Outros sites Cofina
Negocios em rede
Mais informações

C•Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do universo Cofina.
Aqui as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Notícia

Cloud híbrida: uma opção que ganha força

A pandemia veio dar maior suporte a uma realidade que aos poucos se começava a desenhar: a cloud é a escolha das organizações em todo o mundo, de olho nos custos, escalabilidade, segurança e flexibilidade.

28 de Outubro de 2021 às 08:03
O Data Center Altice da Covilhã é o maior centro de processamento de dados em Portugal e um dos dez maiores do mundo com capacidade para instalar mais de 50.000 servidores ligados à rede de fibra ótica.
O Data Center Altice da Covilhã é o maior centro de processamento de dados em Portugal e um dos dez maiores do mundo com capacidade para instalar mais de 50.000 servidores ligados à rede de fibra ótica.

Até ao final do próximo ano, prevê-se que 90% das organizações a nível mundial trabalhem o negócio suportado numa combinação de clouds privadas, públicas e plataformas legacy. Os dados, apresentados pela IDC, estão em linha com os valores globais da grande maioria das empresas de estudos de mercado, nos quais se percebe ainda que a escolha de uma estratégia híbrida neste campo agrada a 87% das organizações a nível mundial, 93% das quais tencionam já apostar numa solução multicloud.

Um cenário que não é novo para quem se movimenta neste setor. Em 2020, a IDC reportou que os serviços cloud cresceram 24,1% em todo o mundo, atingindo um montante de 312 mil milhões de dólares (cerca de 265 mil milhões de euros), no final do ano.

Em Portugal, o dinamismo foi semelhante, com as empresas centradas nesta transição para uma economia mais digital e com os serviços de cloud a assegurarem um crescimento substancial. Segundo estimativas da IDC, em 2020 os serviços de cloud aumentaram cerca de 20% em Portugal, face a 2019, atingindo um investimento total de 300 milhões de euros. Estes dados dão conta de uma mudança evidente que começou a ganhar forma em 2018, mas que acelerou fortemente com a chegada da pandemia e a necessidade de encontrar alternativas viáveis. Na realidade, a IDC aponta que os serviços cloud foram o segmento que mais cresceu no mercado das tecnologias, devido às necessidades do teletrabalho, de maior segurança e de canais digitais de relacionamento com o cliente.

 

Uma estratégia europeia para a cloud

A União Europeia (UE) planeia investir entre quatro e seis mil milhões de euros em espaços comuns de dados na Europa e numa federação europeia de infraestruturas e serviços de computação em nuvem.

O objetivo desta iniciativa é potenciar a partilha de dados entre os diversos Estados-membros e, ao mesmo tempo, trabalhar no sentido de promover o desenvolvimento da inteligência artificial. Uma vez criado este tipo de infraestrutura, os dados ficam guardados numa "nuvem" de servidores, mas estão acessíveis a partir de qualquer dispositivo com ligação à web.

As medidas estão integradas num pacote mais abrangente que compreende a Estratégia Digital Europeia e é mais um passo no sentido de balançar as empresas do Velho Continente no mercado dos gigantes tecnológicos, removendo as dificuldades em partilhar dados entre os vários países da Europa comunitária.

Híbrido versus tradicional cloud

O caminho para a adoção da cloud é um trajeto inevitável sempre que as organizações procurem ser mais competitivas. No entanto, outros benefícos do próprio modelo cloud ganham também força como o modelo "pay per use", com um baixo investimento inicial, ou a diminuição dos receios com a segurança. O modelo tradicional cloud permite armazenar os dados numa nuvem pública partilhada por diferentes utilizadores, oferecendo fácil escalabilidade, redução de custos a longo prazo e melhor desempenho da rede.

As vantagens do modelo híbrido são claras: os ambientes permitem às empresas uma maior diversidade no catálogo de serviços disponível, menores entraves à mudança, maior adequação às necessidades do negócio e ainda maior poder de negociação. Na realidade, os ambientes híbridos impulsionam a procura de plataformas de gestão multicloud para auxiliar e gerir diferentes workloads entre diferentes ambientes cloud.

Oferta diferenciada

A Altice Empresas apresenta uma oferta pioneira em matéria de cloud híbrida trazendo para Portugal o Azure Stack Hub e disponibilizando a solução Cloud Híbrida Azure Stack Hub. O objetivo é juntar a Cloud Azure da Microsoft com a segurança do Data Center Altice da Covilhã, garantindo a localização dos dados em Portugal para uma melhor experiência em cloud.

Uma vez que as megaclouds (como Microsoft Azure e Amazon Web Services, providers megaclouds com quem a Altice Empresas estabeleceu um modelo de revenda) têm vindo a apostar em clouds privadas, permitindo polos locais com acesso a um conjunto de serviços equivalentes aos serviços em cloud pública, esta é uma oportunidade estratégica, aportando valor ao data center Altice Portugal ao nível de localização dos dados.

Uma das mais-valias é a entrega de soluções onde a latência da rede e a necessidade de ligações dedicadas ao ambiente de cliente são um fator crítico.

Adicionalmente, a Altice Empresas assume-se como um único ponto de contacto perante as megaclouds, permitindo que o cliente possa usufruir de qualquer serviço cloud, de qualquer cloud pública, oferecendo flexibilidade, simplicidade, integração de faturas e gestão de serviço, bem como suporte em português.

Em termos de oferta de cloud híbrida, a Altice Empresas disponibiliza também um portal multicloud - solução Cloud Híbrida Multicloud - que permite ter uma visão global de todas as subscrições e serviços das várias clouds, reporting em real time e previsibilidade de custos através de análise de histórico e tendência de consumos.

175ZETABYTES
é a projeção da quantidade de dados gerados em 2025.
829MIL MILHÕES
valor da economia de dados na UE27 em 2025.
10,9 MILHÕES
de profissionais do setor dos dados na UE27 em 2025.
65%
da população da UE com competências digitais básicas.

(Fonte: Estratégia europeia em matéria de dados, Comissão Europeia)

Mais notícias