Caixa Empresas Procuram-se bons projetos na agricultura e no mar

Procuram-se bons projetos na agricultura e no mar

O Gabinete de Agronegócio da CGD está a trabalhar para potenciar investimentos e minimizar riscos no setor primário da economia.
Procuram-se bons projetos na agricultura e no mar

Quatro mil milhões de euros até 2020. Eis a soma dos fundos comunitários para os setores agrícola e do mar, apoios que voltam a cativar os empresários portugueses, os quais já procuram crédito e aconselhamento para os seus projetos.

Nesta matéria, o Gabinete de Agronegócio da Caixa Geral de Depósitos está no terreno. Além do apoio especializado à vasta rede comercial do banco, cabe-lhe avaliar as candidaturas de quem procura crédito para se financiar e investir no setor primário.

Passo a passo, "analisamos cada projeto, vamos ao terreno, recolhemos informação e mitigamos o risco", enumera Filipe Ravara, diretor do Gabinete de Agronegócio da CGD.

Para o gestor, que recentemente participou na conferência Blue Business Forum, em junho, em Lisboa, as linhas de atuação da CGD no setor primário são claras: na agricultura, na pecuária, nas florestas, na aquacultura e nas pescas – cujo programa comunitário está em fase de arranque – "o nosso papel é financiar e promover o desenvolvimento de soluções financeiras à medida dos projetos e seus contextos".

Mas a atuação da CGD não se fica pelo simples suporte a investimentos. Procura também descobrir e incentivar bons negócios. "Muito além do apoio financeiro, apostamos na promoção das fileiras. Procuramos boas oportunidades e bons projetos com vista ao desenvolvimento global do setor", salienta Filipe Ravara.

Vinho e azeite, tal como as frutas e as hortícolas – em que Portugal antecipa a produção relativamente à generalidade dos países –, continuam a ser fileiras com franco potencial. Mas há também oportunidades em atividades como a aquacultura, que representa apenas 1,5 por cento da produção nacional de pescado. "Temos ótimas condições para a área e têm-nos aparecido muitos projetos", assegura o diretor do Gabinete de Agronegócio da CGD.

Além desta equipa especializada, no total, a CGD disponibiliza 155 milhões de euros para financiamento através de linhas enquadradas nos programas comunitários destinados a empresas (Portugal 2020 e PME Crescimento). Há soluções para problemas de financiamento, de tesouraria ou do âmbito dos serviços e seguros.

Disponíveis no universo da CGD existem assim vários instrumentos de apoio a curto e médio prazo para os empresários do setor primário.

Para as necessidades mais imediatas de exploração de unidades produtivas, enquanto apoio à tesouraria, existe o "Crédito de campanha IFAP – Agricultura" e o "Crédito para antecipação de subsídios".

Consulte mais detalhes em www.cgd.pt.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI