Mobilidade Elétrica 2019  A vantagem menos conhecida é a económica

A vantagem menos conhecida é a económica

Compra de um veículo 100% elétrico ajuda a proteger o ambiente. Mas os ganhos são muito mais do que ecológicos.
A vantagem menos conhecida é a económica

A Renault tem uma gama de veículos elétricos. O ZOE é o mais conhecido da marca e é habitual estar em primeiro ou em segundo lugar no top de vendas em Portugal deste tipo de automóvel. A percentagem de venda de elétricos no mercado de automóveis em Portugal ainda é muito reduzida percentualmente. Não obstante, existem muitas vantagens em adquirir um veículo 100% elétrico, como explica Ricardo Oliveira, diretor de Comunicação e Imagem da Renault.

 

 "Há uma vantagem evidente, e essa é amplamente reconhecida, que está associada à preservação do ambiente. Um automóvel elétrico, em utilização, não tem quaisquer emissões poluentes", começa por referir, prosseguindo: "Mas a vantagem, ainda hoje menos conhecida, é a económica. O custo de utilização de um automóvel elétrico, nas atuais condições, é francamente inferior ao de um automóvel de motor a combustão. E nas duas vertentes às quais estão associados os custos de utilização: ‘combustível’ e manutenção."

 

No que diz respeito às desvantagens, nas atuais condições de desenvolvimento – e relembrando que o primeiro automóvel elétrico "moderno" foi lançado há apenas sete anos –, o principal entrave, segundo a Renault, "é o acesso fácil a soluções de carregamento".

 

Para a marca, tornar mais fácil e mais agradável a vida dos seus clientes é uma missão. "Por isso, sabemos que é importante que o potencial utilizador de um automóvel elétrico tenha uma solução de carregamento de fácil acesso: no domicílio e/ou no local de trabalho", salienta Ricardo Oliveira e continua: "A esmagadora maioria dos automóveis passa mais de 80% do dia… ‘parado’. Uma solução que permita ‘abastecer’ durante o tempo de imobilização elimina todos os eventuais problemas de ansiedade de utilização quotidiana."

 

O responsável do fabricante francês não esquece de mencionar a questão da autonomia como "desvantagem" conhecida. É que a generalidade dos automóveis elétricos já em comercialização oferece autonomias reais a rondar os 300 quilómetros.

 

Indagado se a durabilidade de um elétrico é igual à de um automóvel com motor a combustão, responde que é "superior", dado que "a tecnologia do motor elétrico é mais simples". "As baterias, ao longo do seu período de vida, vão perdendo alguma capacidade de armazenagem, daí a Renault ter optado por oferecer, também, a solução de aluguer de bateria, que garante que o utilizador terá sempre no seu automóvel uma bateria com uma capacidade mínima de 70%."

 

Receita para aproveitar melhor a mobilidade eléctrica

 

Em 2018, o mercado de automóveis elétricos em Portugal representou "1,7% das vendas totais de automóveis ligeiros". Trata-se de uma percentagem reduzida, mas que coloca Portugal entre os países da Europa Ocidental onde os elétricos têm maior peso no mercado. Para o nosso país superar os desafios e aproveitar da melhor forma a mobilidade elétrica, existem duas grandes prioridades, segundo Ricardo Oliveira: recuperar a rede de carregamento pública existente; e acelerar a condição de criações para a "exploração" de todos os postos de carregamento, à semelhança do que foi feito há pouco tempo para os postos de carga rápida.

 

Recentemente, o ministro do Ambiente, Matos Fernandes, disse que não vai fazer sentido comprar um carro a gasóleo na próxima década e que quem comprar não terá valor na sua troca daqui a quatro anos. Convidado a comentar estas afirmações, o diretor de Comunicação e Imagem da Renault recusou, limitando-se a dizer que "o diesel ainda é a motorização com maior preponderância no mercado português". "Pensamos que o seu peso nas vendas se irá manter significativo e a Renault manterá a sua oferta de motorizações diesel enquanto a procura for efetiva", assegura.

 

Desígnio estratégico da marca

 

A mobilidade sustentável é um desígnio estratégico da Renault que não se esgota na comercialização de automóveis elétricos. "A Renault já desenvolveu parcerias com empresas, instituições e não só para o desenvolvimento da sustentabilidade de comunidades, regiões, cidades, bairros e até mesmo ilhas."

 

Um exemplo é a parceria que se estabeleceu entre o Governo Regional da Madeira e a Renault, e que visa tornar Porto Santo na primeira ilha totalmente sustentável em todo o mundo – projeto em curso e designado Porto Santo Smart Fossil Free Island. Também o Porto Santo será o palco de desenvolvimento, por parte da Renault, de novas soluções tecnológicas que irão contribuir para "libertar a dependência da ilha dos combustíveis fósseis para a produção de eletricidade".

 

A marca é ainda parceira, ou promotora, de novas soluções de mobilidade partilhada em quase todas as grandes capitais europeias.


Gama Renault de veículos elétricos

Twizy Z.E.
ZOE
Kangoo Z.E.
Novo Master Z.E.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI