Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

EDP financia-se em mil milhões de euros com juro de 1,125%

A eléctrica esteve no mercado esta quinta-feira para se financiar a oito anos. A forte procura levou a que o montante a emitir fosse revisto em alta de 750 milhões para 1.000 milhões de euros.

A EDP é a cotada que distribui um maior montante em dividendos na bolsa portuguesa. Mas também recebe remunerações das posições de 77,5% na EDP Renováveis e de 5% na REN, que implicam dividendos acima de 38 milhões de euros.
Miguel Baltazar/Negócios
Rui Barroso ruibarroso@negocios.pt 04 de Agosto de 2016 às 15:40
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...

A EDP, uma das empresas que tem obrigações que integram a lista de compras do BCE, esteve esta quinta-feira no mercado para se financiar. A eléctrica angariou 1.000 milhões de euros em títulos com maturidade em Fevereiro de 2024, informou a eléctrica. Segundo um comunicado divulgado pela eléctrica ao mercado, a taxa de cupão da operação foi de 1,125%.

A "EDP Finance BV fixou hoje o preço de uma emissão de obrigações no montante de EUR 1.000.000.000 com vencimento em Fevereiro de 2024 e cupão de 1,125%", referiu a eléctrica em comunicado. Informou que "esta emissão destina-se a financiar as necessidades decorrentes da actividade normal da empresa, permitindo alongar o seu prazo de maturidade e reforçar a flexibilidade financeira".

As ordens recebidas totalizaram mais de 2.700 milhões de euros segundo a Bloomberg. A forte procura levou a que o objectivo inicial da emissão, que era de 750 milhões de euros, fosse revisto em alta para 1.000 milhões de euros. O Bank of America, o BNP Paribas, o Deutsche Bank, o HSBC, o JP Morgan, o BCP, o Mitsubishi Financial, o Santander e o Société Générale foram os bancos a gerira esta operação de financiamento.

As empresas da Zona Euro têm conseguido melhores condições de mercado para se financiar, devido ao programa de compra de obrigações de empresas não-financeiras que o BCE iniciou a 8 de Junho deste ano.

Ao abrigo deste programa, a entidade liderada por Mario Draghi pode fazer compras não só no mercado secundário, mas também em mercado primário. Essa medida do BCE, que foi anunciada em Março, levou a uma descida das taxas das obrigações empresariais e está a ser aproveitada pelas emitentes para se refinanciarem a custos mais baixos e com prazos mais longos.

Para se ter uma ideia da descida das taxas de juro, uma das linhas de obrigações da EDP, que tem maturidade em 2025, negociava com uma taxa superior a 3% no final de ano. Actualmente a rendibilidade exigida pelos investidores é de metade, situando-se em 1,431%.

Além da EDP, também a REN e a Brisa Concessões têm obrigações que podem ser incluídas no programa do BCE, já que dispõem de pelo menos um "rating" em grau de investimento, e também já fizeram operações de financiamento nos últimos meses para tirar partido das condições de financiamento mais favoráveis. 

(Notícia actualizada às 17:00 com dados finais da operação)

Ver comentários
Saber mais EDP BCE Zona Euro António Mexia Deutsche Bank economia negócios e finanças obrigações
Outras Notícias