Taxas de juro Goldman diz à Fed para deixar de preocupar-se com a valorização do dólar

Goldman diz à Fed para deixar de preocupar-se com a valorização do dólar

O Goldman Sachs defende que um dólar forte deverá ter pouco impacto nos preços no consumo nos EUA, num momento em que vários oficiais da Fed argumentam que uma nova subida dos juros pode acontecer já em Abril.
Goldman diz à Fed para deixar de preocupar-se com a valorização do dólar
Bloomberg
Patrícia Abreu 24 de março de 2016 às 14:41

Num momento em que é o único grande banco central a iniciar um ciclo de subida de juros, tentar conter a valorização do dólar é uma das principais preocupações da Reserva Federal dos EUA. Mas o Goldman Sachs defende que o banco central norte-americano deve abandonar a preocupação com a alta da moeda, pois a divisa representa pouco risco para as metas de inflação.


A expectativa de uma divergência monetária prolongada entre os EUA e as principais regiões do Globo, nomeadamente a Europa, tem levado os investidores a anteciparem uma subida do dólar face às principais divisas. O índice do dólar face às principais divisas mundiais cede 2,6% em 2016, depois de ter escalado 9% em 2015 e 11% um ano antes.


A inflação é uma das principais preocupações da instituição liderada por Janet Yellen, mas o Goldman Sachs diz que, não estando um dólar forte a traduzir-se de modo significativo na descida dos preços da importação, a valorização da moeda representa pouca ameaça para as metas da Fed.


"A maioria dos efeitos de um dólar forte nos preços na importação já foram concretizados", escreveram os analistas Zach Pandl e Elad Pashtan numa nota citada pela Bloomberg. Os mesmos especialistas sugerem que, segundo os dados que têm sido divulgados, o dólar está a ter menos efeito na inflação do que as projecções da Fed.


Janet Yellen adiantou na semana passada que um dólar mais forte pode continuar a pressionar os preços no consumo. Os oficiais baixaram as suas estimativas para a subida dos preços este ano dos anteriores 1,6% para 1,2%.


Maior probabilidade de subida de juros


Este "research" surge num momento em que está a aumentar a probabilidade de uma subida de juros nos EUA já em Abril. Esta possibilidade foi já admitida esta semana por vários membros da Fed, perante os sinais de uma recuperação sustentada nos EUA.

O presidente da Fed de S. Louis, James Bullard, adiantou esta quinta-feira, 24 de Março, que uma nova subida dos juros poderá estar para breve, caso a economia norte-americana continue a evoluir como esperado. Estas declarações vêm no mesmo sentido das realizada por outros três membros da instituição ao longo da semana, que apontaram a reunião de Abril como a data possível para uma nova mexida na taxa de referência.


De acordo com as previsões citadas pelo MarketWatch, as probabilidades de uma subida de juros nos EUA na próxima reunião, que decorre no dia 27 de Abril, passou de 7% para 14%. A instituição estima fazer duas subidas da taxa de referência este ano.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI