Mercados num minuto Fecho dos mercados: Juros de Portugal abaixo dos de Espanha. Bolsas e petróleo sobem

Fecho dos mercados: Juros de Portugal abaixo dos de Espanha. Bolsas e petróleo sobem

As bolsas europeias fecharam a subir, assim como o petróleo e o euro, num dia em que imperou o otimismo em relação às negociações comerciais entre os EUA e a China. Os juros de Portugal registaram uma queda ligeira, suficiente para fecharem abaixo da "yield" de Espanha.
Fecho dos mercados: Juros de Portugal abaixo dos de Espanha. Bolsas e petróleo sobem
Reuters
Sara Antunes 07 de outubro de 2019 às 17:25

Os mercados em números

PSI-20 subiu 0,52% para 4.933,21 pontos

Stoxx 600 avançou 0,71% para 382,91 pontos

S&P500 cresce 0,06% para 2.953,83 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos desceram 0,4 pontos base para 0,128%

Euro aprecia 0,05% para 1,0984 dólares

Petróleo em Londres valoriza 1,22% para 59,09 dólares por barril

 

Bolsas europeias sobem à boleia dos EUA/China 

As negociações comerciais entre os EUA e a China voltaram a marcar o passo nos mercados bolsistas. As bolsas subiram, um pouco por toda a Europa, num dia em que imperou o otimismo em relação às negociações comerciais.


Esta semana deverá ser marcada por reuniões em Washington, entre a comitiva liderada pelo vice-presidente chinês, Liu He, e os responsáveis americanos. O conselheiro da Casa Branca, Larry Kudlow, afirmou que os EUA não pretendem excluir da bolsa americana empresas chinesas, o que está a contribuir para o otimismo, depois de responsáveis chineses terem já indicado que os tópicos que precisam de ser discutidos reduziram consideravelmente.

O Stoxx600, índice que agrega as 600 maiores cotadas europeias, avançou 0,71%, a beneficiar do setor petrolífero, que por sua vez refletiu a subida dos preços do petróleo. 

Na bolsa nacional, o PSI-20 avançou 0,52%, num dia em que a Galp se apreciou em mais de 2% e a EDP e a REN atingiram máximos. 

 

Juros de Portugal caem e ficam abaixo dos de Espanha

As taxas de juro implícitas da dívida a 10 anos de Portugal estão a descer, numa altura em que os resultados das eleições legislativas apontam para um cenário de estabilidade política. Esta é, pelo menos, a análise que está a ser feita pelos investidores, o que está a contribuir para a descida dos juros de Portugal no mercado secundário.

 

A "yield" da dívida portuguesa a 10 anos desceu 0,4 pontos base para 0,128%, uma queda ligeira, mas suficiente para ficar abaixo dos juros espanhóis, que fecharam hoje nos 0,131%. Espanha está à beira de novas eleições – agendadas para 10 de novembro - , depois de os líderes não terem conseguido chegar a um acordo para formar Governo. O PSOE, de Pedro Sánchez, venceu as últimas eleições, mas sem maioria absoluta e sem conseguir fechar qualquer acordo que permitisse constituir um Executivo.

 

Já os juros da Alemanha avançaram 1,3 pontos para -0,577%

 

Dólar sob os holofotes com guerra comercial e Fed no horizonte

A moeda americana continua sob todas as atenções. Além do aproximar de uma nova ronda de negociações comerciais entre os EUA e a China, esta semana o presidente da Reserva Federal (Fed), Jerome Powell, vai discursar e serão publicadas as minutas da reunião de setembro, questões que poderão dar mais sinais sobre o que fará a Fed na reunião que está agendada para o final de outubro. Isto numa altura em que a aposta sobre um novo corte de juros está a aumentar.

 

Petróleo sobe mais de 1%

Os preços do petróleo estão a subir mais de 1%, a recuperar da maior queda semanal desde julho. A matéria-prima registou uma queda superior a 5% na semana passada, devido aos dados económicos, que apontam para uma deterioração da economia mundial, e à recuperação da produção por parte da Arábia Saudita, cuja produção foi fortemente afetada pelos ataques com drones de que foram alvo duas importantes instalações petrolíferas do país.

 

A contribuir para a subida dos preços do ouro negro está também a expectativa em torno das negociações entre os EUA e a China. Assim, o barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a subir 1,22% para 59,09 dólares.

 

Cobre em mínimos de um mês

O nervosismo em torno das negociações comerciais está a afetar a negociação dos metais. O cobre está entre os metais em queda, com o preço a descer para valores próximos de mínimos de um mês. Em queda está também o níquel. Já o ouro está a descer 0,33% para 1.499,58 dólares por onça, numa altura em que os investidores parecem não estar a apostar em ativos de refúgio. 

 




Marketing Automation certified by E-GOI