Outros sites Cofina
Negocios em rede
Mais informações

C•Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do universo Cofina.
Aqui as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Notícia

Cinco previsões sobre o império do software

Os cinco temas mais relevantes que a IDC contempla para inovação digital nos próximos anos e que são colocados em perspetiva temporal e também a sua complexidade.

05 de Julho de 2021 às 10:40

"Software is eating the world", dizia em 2011 o fundador do Netscape, Marc Andreessen, o que indiciava o papel e o impacto na tecnologia do software, ainda que hoje se diga que é a inteligência artificial ou o Software as a Service que vão dominar o mundo. De facto, o software está cada vez mais presente na vida das organizações e o impacto do desenvolvimento do software desafia os recursos, a organização, a tecnologia, a cultura das empresas.

A IDC acredita que a inovação digital, assente no desenvolvimento de software, se tornará cada vez mais um diferencial competitivo. Uma oferta baseada em software pode ser um produto físico, como um eletrodoméstico ou um carro conectado, ou um quiosque ou app para interação com clientes e consumidores, um serviço de streaming de vídeo, uma plataforma de comércio eletrónico, em que o valor e a diferenciação da oferta não seriam possíveis sem o software.

Um recente estudo da IDC indica que o desenvolvimento de software já desempenha um papel importante na realização dos objetivos de negócios, mais concretamente, 66% dos entrevistados disseram que a maior capacidade no desenvolvimento e entrega de software aumentou a capacidade competitividade da organização, e mais de 56% disseram que o desenvolvimento de software foi fundamental para diferenciar/inovar em produtos ou serviços.

 

Cinco tendências

A primeira tendência é a que poderá ter mais impacto, mas só se tornará mainstream em 2025 e tem a ver com o facto de as empresas, tanto tecnológicas como as outras, se tornarem software companies. A previsão é de que em 2025 um quarto das empresas da Fortune 500 se transformarão em produtoras de software através da transformação digital, mantendo-se o seu estatuto de empresa Fortune 500. Nos grandes bancos tem havido uma tendência para ter cerca de 50% dos colaboradores como software developers. Este fenómeno vai-se tornar diferenciador em 2025.

A segunda previsão está relacionada com os incumbentes e com o desafio que é o legacy tecnológico e, em 2022, 75% das organizações vão ter de fazer uma alteração no seu legacy e mudar de arquitetura tecnológica para suportar o software mais agile.

A terceira previsão está relacionada com a cloud e o seu desenvolvimento e tem a ver com a mudança da forma como se desenvolve e adotam e combinam os softwares que existem nas organizações e as novas tecnologias como microsservices, containers, dynamic orchestration. Se em 2020 10% das aplicações estavam na cloud, serão 70% em 2024.

A quarta previsão é para 2024, mas como a IDC acredita que as organizações se vão tornar software companies e, de alguma forma, empresas de desenvolvimento interno de software para a sua indústria específica, estas poderão evoluir para a próxima geração através da venda de software e serviços.

A quinta previsão está relacionada com a presença cada vez maior nas organizações de developers e, em 2024, em termos médios, 45% do staff das organizações com mais de mil trabalhadores vai de alguma forma ser soft developer, o que coloca desafios por causa do rápido crescimento desta oferta de emprego.
Mais notícias