Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Investimento em certificados cresceu ao ritmo mais baixo do ano

Em Setembro, o valor aplicado em certificados foi um dos mais baixos do ano. Mas o Estado já garantiu quase 80% da meta para 2016.

Rui Barroso ruibarroso@negocios.pt 20 de Outubro de 2016 às 12:55
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...

Os aforradores desaceleraram a subscrição de certificados de aforro (CA) e de certificados do tesouro poupança mais (CTPM) em Setembro. O crescimento do valor colocado nestes produtos teve um dos ritmos mensais mais baixos do ano. No mês passado, o "stock" de CA e de CTPM cresceu 254 milhões de euros, segundo dados divulgados esta quinta-feira, 20 de Outubro, no Boletim Estatístico do Banco de Portugal.

É um nível semelhante ao de Junho, que tinha sido o mês mais fraco de 2016, altura em que o montante aplicado tinha crescido 255 milhões de euros. E os números de Setembro ficam abaixo da média mensal de 305 milhões de euros verificada nos oito primeiros meses do ano.

Certificados do Tesouro continuam a ganhar peso

Os CTPM, que pagam uma taxa efectiva ilíquida de 2,23% para quem os detenha por um período de cinco anos, continuam a ganhar cada vez mais popularidade face aos CA. Em Setembro, o montante aplicado em CTPM aumentou 249 milhões de euros, face ao crescimento do "stock" dos CA de apenas cinco milhões de euros (incluindo já o efeito da capitalização acumulada).


E essa tendência deverá intensificar-se no próximo ano, já que na proposta de Orçamento do Estado, o Governo prevê um contributo líquido de três mil milhões de euros dos CTPM no financiamento público. Já para os CA, que têm actualmente uma taxa bruta de 0,699%, a estimativa é de saídas líquidas de dois mil milhões de euros no próximo ano.

Neste produto está agendada para o final deste ano o fim do prémio de 2,75% da série C, lançada em 2012. E Cristina Casalinho, presidente do IGCP, já indicou que não descarta a hipótese de se alteraram as taxas no final de 2016 ou início de 2017.

Estado garante quase 80% da meta para 2016

Apesar da diminuição do ritmo de crescimento em Setembro, o Estado já garantiu quase 80% do financiamento previsto para este ano através destes instrumentos de poupança. Desde o início do ano o "stock" destes instrumentos cresceu 2.726 milhões de euros, cerca de 78% dos 3.500 milhões de euros previstos obter este ano pelo IGCP. Fica a faltar obter 774 milhões de euros em três meses para atingir aquela meta.

Além do contributo para o financiamento do Estado através de CA e CTPM, os investidores de retalho também disseram presente num outro produto de poupança lançado pelo Estado, as obrigações do tesouro de rendimento variável (OTRV). O IGCP realizou já duas ofertas públicas de subscrição de OTRV este ano, tendo captado 1.950 milhões de euros junto de pequenos investidores. 

Ver comentários
Saber mais Certificados de aforro CTPM financiamento
Mais lidas
Outras Notícias