Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Juros da dívida em queda pela segunda sessão

Após a forte recuperação registada na última sessão, os juros da dívida soberana portuguesa estão novamente em queda. O prémio de risco está também a recuar, num dia em que Portugal paga 3,18 mil milhões de euros aos investidores.

Miguel Baltazar/Negócios
André Tanque Jesus andrejesus@negocios.pt 15 de Fevereiro de 2016 às 10:02
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...

Os juros da dívida soberana portuguesa estão a recuar em força esta segunda-feira, 15 de Fevereiro. A taxa das obrigações a 10 anos já negoceia abaixo dos 3,6%, numa tendência comum a todas as maturidades. Portugal prolonga, assim, a recuperação no mercado secundário de dívida, depois das fortes subidas da última semana.

Após ter negociado num máximo de 4,533% a 11 de Fevereiro, a "yield" de Portugal a 10 anos está agora a recuar pela segunda sessão consecutiva. Cai 15,4 pontos base para 3,580%, continuando a queda de 37 pontos registadas na sexta-feira, 12 de Fevereiro. A recuar estão mesmo os juros em todas as maturidades, com a taxa a dois anos a cair 16,1 pontos para 1,039%, ao passo que a taxa a cinco anos desce 20 pontos para 2,425%.

Estes desempenhos positivos estão a ser acompanhados por Espanha e Itália, cujas "yields" a 10 anos recuam, respectivamente, 4,1 pontos para 1,697% e 3,9 pontos para 1,611%. Em sentido contrário está a dívida alemã. A taxa das obrigações a 10 anos sobe 0,5 pontos para 0,266%, levando o "spread" de Portugal a cair para 331,5 pontos.

Mas o destaque em Portugal vai também para o reembolso de 2.088 mil milhões de euros, referentes a obrigações emitidas em Fevereiro de 2011. A dívida que vence esta segunda-feira foi a última de médio e longo prazo emitida antes da chegada da troika e teve o juro mais elevado desde a entrada de Portugal no euro. O Tesouro terá ainda de pagar cupões das obrigações em causa e de outras três linhas distintas, num montante que ascende a 1.088 milhões. 

Ver comentários
Saber mais juros da dívida dívida portuguesa Comissão Europeia Governo OE2016 António Costa taxas de juro obrigações mercados
Mais lidas
Outras Notícias