Obrigações Feiticeiros das obrigações encontram formas exóticas de ganhar com as taxas negativas

Feiticeiros das obrigações encontram formas exóticas de ganhar com as taxas negativas

É o equivalente da alquimia no mercado de obrigações: converter taxas de juros negativas em rendimentos através de magia com derivados.
Bloomberg 11 de setembro de 2019 às 21:22

Com a montanha de 15 biliões em dívida com "yield" negativa, os bancos de investimento têm encontrado soluções exóticas para investidores que desejam apostar em todos os tipos de ativos, desde taxas cada vez mais baixas até ao ciclo de crédito em expansão.

 

Alimentadas por swaps e opções, estas estruturas ousadas visam saciar a sede de retornos, cuja tendência é de contínuo crescimento devido às esperadas medidas de estímulo do Banco Central Europeu esta semana, o que poderia encolher ainda mais os rendimentos dos títulos de dívida da zona do euro.

 

"A procura e o interesse estão a aumentar, porque claramente não há alternativa", disse Kokou Agbo-Bloua, chefe global de estratégia do Société Générale, que desenvolve trades e operações de cobertura de risco para investidores que pretendem retornos rápidos e gestoras de ativos.

 

É um setor em expansão: investidores tinham um total de 273 mil milhões de euros em produtos estruturados na Áustria, Bélgica, Alemanha e Suíça - alguns dos maiores mercados da Europa - no final de junho. O volume representa um aumento de 9% face ao ano anterior.

 

Estes são alguns produtos que oferecem taxas robustas nesta altura.

 

Downside Up

Quer lucrar com a repressão financeira numa região em que alguns bancos podem cobrar aos clientes ricos pelos seus depósitos? Considere os chamados "inverse floaters", que oferecem taxas que sobem à medida que as taxas se afundam ainda mais em terreno negativo. Uma estratégia semelhante aos fundos exchange-traded funds (ETF) que ganham quando os mercados caem.

 

Um "inverse floater" típico de 10 anos resgatável pode pagar uma taxa de cupão equivalente a 0,5% ou 1% menos a taxa de swap a cinco anos com um multiplicador, de acordo com Agbo-Bloua, que trabalha em Londres.

 

"Para qualquer seguradora ou fundo de pensões, isso seria consistente com seu mandato e proporcionaria uma diversificação das posições atuais, que não estão a render muito", afirmou o diretor do Société Générale.

 

Sentimento negativo

Se perdeu dinheiro com as taxas negativas nos mercados monetários da zona do euro, existe uma negociação estruturada para ajudar. O banco alemão Landesbank Hessen-Thueringen vendeu 30 milhões de euros em títulos resgatáveis em julho, que pagam uma taxa de cupão fixa de 1,889%. Tudo depende do swap de taxa de juros a dois anos em euros continuar negativa até 2021.

 

Pense nisso como uma aposta na estagnação da zona do euro.

 

Títulos junk sumarentos

Os bancos venderam grandes volumes de títulos estruturados ligados a índices de swaps de crédito sobre títulos com classificação junk (lixo). Desta forma, os investidores podem obter juros mais altos face aos títulos com garantia em dinheiro, devido ao prémio pago pelos que estão do lado oposto da negociação: os compradores de CDS.

 

A estratégia parece particularmente atrativa agora, devido ao risco de liquidez em obrigações de um único emissor e o crescente volume taxas negativas nesta classe de ativos. A quantidade de títulos corporativos de alto risco em euros negociados com rendimentos abaixo de zero é de cerca de 6,9 mil milhões de euros, segundo dados da Bloomberg.

 

"É uma alternativa muito boa às obrigações clássicas", refere o broker Arthur Teixeira, da HPC Investment Partners, sustentando que uma transação típica em euros pode pagar um juro de 2,26% a cinco anos.




Marketing Automation certified by E-GOI