risco também corrigiu. Isto numa semana em que o Estado irá concluir a emissão de obrigações para o retalho e em que regressará ao mercado para colocar entre 1,25 mil milhões e 1,5 mil milhões de euros em títulos a seis e a 12 meses.

O diferencial face à Alemanha baixou 3,86 pontos base para 299,2 pontos base.

 

Euribor sobe a seis meses e mantém-se a três e 12 meses

As taxas Euribor subiram esta segunda-feira no prazo a seis meses e mantiveram-se a três e 12 meses em relação a sexta-feira. O indexante a seis meses subiu 0,001 pontos percentuais para -0,143%. Já as Euribor a três e a 12 meses não sofreram alterações, com o indexante a manter-se em -0,257% no prazo mais curto e em -0,012% na maturidade mais longa.                         

 

Petróleo puxa pela coroa norueguesa

As divisas de países produtores de petróleo estiveram em alta, beneficiando da continuação da recuperação do ouro negro. Um dos exemplos foi a coroa norueguesa, que apreciou 0,74% para 0,1227 dólares norte-americanos. Também o real brasileiro viveu uma sessão de ganhos, valorizando 0,92%.

"A valorização do petróleo, que negoceia agora no valor mais alto desde Outubro de 2015, está também a servir de combustível para a subida da cotação de alguns dos activos relacionados com a matéria-prima. Assim, foi sem surpresa que moedas como o dólar canadiano e a coroa norueguesa registaram subidas bastante apreciáveis, dando seguimento às tendências de médio prazo", disse Pedro Ricardo Santos, gestor da XTB Portugal, numa nota.

Brent perto dos 50 dólares

O petróleo está a apenas alguns cêntimos de tocar nos 50 dólares em Londres. Um relatório do Goldman Sachs, que admite que o mercado petrolífero passou de excesso para um défice de oferta em Maio, está a impulsionar os preços da matéria-prima.

O Brent, negociado em Londres, já transaccionou nos 49,47 dólares por barril, ao avançar 3,43% durante a sessão. Este é o valor mais elevado desde Novembro, a última vez que o petróleo que serve de referência para a Europa transaccionou acima dos 50 dólares. Segue a valorizar 2,80% para 49,17 dólares por barril. Já o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, avança 3,07% para 47,63 dólares

O Goldman Sachs antecipa que o WTI irá cotar 50 dólares no segundo semestre, mais cinco dólares do que o preço-alvo definido pelo banco em Março."O reequilíbrio físico do mercado petrolífero começou finalmente", escreve a equipa liderada por Damien Courvalin. "Acreditamos que provavelmente o mercado mudou para um défice em Maio", indica na nota para investidores.

Prata sobe com investimento recorde

A prata valorizou 0,49% para 17,19 dólares e acumula já um ganho de 24% desde o início do ano. As subidas ocorrem numa altura em que os investidores aparentam estar numa corrida pelo metal precioso. Os gestores de fundos de cobertura de risco aumentaram as posições a apostar na valorização em quatro das últimas cinco semanas, segundo dados da Bloomberg. Na semana terminada a 10 de Maio, o número de contratos a apostar na subida teve uma subida de 7% e bateu máximos, segundo a agência financeira.

 

Destaques do dia

CaixaBank já pediu autorização a Bruxelas para comprar BPI. O Caixabank já pediu autorização à Comissão Europeia para comprar a maioria do capital do BPI. Pedido entrou a 12 de Maio e Bruxelas espera decidir até 17 de Junho. Há um ano, a OPA catalã recebeu luz verde das autoridades europeias.

Novo crédito ao consumo atinge valor mais elevado desde 2013. As novas operações de crédito ao consumo superaram os 500 milhões de euros, em Março, atingindo o valor mais elevado desde Janeiro, quando o Banco de Portugal começou a publicar estes dados.

Banco de Portugal entrega 186,3 milhões de dividendos ao Estado. O Banco de Portugal entregou 186,3 milhões de euros de dividendos ao Estado relativos aos lucros de 2015, menos 23,4% do que no ano passado. Queda foi equivalente à verificada nos resultados da instituição liderada por Carlos Costa.

REN avança com recompra de dívida. A empresa liderada por Rodrigo Costa propõe-se a recomprar até 300 milhões de euros em obrigações. Uma operação que tem como objectivo final poupar na factura com os juros.

Goldman Sachs surpreendido com reequilíbrio no petróleo. O mercado do petróleo está a entrar em défice mais cedo do que o Goldman Sachs esperava. O banco reviu em alta as estimativas para o preço do crude no próximo semestre, apontando para os 50 dólares por barril.

Pfizer compra Anacor por 4.600 milhões de euros. A Pfizer comprou a empresa de biotecnologia Anacor. O negócio, anunciou a empresa no seu site na internet, fixou-se nos 5,2 mil milhões de dólares (cerca de 4,6 mil milhões de euros). Um dos objectivos é acelerar o ramo da inovação da farmacêutica americana.

Apple volta a ser a mais valiosa do mundo após a aposta de Buffett. As acções da empresa liderada por Tim Cook sobem mais de 3%, após ter sido revelado que Warren Buffett fez uma grande aposta na fabricante do iPhone. A capitalização da tecnológica voltou a superar a fasquia dos 500 mil milhões de dólares.

 

O que vai acontecer amanhã

Portugal

As acções da Nos passam a negociar sem direito ao dividendo de 0,16 euros. O pagamento é realizado dia 19 de Maio

A APB e a TVI organizam a conferência "O Presente e o Futuro do Sector Bancário", que contará com a presença de vários banqueiros nacionais, bem como de Danièle Nouy, Carlos Costa, António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa

O INE divulga os índices de volume de negócios, emprego, remunerações e horas trabalhadas nos serviços, relativos a Março

O INE publica os índices de preços na produção industrial, relativos a Abril

Zona Euro

São divulgados os dados da balança comercial, relativos a Março

EUA

Primárias para as eleições presidenciais de 2016 decorrem nos estados de Kentucky e Oregon

Divulgação do índice da actividade económica elaborado pela Fed de Chicago, relativo a Abril

Publicação do índice de preços no consumidor, relativo a Abril

Reino Unido

Divulgação do índice de preços no consumidor, relativo a Abril

Vodafone divulga os resultados relativos ao primeiro trimestre 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI