Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euribor renova mínimos a três e 12 meses. Sobe a seis meses

Depois de ter recuado para zero, a taxa a seis meses, a mais utilizada em Portugal, voltou a subir. A taxa a três meses está ainda mais negativa.

Reuters
Negócios com Lusa 05 de Novembro de 2015 às 10:47
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

As Euribor desceram esta quinta-feira, 5 de Novembro, para novos mínimos a três e 12 meses. Acentuaram a descida desde que na última reunião Mario Draghi deixou em aberto a possibilidade de avançar já em Dezembro com mais estímulos à economia tendo em conta a travagem na inflação, mas a Euribor a seis meses subiu.

A taxa a seis meses, a mais utilizada pelas famílias portuguesas como indexante nos contratos de crédito à habitação, subiu 0,001 pontos percentuais para 0,001%. Recuperou face aos 0,000% que tinha atingido na sessão anterior, depois de vários dias de quedas acentuadas.


Inverteu a tendência, evitando para já o nível negativo, contrariando assim o desempenho das taxas para os restantes prazos. É que tanto nos prazos mais curtos como mais longos registaram-se novas descidas para mínimos históricos.


A Euribor a três meses, que está em "terreno" negativo desde 21 de Abril, foi fixada em -0,071%, novo mínimo e menos 0,002 pontos do que na quarta-feira, 4 de Novembro. Esta taxa é utilizada como referência nos empréstimos à habitação por 675 mil famílias portuguesas.


Por seu lado, a Euribor 12 meses também desceu para novos mínimos de sempre. No prazo de 12 meses, a Euribor foi fixada em 0,098%, novo mínimo e menos 0,003 pontos do que na sessão anterior.

Ver comentários
Saber mais Mario Draghi juros Euribor crédito taxas indexante empréstimos habitação BCE Mario Draghi
Outras Notícias