Obrigações Benfica quer 50 milhões em obrigações. Dá juro de 4,25%

Benfica quer 50 milhões em obrigações. Dá juro de 4,25%

A SAD dos encarnados anunciou o lançamento de uma nova emissão obrigacionista por três anos em que propõe aos investidores um retorno bruto de 4,25%. O prazo de subscrição arranca no dia 20 de Abril.
Benfica quer 50 milhões em obrigações. Dá juro de 4,25%
Paulo Moutinho 15 de abril de 2016 às 22:41

O Benfica está de volta ao mercado para obter financiamento. Anunciou o lançamento de uma nova emissão de obrigações a três anos em que procura 50 milhões de euros junto de "adeptos" do clube. Para atraí-los para estes títulos, com os quais irá reembolsar a anterior operação lançada em 2013, apresenta um juro de 4,25%. É quase metade do que ofereceu há três anos.

 

A Sociedade Anónima Desportiva (SAD) anunciou, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) esta sexta-feira, 15 de Abril, o lançamento de uma "emissão de obrigações por oferta pública de subscrição com o valor nominal unitário de cinco euros e até ao montante máximo de 50 milhões de euros, a serem oferecidas à subscrição junto do público em geral".

 

"As ordens de subscrição devem ser apresentadas para um montante mínimo do investimento de cem euros e em múltiplos de cinco, sendo que o "empréstimo tem uma duração de três anos, sendo o reembolso das obrigações efectuado ao valor nominal, de uma só vez, em três de Maio de 2019", acrescenta a SAD liderada por Luís Filipe Vieira. Até lá, os investidores receberão juros semestralmente.

 

"As obrigações são remuneradas à taxa fixa e igual a 4,25% ao ano (taxa anual nominal bruta, sujeita ao regime fiscal em vigor), devendo ser solicitado ao intermediário financeiro a simulação da rentabilidade líquida, após impostos, comissões e outros encargos", acrescenta o mesmo comunicado. Estas comissões e encargos tendem a ter um peso elevado na rendibilidade efectiva dos títulos.

 

Esta taxa compara negativamente com a de 7,25% da emissão realizada em 2013. No entanto, é elevada no contexto actual de juros praticamente zero, o que poderá atrair investidores para estes títulos. E quem quiser subscrevê-los terá "entre as 8h30 do dia 20 de Abril de 2016 e as 15h00 do dia 29 de Abril de 2016", diz o Benfica.

 

Pagar a última emissão

 

O Benfica pretende obter 50 milhões de euros com esta nova emissão de obrigações, montante esse que será destinado essencialmente ao pagamento da anterior emissão de dívida realizada em 2013. Como vem sendo habitual, as SAD têm procurado saldar os valores das obrigações que atingem a maturidade com a emissão de novos títulos. Neste caso, com um custo bem menor.

 

"O produto líquido da oferta destina-se ao financiamento da actividade corrente da Benfica SAD, permitindo-lhe consolidar o respectivo passivo num prazo mais alargado, através do refinanciamento de operações que se vencerão num futuro próximo, nomeadamente o reembolso do empréstimo obrigacionista denominado ‘Benfica SAD 2016’ (...) no montante de 45 milhões de euros", diz a SAD.

 

Bancos ganham

 

A SAD dos encarnados não irá ficar com os 50 milhões de euros, caso a oferta seja totalmente subscrita. Isto porque terá de pagar comissões aos bancos. "O presente processo de organização, montagem, admissão à negociação da Oferta e colocação é organizado pelo Haitong Bank e pelo Montepio Investimento", refere o Benfica. Ou seja, são os líderes da operação, e que arrecadam as maiores comissões, mas há mais bancos.

 

O Benfica aponta para um valor "estimado de 1,69 milhões de euros de comissões, incluindo as comissões de organização e montagem, a pagar aos coordenadores globais, e de colocação, a pagar aos membros do sindicato de colocação, valor que inclui os impostos aplicáveis, e um valor aproximado de 77.500 euros de outros custos associados à oferta". 

 

Nesta operação participam também o ActivoBank, Banco Best, CaixaBI, CEMG, CGD, Millennium bcp, Novo Banco e Novo Banco dos Açores.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI