Mercados num minuto Fecho dos mercados: Europa em alta ligeira antes de Powell discursar. Juros e petróleo caem

Fecho dos mercados: Europa em alta ligeira antes de Powell discursar. Juros e petróleo caem

As bolsas europeias fecharam o dia com uma subida tímida, com os investidores a aguardarem pelo discurso de Powell sobre a política monetária. O petróleo continua a desvalorizar e os juros de Portugal caíram, em dia de leilão.
Fecho dos mercados: Europa em alta ligeira antes de Powell discursar. Juros e petróleo caem
Reuters
Gonçalo Almeida 18 de setembro de 2019 às 17:18

Os mercados em números

PSI-20 desceu 1,28% para 4.991,75 pontos

Stoxx 600 subiu 0,02% para 389,41 pontos

S&P500 cai 0,32% para 2.996,36 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 6,8 pontos base para 0,233%

Euro recua 0,09% para 1,1064 dólares

Petróleo em Londres cai 1,18% para 63,76 dólares o barril

 

Europa em leve alta antes de decisão da Fed
No dia em que a reunião de dois dias da Reserva Federal dos EUA termina e é revelada a decisão de Jerome Powell sobre a política das taxas de juro, os mercados europeus fecharam com uma pequena valorização. A dar algum ânimo aos investidores está a expectativa de que a Fed decida mesmo cortar a taxa diretora em 25 pontos base para um intervalo entre 1,75% e 2%. 


O Stoxx 600, índice que agrupa as 600 maiores cotadas da região, valorizou 0,02% para 389,41 pontos.

Por cá, o índice PSI-20 perdeu 1,28% para 4.991,75 pontos, pressionado principalmente pelo setor do retalho, com a Jerónimo Martins a cair 2,64% para 15,69 euros, no dia em que foi alvo de uma nota de análise do banco de investimento Bernstein, onde lhe é conferido um potencial de queda superior a 20%. A Sonae SGPS acompanhou a evolução e recuou 3,48% para 0,845 euros.
 

Petróleo mantém quedas após garantia saudita 

Os preços do petróleo continuam o seu movimento descendente depois de a Arábia Saudita ter dito ontem que iria repor a produção de forma rápida e eficaz.

Hoje, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que iria aplicar mais sanções ao Irão, depois dos ataques às instalações da Saudi Aramco. No entanto, não disse quais seriam as tarifas adicionais.

A Arábia Saudita mantém a sua convicção e reafirmou que foi o Irão, inquestionavelmente, que esteve por detrás dos ataques.

Posto isto, o Brent, o petróleo negociado em Londres e referência para Portugal, desvaloriza 1,18% para 63,76 dólares o barril. O WTI segue a tendência ao cair 1,74% para os 58,31 dólares Por barril.

 

Juros de Portugal descem em dia de leilão
No mercado de dívida, as taxas de juro das principais economias da Zona Euro descem. Portugal não é exceção e a "yield" a 10 anos da dívida soberana portuguesa cai 6,8 pontos base para os 0,233%. 

Hoje, o IGCP foi ao mercado a realizar um duplo leilão de dívida de curto prazo, tendo angariado 1,25 mil milhões de euros. Portugal conseguiu taxas ainda mais negativas a seis e a doze meses e a procura aumentou face ao leilão anterior comparável. 

 

Dólar perto de máximos. Euro perto de mínimos

A divisa dos EUA mantém-se perto de máximos de sete semanas contra o japonês iene, numa altura em que se espera que Jerome Powell decida um corte de 25 pontos base para um intervalo entre os 1,75% e 2%. Face ao euro, o dólar ganha também força e aprecia 0,08% para 0,903 euros. 

Ouro sobe com investidores expectantes

Em dia de decisões, os investidores assumem uma postura defensiva para definirem um foco apenas depois da conferência de Jerome Powell. Posto isto, o ouro, que costuma beneficiar de cenários externos tremidos e de climas de incerteza, segue hoje a valorizar 0,59% para os 1.510 dólares por onça.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI