Mercados num minuto Fecho dos mercados: Investidores em stand-by à espera da Fed deixam bolsas sem rumo, juros em alta e petróleo em queda

Fecho dos mercados: Investidores em stand-by à espera da Fed deixam bolsas sem rumo, juros em alta e petróleo em queda

As bolsas europeias negociaram sem rumo definido no arranque de semana, com os investidores à espera do final da reunião da Fed, esta quarta-feira. Os juros subiram, enquanto o dólar, o petróleo e o ouro seguem com sinal vermelho.
Fecho dos mercados: Investidores em stand-by à espera da Fed deixam bolsas sem rumo, juros em alta e petróleo em queda
Bloomberg
Rita Faria 17 de junho de 2019 às 17:17

Os mercados em números

PSI-20 desceu 1,30% para os 5.063,67 pontos

Stoxx 600 recuou 0,09% para os 378,46 pontos

S&P 500 sobe 0,23% para 2.893,54 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos avançaram 3,0 pontos para 0,631%

Euro ganha 0,23% para 1,1234 dólares

Petróleo desvaloriza 0,77% para 61,53 dólares por barril em Londres

 

Bolsas europeias sem rumo à espera da Fed

As bolsas europeias dividiram-se entre ganhos e perdas esta segunda-feira, 17 de junho, com o mercado à espera do fim da reunião de política monetária da Fed, esta quarta-feira, para definir um rumo. Apesar de não se antecipar qualquer alteração na taxa de juro, os analistas esperam pela indicação de que mais responsáveis do banco central estão abertos a um corte da taxa diretora, para tentar contrariar o impacto do abrandamento global e da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China.

 

Além disso, os investidores aguardam pelas palavras do presidente da Reserva Federal, no final do encontro, para terem mais pistas sobre os planos da autoridade monetária.

 

Neste arranque de semana, o índice de referência para a Europa, o Stoxx600, recuou 0,09% para os 378,46 pontos.

 

O PSI-20 foi um dos índices que ficou do lado das perdas, com uma descida de 1,30% para os 5.063,67 pontos. A penalizar o principal índice nacional esteve sobretudo a Galp, que desvalorizou 2,13% para os 12,87 euros por ação, o nível mais baixo desde dezembro de 2016.

 

Juros sobem após novos mínimos

Os juros da dívida soberana da generalidade dos países do euro subiram esta segunda-feira, depois de na última sessão terem atingido novos mínimos históricos no prazo a dez anos em Portugal, Espanha e na Alemanha.

 

Por cá, a yield a dez anos subiu 3,0 pontos para 0,631%. Nas últimas 12 sessões, os juros só subiram em três e marcaram no final da semana passada um novo mínimo de sempre nos 0,606%.

 

Em Espanha, os juros avançaram 2,5 pontos para 0,521%, na Alemanha agravaram-se em 1,2 pontos para -0,247% e em Itália contrariam a tendência com uma descida de 4,8 pontos para 2,294%.

 

Dólar cai após três sessões de ganhos

O índice que mede o desempenho do dólar face às principais congéneres mundiais está a descer após três sessões consecutivas de ganhos, penalizado pela expectativa de que a Fed apontará esta semana para a necessidade de reverter a normalização da política monetária nos Estados Unidos.

 

Essa possibilidade já foi admitida pelo presidente da Fed de St. Louis James Bullard e pelo próprio presidente da Reserva Federal, Jerome Powell, que garantiu que o banco central vai fazer o que for necessário para apoiar a economia.

 

O índice do dólar desliza 0,06%, enquanto a moeda única europeia sobe 0,23% para 1,234 dólares.

 

Receios de quebra na procura pressionam petróleo

O petróleo está a negociar em baixa ligeira nos mercados internacionais, penalizado pelos receios sobre o impacto que o abrandamento global terá na procura por esta matéria-prima. Essa preocupação foi reforçada nos últimos dias, depois de tanto a OPEP como a Agência Internacional de Energia terem revisto em baixa as suas projeções para a procura este ano, citando as crescentes tensões na frente comercial.

 

Nesta altura, o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, desce 0,63% para 52,18 dólares, enquanto o Brent, transacionado em Londres, recua 0,77% para 61,53 dólares.

 

Ouro corrige de fortes ganhos

O ouro está a negociar em baixa, depois de ter superado os 1.350 dólares por onça, na semana passada, impulsionado pela crescente tensão entre os Estados Unidos e o Irão. Esta segunda-feira, o metal amarelo está a corrigir desses ganhos, com uma queda de 0,23% para 1.338,61 dólares por onça. A prata recua 0,17% para 14,8526 dólares.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI