Mercados num minuto Fecho dos mercados: Euro toca em mínimos de quase dois anos e petróleo negoceia nos 75 dólares

Fecho dos mercados: Euro toca em mínimos de quase dois anos e petróleo negoceia nos 75 dólares

As bolsas europeias fecharam em queda, pressionadas pelos resultados de várias cotadas, num dia em que o euro tocou no valor mais baixo desde maio de 2017. Já o petróleo está a subir na Europa e a negociar em torno dos 75 dólares por barril, o que corresponde ao valor mais alto desde outubro.
Fecho dos mercados: Euro toca em mínimos de quase dois anos e petróleo negoceia nos 75 dólares
Reuters

Os mercados em números

PSI-20 desvalorizou 0,09% para os 5.351,77 pontos

Stoxx 600 recuou 0,21% para os 390,15 pontos

S&P 500 avança 0,19% para os 2.932,80 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal avança 1,6 pontos base para 1,183%

Euro recua 0,11% para 1,1143 dólares

Petróleo sobe 0,58% para 75 dólares por barril, em Londres 

 

Bolsas arrastadas por resultados aquém do esperado

As principais praças europeias fecharam a sessão em queda, uma tendência a que a bolsa portuguesa não escapou. O dia ficou marcado pela prestação de contas trimestrais por parte da Nokia, o Barclays e o UBS, com resultados que ficaram aquém das expectativas dos analistas e que desiludiram os investidores.

 

A tecnológica finlandesa reportou um resultado operacional negativo de 59 milhões de euros, um valor que compara com os lucros de 282 milhões antecipados pelos analistas e os lucros de 239 milhões que tinha alcançado no primeiro trimestre do ano passado.

Também os resultados dos bancos foram dececionantes. O Barclays viu os lucros antes de impostos descerem 10% nos primeiros três meses do ano, em relação a igual período do ano passado, impactado pelas condições desafiantes do mercado e pelos receios em torno do Brexit, enquanto o banco suíço fechou o primeiro trimestre com lucros de 1,1 mil milhões de dólares, que comparam com os 1,57 mil milhões registados no ano passado.

 

O Stoxx 600 acabou por encerrar a sessão a perder 0,21% para os 390,15 pontos.

 

Por cá, o PSI-20 desvalorizou 0,09% para os 5.351,77 pontos, penalizado pelo setor papeleiro e pela EDP. A Semapa registou a queda mais expressiva, superior a 3%, mas o movimento é explicado pelo desconto do dividendo, sem o qual teria encerrado a sessão a alta.

 

Já as ações da EDP recuaram perto de 1%, a reagirem ao fim da oferta pública de aquisição (OPA) lançada pela China Three Gorges, depois de os acionistas terem chumbado a desblindagem da contagem dos votos da elétrica, uma das condições impostas pelos chineses para avançarem com a operação.

 

Juros sobem na Europa
As taxas de juro implícitas na dívida dos países europeus seguem em alta, a refletir alguma desconfiança sobre a economia. Ainda assim, as subidas não são acentuadas. A taxa de juro associada à dívida de Portugal a 10 anos está a subir 1,6 pontos base para 1,183%. Já a taxa das obrigações alemãs avança 0,3 pontos para -0,01%.

 

Euro cai para mínimos de quase dois anos

O ambiente que se vive na Europa, com os receios em torno do abrandamento a aumentarem, estão a pressionar a moeda única, que recua 0,11% para 1,1143 dólares, tocando mesmo no valor mais baixo desde maior de 2017. 
 

Petróleo sobe aos 75 dólares
O fim das isenções nas sanções sobre o Irão por parte dos EUA está a impulsionar os preços do petróleo, uma vez que esta medida tem como objetivo reduzir a zero as exportações desta matéria-prima por parte do Irão. Com um dos grandes produtores de petróleo fora do mercado, a especulação sobre a carência de oferta aumenta e provoca a subida dos preços no mercado internacional. O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a apreciar 0,58% para 75 dólares, o que corresponde ao valor mais elevado desde outubro. 

 

Ouro sobe à espera dos dados do PIB dos EUA

O ouro está a apreciar 0,21% para 1.278,41 dólares por onça, numa altura em que os investidores aguardam pelos dados sobre o produto interno bruto (PIB) dos EUA. A primeira leitura do PIB do primeiro trimestre será divulgada esta sexta-feira, 26 de abril, bem como a revisão dos dados de 2018.




Marketing Automation certified by E-GOI