Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

S&P: Estabilidade do Governo em risco se necessária maior restrição orçamental

As previsões desenhadas pela equipa das Finanças são optimistas. A Standard & Poor's antecipa, por isso, que poderão ser necessárias mais medidas para cumprir os objectivos orçamentais. Algo que poderá pôr em causa a estabilidade do Governo.

André Tanque Jesus andrejesus@negocios.pt 27 de Janeiro de 2016 às 18:36
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

A Standard & Poor’s considera que as previsões do orçamento do Governo para 2016 são optimistas. Por isso, considera a agência de notação financeira, poderá ser necessário adoptar mais medidas de contenção do défice. A acontecer, a estabilidade da aliança que suporta o Executivo ficará em causa.

"Prevemos que o novo Governo continuará comprometido com políticas que reforcem uma maior consolidação orçamental", aponta a S&P, num comunicado enviado ao Negócios. Certo é, salienta a agência de notação financeira, que o ritmo de ajustamento das contas públicas será mais lento, "como está reflectido no objectivo de 2,6% do PIB para o défice do Estado em 2016".

Reconhecendo o compromisso do Executivo liderado por António Costa, a S&P salienta, contudo, que "o pressuposto subjacente do Governo para o crescimento nominal do PIB parece inclinado para o lado optimista". Este contexto implicará que, "caso o crescimento económico fique abaixo das actuais previsões do Governo, sessão necessárias medidas adicionais de redução do défice para cumprir com o actual objectivo orçamental".

E se este é por si um problema, a S&P acredita que outro poderá surgir como consequência. "Acreditamos que, nesse caso, a estabilidade do Governo provavelmente seria testada", defende a agência de notação financeira. Além disso, acrescenta, "desvios ou reversões significativas à política económica levarão a uma divergência face às métricas creditícias actualmente previstas".

Resultado? Isto iria "pesar negativamente na actividade de investimento na economia portuguesa", considera a S&P. Mas as consequências não ficariam por aqui, conclui a agência, já que "a trajectória de económica e orçamental de longo prazo do Estado" também seria afectada.

Ver comentários
Saber mais rating dívida Standard & Poor's notação financeira lixo Portugal obrigações mercados
Mais lidas
Outras Notícias