Mercados num minuto Fecho dos mercados: Otimismo na frente comercial dá força à Europa. Petróleo mantém queda e juros sobem

Fecho dos mercados: Otimismo na frente comercial dá força à Europa. Petróleo mantém queda e juros sobem

Os comentários dos representantes de Washington e Pequim sobre a sua relação comercial animaram os investidores e os mercados europeus valorizaram. A situação do Brexit e os resultados empresariais continuam em foco.
Fecho dos mercados: Otimismo na frente comercial dá força à Europa. Petróleo mantém queda e juros sobem
Bloomberg
Gonçalo Almeida 21 de outubro de 2019 às 17:28

Os mercados em números

PSI-20 subiu 0,79% para os 5.016,45 pontos

Stoxx 600 avançou 0,61% para 394,22 pontos

S&P500 valoriza 0,56% para 3.002,86 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos sobem 3,7 pontos base para 0,231%

Euro recua 0,11% para 0,115 dólares

Petróleo em Londres cai 1,48% para 58,54 dólares o barril

Europa à boleia de negociações comerciais e Brexit

Os principais mercados europeus terminaram o primeiro dia da semana em alta, animados com os comentários vindos dos EUA e da China sobre a sua relação comercial. O Stoxx 600, índice que reúne as 600 maiores cotadas da região, valorizou 0,61% para 394,22 pontos

Na sexta-feira passada, o presidente dos EUA Donald Trump disse que iria alcançar um acordo com a China a meio de novembro, altura em que se vão encontrar no Chile, na cimeira económica da Ásia-Pacífico. Neste fim-de-semana, o vice-primeiro ministro chinês, Liu He, reforçou a confiança dos investidores ao dizer que ia voltar a trabalhar com Washington para selar o acordo parcial.

Do Reino Unido surgiram mais novidades sobre o Brexit. Desta vez, o "speaker" da Câmara dos Comuns, John Bercow, considerou que as circunstâncias atuais são as mesmas das de sábado e por isso decidiu não avançar com uma "votação significativa" do acordo de saída.

Por cá, a bolsa nacional valorizou 0,79% para os 5.016,45 pontos, apoiada pelo BCP, que disparou quase 4%. Hoje, a a petrolífera angolana Sonangol "reafirmou o interesse do acionista no investimento realizado e na permanência como acionista de referência" do banco português.

 

Juros da Zona Euro em alta

No mercado secundário, os juros da Alemanha a dez anos sobem 4 pontos base para os -0,346%. Os de Portugal acompanham esta tendência e sobem 3,7 pontos base para 0,231%, tendo hoje tocado no valor mais elevado desde 20 de setembro.

Em Itália, os juros a dez anos estão a subir 5,7 pontos base para os 0,980%.

 

Libra aprecia ligeiramente. Euro cai
Num clima de incerteza em torno do Brexit, a moeda britânica começou por reagir em baixa ao "Super Sábado", mas segue agora a apreciar 0,04% para os 1,298 dólares, uma subida tímida que se gerou após a suspensão da votação decidida por John Bercow. 

O euro vai caindo 0,11% para 0,115 dólares.

 

Petróleo cai com nova previsão sombria da economia

Os preços do petróleo caíram novamente com os receios constantes de que uma perspetiva económica frágil continue a pesar sobre a procura de petróleo a nível global. O preço do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal cai 1,48% para 58,54 dólares por barril.

Hoje, o Fundo Monetário Internacional (FMI) lançou uma previsão que coloca a China, o segundo maior consumidor de petróleo do mundo, a crescer ainda menos que este ano: pode ficar-se pelos 5,8% em 2020, abaixo dos 6% registados pelo país até setembro deste ano.

 

Ouro e paládio caem

Dados os ganhos nos mercados europeus e a confiança dos investidores, o ouro cai 0,27% para os 1.486,04 dólares por onça. O metal precioso, considerado um ativo seguro, que serve de refúgio em alturas mais turbulentas segue hoje em queda, em contraciclo com os mercados bolsistas.

O paládio voltou novamente a cair, retomando a tendência da semana passada, ainda a ser pressionado pelos receios sobre a oferta. Desvaloriza 0,2% para os 1.752,42 dólares por onça. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI