OnStrategy Este relatório consolida o nosso trabalho

Este relatório consolida o nosso trabalho

Pedro Tavares, partner e CEO da OnStrategy, destaca que o último estudo da consultora solidifica o que tem sido feito em 2019 sob a certificação ISO 10668. Relatório conjuga o valor financeiro das marcas mais valiosas com os índices de força e de reputação, incluindo ainda o impacto da reputação e do risco de uma crise no valor financeiro da marca e no valor financeiro do negócio.
Este relatório consolida o nosso trabalho

Fundada há dez anos, a OnStrategy é uma consultora multidisciplinar cujo objetivo é criar e otimizar valor financeiro para clientes e parceiros, estando focada na quantificação e maximização do valor dos ativos tangíveis e intangíveis com metodologias e ferramentas independentes, reconhecidas e certificadas. Estas são sustentadas pela compreensão do ambiente económico, político e social do tecido empresarial. Nesse sentido, a consultora publica vários relatórios por ano. Pedro Tavares, partner e CEO da OnStrategy, ajuda a interpretar o último estudo de 2019.

 

Pedro Tavares começa por explicar que "este relatório consolida o trabalho da OnStrategy ao longo do ano sob a certificação ISO 10668", o qual se traduz em, "pela primeira vez, apresentar conjuntamente o valor financeiro das marcas, os índices de força e de reputação das marcas e o impacto que a força e a reputação das marcas têm nos resultados financeiros do negócio e no valor das marcas". Dá-se ainda destaque ao valor protegido pela reputação associada e ao valor em risco em caso de crise.

 

"Entre mais de 40 setores e 2.000 marcas que analisamos anualmente, destacamos aqui as marcas com maior valor económico no mercado nacional, no PSI-20 e nos cinco principais setores de atividade que mais contribuem para o desenvolvimento económico do país", esclarece, resumindo as conclusões deste trabalho: menos de dez marcas – nacionais ou estrangeiras a operar aqui – valem mais de 500 milhões de euros; e só duas mais de 1.000 milhões de euros. Portanto, apesar de "muitas marcas registarem indicadores reputacionais robustos, a sua força de marca é maioritariamente moderada".

 

Sobre o porquê de acrescentar o impacto da reputação e do risco de uma crise no valor financeiro da marca e no valor financeiro do negócio, é recordado que o termo reputação já faz parte do "dicionário corrente" dos negócios.

 

"Nos últimos dez anos, este termo passou a ter ciência qualitativa e quantitativa por trás, permitindo às organizações construírem dimensões e atributos de gestão com uma abordagem multi-stakeholder." Mas o desafio passa por "dimensionar a reputação no conceito mais amplo de Força de Marca e ir mais além, construindo uma ponte de diálogo entre as ciências de marca e de finanças". Aqui, em concreto, definir qual o impacto que "a reputação tem nos resultados financeiros do negócio e do valor da marca, alertando também para os riscos financeiros associados a uma crise reputacional".

 

A metodologia

  

A metodologia desenvolvida na elaboração deste relatório está em conformidade com as normas da certificação ISO 10668, consolidando as dimensões-chave de gestão de marca: "A financeira e a de força. O ponto de partida de análise são informações públicas, como relatórios de contas das organizações, pareceres e recomendações de analistas de mercado e reguladores".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI