PME 2019 Instrumentos suscitam maior interesse

Instrumentos suscitam maior interesse

Programas e ações do IAPMEI estão a revelar uma crescente procura por parte de empresários e empreendedores.
Instrumentos suscitam maior interesse

O IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação é um aliado fundamental das PME, possuindo vários instrumentos de apoio que contribuem para a sua inovação, promoção ou crescimento. Empreendedorismo e inovação; incentivos e financiamento; apoio empresarial e formação; indústria e sustentabilidade; qualificação e certificação; e revitalização e transmissão. Estas são, sobretudo, as principais áreas de atuação do IAPMEI dirigidas às empresas. A sua preocupação tem sido a de conhecer a realidade das organizações em cada momento e de poder, em tempo, disponibilizar instrumentos de política pública que sejam adequados às necessidades dos empreendedores e dos empresários e que acompanhem todo o ciclo de vida das empresas.

 

"Trata-se de um conjunto de áreas e instrumentos amplo e diversificado, com características específicas em função da sua natureza e do fim a que se destinam. A nossa preocupação é o da melhoria continuada da nossa atuação. É nesse sentido que a nossa equipa trabalha todos os dias. Em termos empresariais temos assistido a uma procura e interesse crescente por parte dos empresários e empreendedores pelos programas e ações desenvolvidas no IAPMEI", afirma Nuno Mangas, presidente do IAPMEI.

 

Nuno Mangas explica um pouco melhor cada um destes instrumentos. No âmbito da Estratégia Nacional para o Empreendedorismo, o IAPMEI dinamiza: o programa StartUp Voucher; o StartUp Visa; o Vale Incubação; e o Tech Visa (ver caixa).

 

No que diz respeito à execução do Portugal 2020, o IAPMEI, enquanto organismo intermédio, registou "um enorme acréscimo do número de candidaturas". Para dar uma ideia, foram analisadas, no âmbito deste quadro comunitário, até ao início deste ano, mais de 17.300 candidaturas, que correspondem a mais de 2,8 mil milhões de incentivos aprovados às empresas.

 

Relativamente ao financiamento, "mais de 96.000 PME acederam a linhas de crédito, o que corresponde a cerca de 20 mil milhões de crédito concedido às empresas".

 

Nuno Mangas destaca igualmente as ações desenvolvidas pela Academia de PME em parceria com agentes da envolvente empresarial que já se traduziram, entre 2017 e 2018, "em mais de 100 iniciativas realizadas – seminários, workshops, ações de formação entre outras – e que envolveram cerca de 5.000 participantes".

 

Ainda no âmbito do apoio empresarial, é realçada a rede de pontos de atendimento Espaço Empresa. Trata-se de uma iniciativa liderada pelo IAPMEI, presente em 34 localidades, que disponibiliza num só local e com um modelo de atendimento personalizado e multicanal, "serviços de informação, aconselhamento e acompanhamento, em articulação com os serviços da Administração Pública Central e Local, com intervenção direta na atividade das empresas".

 

No que se refere ao desenvolvimento de instrumentos de política pública de atuação mais dirigida, são ainda de referir "as diversas ferramentas de apoio à gestão e avaliação de desempenho" que são disponibilizadas às empresas como a Ferramenta de avaliação de Projetos, o Autodiagnóstico Financeiro, o Shift to 4.0 ou o Innovation Scoring.

 

O IAPMEI participa e dinamiza ainda várias iniciativas e apoios dirigidos às empresas no âmbito de programas desenvolvidos pelo Governo, como "o Programa Indústria 4.0, Incode 2030 e Economia Circular".

 

Nuno Mangas dá ainda uma última nota para referir a atribuição do estatuto PME Líder/Excelência. Estes selos de reputação lançados pelo IAPMEI, em parceria com o Turismo de Portugal, os principais bancos nacionais e o sistema de garantia mútua, pretendem distinguir empresas com perfis de desempenho superiores, conferindo-lhes notoriedade e criando-lhes condições otimizadas de financiamento para desenvolverem as suas estratégias de crescimento e de reforço da sua base competitiva. "Este ano (2018) distinguimos mais de 8.000 empresas como PME Líder, das quais 2.378 alcançaram o estatuto PME Excelência, o que corresponde a um aumento de 22% em relação ao ano anterior."


O IAPMEI dinamiza no âmbito da Estratégia Nacional para o Empreendedorismo:

. O programa StartUp Voucher, lançado em 2016. Nas edições já realizadas, este programa já apoiou mais de 400 empreendedores e levou à criação de cerca de 50 empresas;
. O StartUp Visa, lançado em março de 2018, um programa de acolhimento de empreendedores com residência permanente fora do Espaço Schengen e que pretendam desenvolver um projeto de empreendedorismo ou inovação em Portugal. Este programa tem já mais de 70 candidaturas submetidas, das quais 30 já obtiveram decisão favorável;
. O Vale Incubação é uma medida que tem como objetivo conceder apoios a projetos de empresas com menos de um ano na área do empreendedorismo, através da contratação de serviços de incubação prestados por uma das mais de 100 incubadoras nacionais acreditadas pelo IAPMEI;
. O Tech Visa, fundamental para que as empresas portuguesas tenham a capacidade de atrair quadros qualificados de países externos à União Europeia. Desde o início do programa, em janeiro, o IAPMEI já certificou mais de 70 empresas.


Investimentos ajudam a criar milhares de empregos e aumentar exportações

O IAPMEI já executou mais de 50% do incentivo que tem na sua carteira de projetos do Portugal 2020. Nuno Mangas conta que, até ao primeiro trimestre deste ano, o IAPMEI contribuiu para a execução do Portugal 2020 com mais de 1,3 mil milhões de euros de pagamentos de incentivos a empresas nos mais de 6.470 projetos de investimento que acompanha, divididos em três tipologias: Inovação e empreendedorismo, Qualificação de PME e I&DT.

 

"Estes investimentos em carteira representam um potencial de mais de 36 mil novos postos de trabalho e um aumento do nível de exportações anual em 7,7 mil milhões de euros. O IAPMEI atingiu os 53,8% de execução da sua carteira de projetos no Portugal 2020, com mais de dez pontos percentuais acima da média na execução dos sistemas de incentivos às empresas", sublinha Nuno Mangas e prossegue: "Temos procurado promover a execução eficaz dos fundos e a partir deste trimestre estamos a contribuir positivamente para a meta definida pelo Governo de atingir perto de 50% de execução do Portugal 2020 até ao final do ano. Esta situação traduz um impacto bastante positivo para as empresas, em particular para as PME que são o principal público-alvo do IAPMEI."




Marketing Automation certified by E-GOI