Obrigações Juros portugueses sobem e risco da dívida dispara para máximos de Fevereiro

Juros portugueses sobem e risco da dívida dispara para máximos de Fevereiro

Os juros da dívida pública a dez anos estão a disparar mais de 13 pontos base para negociarem no valor mais alto em um mês. Já o risco da dívida está em máximos de Fevereiro, devido aos receios em torno do Brexit.
Juros portugueses sobem e risco da dívida dispara para máximos de Fevereiro
Rita Faria 14 de junho de 2016 às 12:13

Os juros da dívida pública portuguesa estão a subir esta terça-feira, 14 de Junho, pela terceira sessão consecutiva, acompanhando uma tendência de agravamento que se estende à generalidade dos países do sul da Europa.

A ‘yield’ associada às obrigações portuguesas a dez anos avança 13,4 pontos base para 3,356%, o valor mais alto desde 11 de Maio. No prazo a cinco anos, os juros sobem 10,9 pontos para 2,127%.

Além dos juros, também o risco da dívida portuguesa – medido pelo ‘spread’ face à dívida alemã - está a crescer, tendo atingido o valor mais alto desde Fevereiro. O diferencial entre a "yield" da dívida portuguesa e alemã situa-se esta terça-feira nos 333,5 pontos base, uma subida de 16,5 pontos base face à véspera. 

Esta evolução é explicada pelo agravamento das ‘yields’ portugueses e pelo alívio dos juros alemães, que contrariam a tendência com uma descida de 3,9 pontos base para -0,015% no prazo a dez anos. Os juros da Alemanha já negociavam com sinal menos nas linhas de dívida de curto prazo, no entanto é a primeira vez que baixaram o zero na taxa de referência.

A dívida alemã é considerada um activo mais seguro e, por isso, uma aposta dos investidores que querem fugir dos investimentos mais arriscados.

Essa aversão ao risco está a afundar as bolsas europeias e a moeda única, numa altura em que a ameaça da saída do Reino Unido da União Europeia começa a assustar os mercados. As sondagens apontam para a vitória do Brexit no referendo do próximo dia 23 de Junho e até o jornal mais lido do país, o The Sun, se juntou à campanha a favor do abandono do bloco dos 28.

Os principais índices bolsistas europeus negoceiam no valor mais baixo desde Fevereiro enquanto o euro cai mais de 0,5% face ao dólar. A libra britânica, por seu lado, atingiu mínimos de oito semanas. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI