Outros sites Cofina
Negocios em rede
Mais informações

C•Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do universo Cofina.
Aqui as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Notícia

Novo 500 aponta ao pódio

Pelas suas características, este modelo da Fiat ambiciona ser um dos elétricos mais vendidos em Portugal.

07 de Abril de 2021 às 11:38

A pensar no amanhã, a marca Fiat tem alargado o seu portefólio e tem neste momento no mercado soluções híbridas, nos modelos Panda e 500, e também uma solução 100% elétrica, o Novo 500. Este último, lançado no final de 2020, constitui a terceira geração de um dos maiores ícones da indústria automóvel, numa história que começou em 1957.

"Pelo carregamento rápido, precisando apenas de cinco minutos para deslocações diárias (50 quilómetros), autonomia elevada (até 460 quilómetros em cidade), design icónico, segurança, tecnologia (condução autónoma nível 2) e conectividade, tem como objetivo comercial o pódio dos elétricos mais vendidos em Portugal", afirma Luís Domingues marketing director da Fiat, Abarth, Alfa Romeo e Jeep, do grupo FCA Portugal.

Também do grupo Fiat Chrysler Automobiles, ou FCA, a marca Jeep disponibiliza duas soluções híbridas plug-in, o Renegade e o Compass. "Estes modelos oferecem 50 quilómetros de autonomia em modo 100% elétrico, respondendo à grande maioria das necessidades diárias", assegura e prossegue: "Para utilizações extraurbanas, a motorização a gasolina funciona em conjunto para uma utilização eficiente e autonomia para grandes distâncias. Constituem uma oferta perfeitamente adaptada às necessidades das empresas por beneficiarem do enquadramento fiscal favorável e contarem com custos de utilização reduzidos."

É-nos também explicado que em maio a gama plug-in da Jeep contará com o lançamento de outro ícone, o Jeep Wrangler plug-in, que com o módulo elétrico associado a uma motorização gasolina permitirá uma utilização urbana em modo 100% elétrico e disponibilizando mais de 380 cv, para todo o tipo de percurso.

Fiat, Jeep e outras marcas têm cada vez mais modelos eletrificados porque além dos benefícios ambientais também do ponto de vista económico as vantagens são "muito significativas para as empresas".

"Por um lado, o enquadramento fiscal mais favorável para as viaturas híbridas plug-in e elétricas em sede de IVA, IRC (Tributação Autónoma e Depreciações) e Imposto Sobre Veículos (ISV). Por outro, o custo de utilização reduzido (consumo e manutenção). Para os utilizadores, os benefícios de utilização são importantes, com grande conforto e facilidade de condução, e com cada vez melhores soluções de mobilidade e rede de carregamento."

A este propósito, Luís Domingues recorda que a capilaridade da rede aumenta de dia para dia, nos locais tradicionais ou em grandes superfícies comerciais, estando enquadrada com as rotinas dos utilizadores que podem carregar as suas viaturas no período em que frequentam os espaços.

Posicionar a marca junto dos clientes

Indagado se as empresas portuguesas estão a aderir mais às frotas sustentáveis, o responsável responde afirmativamente, essencialmente por duas razões: "Pela vontade de posicionar as suas marcas junto dos clientes, assegurando que são coerentes e efetivamente respeitadoras das preocupações dos seus clientes e colaboradores que estão cada vez mais atentos e comprometidos com a proteção do meio ambiente. E também pelo já referido enquadramento fiscal mais favorável para as viaturas híbridas plug-in e elétricas e o custo de utilização reduzido."

Quanto aos cidadãos estão também a procurar mais carros eletrificados, em coerência com as empresas. A preocupação com a sustentabilidade ambiental "é real" e híbridos e elétricos apresentam soluções tecnológicas que respondem de forma eficiente a essa necessidade, respondendo também, e cada vez mais, às preocupações de autonomia, que é cada vez maior, e de carregamento.

"De uma forma geral e clara, particulares e empresas estão a procurar cada vez mais veículos híbridos e elétricos, sendo que a quota de mercado cresceu de 7% em 2018 para 20% em 2020, prevendo-se que o crescimento se acentue já em 2021 e nos próximos anos", antevê.

"De uma forma geral e clara, particulares e empresas estão a procurar cada vez mais veículos híbridos e elétricos."  Luís Domingues marketing director da Fiat, Abarth, Alfa Romeo e Jeep, do grupo FCA Portugal.
Mais notícias